François-Marie-Benjamin Richard de la Vergne

François-Marie-Benjamin Richard de la Vergne (nascido em 1 de março de 1819 em Nantes, 28 de janeiro de 1908 em Paris) foi um bispo católico romano francês. De 1886 até sua morte, ele foi arcebispo de Paris.

François-Marie-Benjamin Richard de la Vergne
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo de Paris
Info/Prelado da Igreja Católica
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Paris
Nomeação 22 de junho de 1899
Predecessor Joseph Hippolyte Cardeal Guibert, O.M.I.
Sucessor Léon-Adolphe Cardeal Amette
Mandato 1886 - 1908
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 21 de dezembro de 1844
Igreja de Saint-Sulpice
por Dom Denys Affre
Nomeação episcopal 22 de dezembro de 1871
Ordenação episcopal 11 de fevereiro de 1872
Igreja das Damas de Sacré-Coeur
por Joseph Hippolyte Guibert, O.M.I.
Nomeado arcebispo 5 de julho de 1875
Cardinalato
Criação 24 de maio de 1889
por Papa Leão XIII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Maria em Via
Brasão
Lema Faites sur toutes choses que Dieu soit le mieux aymé
Dados pessoais
Nascimento Nantes
1 de março de 1819
Morte Paris
28 de janeiro de 1908 (88 anos)
Nacionalidade francês
Funções exercidas -Bispo de Belley-Ars (1871-1875)
-Arcebispo-coadjutor de Paris (1875-1886)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Vida editar

Richard veio de uma pequena família nobre da Vendée. Seu pai era um médico rico. A família teve onze filhos. O menino recebeu suas lições de professores particulares. Em 1841 ele entrou no prestigiado seminário Saint-Sulpice em Paris e completou seus estudos em filosofia, teologia e ascética. Foi ordenado sacerdote em 21 de dezembro 1844, pelo arcebispo Denis Auguste Affre. Ele então trabalhou na diocese de Nantes no cuidado pastoral.

Em 1846, Richard foi enviado a Roma para um curso de pós-graduação de três anos. Depois de voltar, tornou-se secretário do Bispo de Nantes Antoine Jacquemet e 1850 Vigário Geral da diocese. Este escritório ele manteve até a morte de Jacquemets em 1869.

Em dezembro de 1871, Richard foi nomeado como bispo de Belley pelo papa Pio IX. Ele recebeu sua ordenação episcopal em 11 de fevereiro de 1872 na Igreja do Sacré-Coeur em Paris pelo arcebispo Joseph Hippolyte Guibert. Como bispo de Belley, ele iniciou o processo de beatificação do pároco de Ars, Jean-Marie Vianney.

Em 1875, Richard foi nomeado Arcebispo Coadjutor de Paris e Arcebispo Titular de Larissa, na Tessália. Após a morte do arcebispo Guiberts em julho de 1886, ele se tornou seu sucessor.

No consistório de 24 de maio de 1889, o Papa Leão XIII elevou o Arcebispo Richard a Cardeal com a igreja titular de Santa Maria in Via. Como tal, ele participou do conclave em 1903, que escolheu Pio X.

Politicamente, o termo de Richard foi marcado pelo conflito entre partidários e oponentes da Terceira República. Pessoalmente bastante monarquista, ele seguiu a linha de despolarização ( ralliement ) de Leão XIII da igreja francesa com sua encíclica Au milieu des sollicitudes de 1892. No entanto, todas as tentativas de colmatar a lacuna entre a reacção de motivação religiosa e o secularismo falharam, e Richard viu que, apesar dos seus repetidos protestos, todas as comunidades religiosas foram banidas em França em 1903 e a lei que separa a Igreja do Estado foi aprovada em 1905. Em 1906 ele teve que deixar o Palácio Arquiepiscopal em Paris. [1][2]

Na teologia, durante o mandato de Richard, a disputa modernista se intensificou sobre o método histórico-crítico na interpretação bíblica e suas conseqüências para a doutrina da igreja. Alfred Loisy o líder "modernista" francês que por isso teve que comparecer várias vezes ao Cardeal Richard, experimentou-o como uma pessoa de "fé de granito", intocado por qualquer dúvida, hostil a quaisquer pensamentos pessoais, que foi além das fórmulas de ensino tradicional mas também como gentil e lutando pela justiça.[3]

François-Marie-Benjamin Richard de la Vergne morreu em janeiro de 1908 com quase 89 anos. Ele foi exposto e enterrado na de Notre-Dame. Em 1925, seus restos mortais foram transferidos para a cripta da Basílica de Sacré-Cœur, em Montmartre, que ele trabalhou vigorosamente para concluir.

Referências editar