Abrir menu principal

Fortunato de Almeida

Fortunato de Almeida Pereira de Andrade (Coimbra, 15 de Abril de 1869Vilar Seco, 27 de Setembro de 1933), mais conhecido por Fortunato de Almeida, foi um distinto professor liceal e historiador, autor de uma História de Portugal em seis volumes (ed. do autor, Coimbra, 1922-1929; reeditada em três volumes pela Editorial Bertrand, Lisboa, 2003-2005) e ainda da monumental História da Igreja em Portugal, estudo ímpar sobre a vida eclesiástica em Portugal.

BiografiaEditar

Fortunato de Almeida dedicou toda a sua vida ao estudo e ao ensino, deixando uma obra que evidencia o seu trabalho de professor e de investigador da história de Portugal. Ao longo da sua vida publicou uma valiosa obra historiográfica, continuando o trabalho de Alexandre Herculano e de Henrique da Gama Barros.

Na obra A História da Igreja em Portugal (1910-1928), Fortunato de Almeida reuniu e sintetizou uma variada informação bibliográfica, colhida em diferentes fontes documentais, demonstrando o seu poder de síntese e capacidade de interpretação histórica.

A sua outra obra mais marcante, A História de Portugal (1922-1929) é uma obra monumental, de imenso labor e investigação, tanto mais extraordinária por ser uma obra idividual. Nela o autor historia o desenvolvimento de Portugal desde a Lusitânia pré-histórica até ao reinado de D. Manuel II.

Fortunato de Almeida publicou ainda mútiplos artigos e vários manuais escolares. Entre os seus estudos merecem nota: O Infante de Sagres, A Questão Social e História das Instituições em Portugal.

Fortunato de Almeida ocupou um lugar de relevo nos estudos históricos, geográficos, literários, políticos e religiosos da última década do século XIX e nas três primeiras do século XX, como é realçado no Dicionário da História de Portugal, onde se reconhece que o historiador «consagrou toda a sua vida ao estudo e ao ensino, legando-nos uma obra copiosa que atesta o seu trabalho de mestre e investigador».

Encontra-se colaboração da sua autoria na Revista de História[1] (1912-1928) e na revista católica Lusitânia[2] (1914).

A cidade de Coimbra recorda o historiador na toponímia de uma das suas artérias e na casa onde viveu, no n.º 126 da Rua Antero de Quental, foi homenageado com o descerramento de uma placa alusiva. Fortunato de Almeida é o patrono de um dos agrupamentos de escolas de Nelas.

Referências

  1. «Revista de historia : publicação trimensal, 1913, Índice». Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 28 de abril de 2015 
  2. Alda Anastácio (4 de novembro de 2016). «Ficha histórica:Lusitânia: revista católica mensal (1914)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 22 de dezembro de 2016 

Ligações externasEditar