Fourierismo

Fourierismo é uma teoria de organização social[vago] idealizada pelo filósofo e sociólogo Charles Fourier[1]. Influenciado pelas ideias de Rousseau, esse pensador acreditava que seria possível reorganizar a sociedade através da criação de falanstérios[2], comunidades cooperativas e autônomas[3]. Difere-se do socialismo marxista por considerar que a revolução se consolidaria com a boa vontade da burguesia e de forma pacífica[4].

ContextoEditar

O desenvolvimento do capitalismo na Europa promoveu a exploração dos trabalhadores, que viviam na miséria com uma carga horária exorbitante e ausência de direitos trabalhistas[4].

A reação operária aos efeitos da Revolução Industrial fez surgir críticos ao progresso industrial, que propunham transformações sociais em prol de um mundo mais justo. Os primeiros pensadores socialistas ainda eram portadores de ideias liberais, acreditando na conciliação das classes sociais com o fim da exploração e da ociosidade[2].

No BrasilEditar

Em 1840, houve uma tentativa de implantar essa vertente socialista na península do Saí (nordeste da então província de Santa Catarina) por parte de socialistas utópicos franceses[5].

  1. «Significado de Fourierismo». Dicio - Dicionário Online de Português. Consultado em 23 de setembro de 2017 
  2. a b VICENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo (2005). História para o ensino médio: história geral e do Brasil. São Paulo: Scipione. p. 296 
  3. «falanstério». Dicionário infopédia da Língua Portuguesa. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  4. a b «Significado de Socialismo Utópico». Significados. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  5. Lins, Hoyêdo Nunes (2010). «Fourierismo no Brasil meridional: a saga do falanstério do Saí (1841-1844)». Revista História Econômica & História de Empresas. v. 13 n. 1 (2010). Consultado em 23 de setembro de 2017 
  Este artigo sobre sociologia ou um(a) sociólogo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.