Forrest J. Ackerman

Forrest J Ackerman[1] (nascido Forrest James Ackerman; 24 de novembro de 19164 de dezembro de 2008) foi um editor de revista, escritor de ficção científica e agente literário americano, um dos fundadores do fandom de ficção científica, considerado um dos maiores especialistas sobre filmes de ficção científica e fantasia,[2] e reconhecido como um dos ávidos colecionadores do mundo de livros e filme do gênero.[3] Ele cresceu em Los Angeles, Califórnia.

Forrest J Ackerman
Forry Ackerman na Ackermansion, 1990
Nome completo Forrest James Ackerman
Nascimento 24 de novembro de 1916
Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos
Morte 4 de dezembro de 2008 (92 anos)
Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos
Ocupação Editor de revista, agente literário, escritor, ator

Durante sua carreira como um agente literário, Ackerman representou autores de ficção científica como Ray Bradbury, Isaac Asimov, A. E. Van Vogt, Curt Siodmak e L. Ron Hubbard.[4] Ele foi, por mais de sete décadas, um dos porta-vozes e promotores mais ferrenhos da ficção científica.

Ackerman foi o editor e escritor principal da revista americana Famous Monsters of Filmland, bem como um ator, a partir da década de 1950 para o século XXI, e apareceu em pelo menos dois documentários relacionados com este período na cultura popular: dirigido por Michael R. MacDonald[5] e escrito por Ian Johnston,[6] Famous Monster: Forrest J Ackerman, que estreou no teatro egípcio em março de 2009, durante o Forrest J Ackerman Tribute; o do escritor e cineasta Jason V Brock , Ackermonster Chronicles! (2012)[7] e The Life of Twilight Zones Magic Man, sobre o falecido autor Charles Beaumont, um ex-cliente da agência de Ackerman.[8]

Também chamado de "Forry", "O Ackermonster", "4e" e "4SJ", Ackerman foi fundamental para a formação, organização e disseminação dos fãs de ficção científica nos Estados Unidos, e uma figura chave na percepção cultural mais ampla de ficção científica como uma obra literária, arte e gênero de filme. Famoso por seu jogos de palavras e neologismos, ele cunhou o apelido do gênero, "sci-fi".[9] Em 1953, ele foi eleito o " O Fã Personalidade Nº1" pelos membros da World Science Fiction Society, um Prêmio Hugo nunca concedido a qualquer outra pessoa.[10]

Foi fundador e proprietário do Museu do Horror, conhecido como Ackermansion, que teve como um de seus administradores o cineasta austríaco Norbert Franz Novotny, cuja mãe era brasileira e que foi co-fundador da empresa cinematográfica brasileira Cesar Nero Produções. Fotos de Norbert com Forrest J. Ackerman na Ackermansion podem ser vistas no site www.cesarnero.com.br.

Foi um dos primeiros e mais francos defensores do esperanto na comunidade de ficção científica.[11][12]

Referências

  1. Carlson, Michael (7 de dezembro de 2008). «Forrest J Ackerman». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  2. Robert Bloch. "Another Part of the Forrest" in Bloch's Out of My Head. Cambridge MA: NESFA Press, 198, 191-93
  3. «Forrest J Ackerman, writer-editor who coined 'sci-fi,' dies at 92». latimes.com. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  4. Corliss, Richard (6 de dezembro de 2008). «Sci-Fi's No. 1 Fanboy, Forrest J Ackerman, Dies at 92». Time. ISSN 0040-781X 
  5. «Michael MacDonald». IMDb. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  6. «Ian Johnston». IMDb. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  7. "The Ackermonster Chronicles!". IMDb.com
  8. «Richard Matheson remembers his good friend Charles Beaumont». cinefantastiqueonline.com. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  9. «Forrest J Ackerman, 92; Coined the Term 'Sci-Fi'». The Washington Post (em inglês). 7 de dezembro de 2008. ISSN 0190-8286 
  10. «1953 Hugo Awards» (em inglês). 26 de julho de 2007. Consultado em 9 de setembro de 2016 
  11. «TIME». Time. ISSN 0040-781X 
  12. 4forry.best.vwh.net Archived 21 de julho de 2007, Wayback Machine.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Forrest J. Ackerman