Abrir menu principal

Fração Trotskista - Quarta Internacional


Fração Trotskista - Quarta Internacional
FT-CI (pt)
Logo da FT-QI
Fundação 25 de abril de 2004 (15 anos)
Membros 11
Línguas oficiais alemão
espanhol
francês
inglês
portugues
Sítio oficial www.ft-ci.org/

A Fração Trotskista - Quarta Internacional é uma organização internacional formada por grupos de tendencia trotskista e cujo objetivo é a reconstrução da Quarta Internacional. Surgiu em 1989 sob o nome de "Fração Bolchevique Internacionalista" depois de uma série de expulsões na Liga Internacional dos Trabalhadores - Quarta Internacional (LIT-QI).

HistóricoEditar

Considerado inicialmente como uma "fração externa" que havia sido erroneamente expulso, de 1988 a 1990 o PTS teve três divisões: a primeira quando vários militantes retornaram ao MAS, o segundo, quando outro grupo de militantes simpatizou com o Partido Revolucionário Trabalhista - Worker Press britânico e o terceiro, quando os apoiantes de Leon Pérez (um ex-membro da Secretaria Internacional do LIT) decidiram seguir uma perspectiva de partido em massa (em oposição à de partido de vanguarda). Essas divisões obrigaram o PTS a avaliar e autocrítica, o que levou ao seu desenvolvimento subsequente questionara principalmente a Atualização do Programa de Transição formulada por Nahuel Moreno, entendendo-a como em oposição a Teoria da Revolução Permanente de Leon Trotsky.[1]

Em 1993 surgiu como Fração Trotskista - Estratégia Internacional, fundada pelo PTS da Argentina, o LTS do México, o LOR da Bolívia e com as adesões do grupo Estratégia Revolucionária do Brasil e do grupo da Classe contra Classe do Chile, bem como alguns militantes simpatizantes na Europa. Em 2004, em sua segunda conferência internacional, e coincidindo com o congresso do Movimento para Refundação da Quarta Internacional que também se reuniu em Buenos Aires, a FT decidiu mudar seu nome de "Estratégia Internacional" para "Quarta Internacional".[2]

Como resultado da crise econômica e das mobilizações em diferentes países, o FT-QI cresceu na América Latina e na Europa e está atualmente promovendo a formação de um novo agrupamento, um Movimento por uma Internacional para uma Revolução Socialista -. Quarta Internacional (MIRS-CI), tendo publicado um manifesto em 2013.

SeçõesEditar

Seções plenas[3][4]
  Alemanha Revolutionäre Internationalistische Organisation (RIO)
  Argentina Partido de los Trabajadores Socialistas (PTS)
  Bolivia Liga Obrera Revolucionaria - Cuarta Internacional (LOR-CI)
  Brasil Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT)
  Chile Partido de Trabajadores Revolucionarios (PTR)
  França Courrant Communiste Revolutionaire (CCR)
  Espanha Corriente Revolucionaria de Trabajadores y Trabajadoras (CRT)
  Estados Unidos Left Voice (LV)
  México Movimiento de los Trabajadores Socialistas (MTS)
  Peru Corriente Socialista de las y los Trabajadores (CST)
  Uruguay Corriente de Trabajadores por el Socialismo (CTS)
  Venezuela Liga de Trabajadores por el Socialismo (LTS)
Seções simpatizantes[4]
  Costa Rica Organización Socialista (OS)
  Italia Frazione Internacionalista Rivoluzionaria (FIR)

Organizações que deixaram de fazer parte do FT-QI:

  •   França Grupo Comunista Internacionalista Revolucionário (CRI) - (Juntou-se a 2008 como seção simpatizante, [5] mas com a criação do NPA, ele se dissolveu dentro da tendência CLAIRE, siglas de "Tendência pelo comunismo, a luta auto-organizada, internacionalista e revolucionária")[6][7]
  •   Costa Rica Liga da Revolução Socialista (LRS) - (Inscrito em 2008 como uma seção plena[8] mas foi dissolvido em 2014).

Veja tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. Polémica con la LIT y el legado de Nahuel Moreno (em castelhano) 01/01/1994 Home page da Fração Trotskista
  2. se realizó la Segunda Conferencia de la FT
  3. Organizaciones de la FT
  4. a b https://www.laizquierdadiario.com/Apoyemos-la-rebelion-del-pueblo-catalan-y-su-derecho-de-autodeterminacion
  5. [http://www.ft-ci.org/Gran-acto-de-cierre-de-la-V-Conferencia-Internacionalista?lang=es
  6. Journal du Groupe CRI : Lettre publique du Groupe CRI à la LCR concernant son projet de thèses politiques pour le nouveau parti anticapitaliste
  7. "Ustedes informan especialmente sobre los análisis y el combate llevado adelante por los firmantes del proyecto de Tendencia que defiende el Comunismo, la Revolución y la Autoorganización (convertida el 14 de febrero en Tendance CLAIRE del NPA – Por el Comunismo, la Lucha Autoorganizada, Internacionalista y Revolucionaria). Ustedes mencionan correctamente que el Groupe CRI ha sido quien propuso este proyecto de Tendencia. Pero ustedes omiten aclarar que el Groupe CRI es, en Francia, la sección simpatizante de la FTCI (de la que el PTS es la sección argentina)." http://www.ft-ci.org/Carta-desde-Francia
  8. [1] "A su vez, se anunció la incorporación de la LRS de Costa Rica como sección plena de la FT en ese país centroamericano."