François Darlan

Jean Louis Xavier François Darlan (Nérac, 7 de agosto de 1881Argel, 24 de dezembro de 1942) foi um almirante francês.[1][2] Ocupou o cargo de primeiro-ministro da França, entre 9 de Fevereiro de 1941 a 18 de Abril de 1942. Após se juntar aos Aliados em Novembro de 1942,[3] foi assassinado por Fernand Bonnier de La Chapelle em Argel por um partidário do conde de Paris.

François Darlan
Nome completo Jean Louis Xavier François Darlan
Nascimento 7 de agosto de 1881
Nérac, Aquitânia, França
Morte 24 de dezembro de 1942 (61 anos)
Argel, Argélia
Progenitores Mãe: Marie Marguerite Espagnac
Pai: Jean-Baptiste Darlan
Alma mater Escola Naval
Serviço militar
País  Terceira República Francesa
 França de Vichy
 França Livre
Serviço Marinha Nacional Francesa
Anos de serviço 1902–1942
Patente Almirante de Frota
Conflitos Primeira Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Condecorações Legião de Honra
Medalha Militar
Cruz de Guerra

CarreiraEditar

Nascido em Nérac, Darlan formou-se na École navale em 1902 e rapidamente avançou na hierarquia após seu serviço durante a Primeira Guerra Mundial. Ele foi promovido a contra-almirante em 1929, vice-almirante em 1932, tenente-almirante em 1937 antes de finalmente ser feito Chefe do Estado-Maior Naval em 1937. Em 1939, Darlan foi promovido a almirante da frota, posto criado especificamente para ele.

Darlan era Comandante-em-Chefe da Marinha Francesa no início da Segunda Guerra Mundial. Após o armistício da França com a Alemanha em junho de 1940, Darlan serviu no regime de Vichy de Philippe Pétain como Ministro da Marinha e, em fevereiro de 1941, assumiu o cargo de Vice-Presidente do Conselho, Ministro das Relações Exteriores, Ministro do Interior e Ministro da Defesa Nacional, fazendo dele o chefe de fato do governo de Vichy. Em abril de 1942, Darlan renunciou a seus ministérios para Pierre Laval por insistência alemã, mas manteve sua posição como Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Francesas.[4][5][6]

Darlan estava em Argel quando os Aliados invadiram o norte da África francesa em novembro de 1942. O comandante aliado Dwight D. Eisenhower fechou um acordo controverso com Darlan, reconhecendo-o como Alto Comissário da França para o Norte e Oeste da África. Em troca, Darlan ordenou que todas as forças francesas no norte da África cessassem a resistência e cooperassem com os Aliados. Menos de dois meses depois, em 24 de dezembro, Darlan foi assassinado por Fernand Bonnier de La Chapelle, um monarquista de 20 anos e anti-Vichyiste.[7][8][9]

Referências

  1. Wragg, David; Wragg, David W. (2009). Fighting Admirals of the Second World War (em inglês). Annapolis: Naval Institute Press. p. 124 
  2. Monteiro, Armindo; Salazar, António de Oliveira; Rosas, Fernando; Barros, Júlia Leitão de; Oliveira, Pedro de (1996). Armindo Monteiro e Oliveira Salazar: correspondência política, 1926-1955. Lisboa: Editorial Estampa. p. 400 
  3. Amado, Jorge (2008). Hora da guerra: a segunda guerra mundial vista da bahia. Crônicas (1942-1944). São Paulo: Companhia das Letras. p. 58 
  4. Atkin, Nicholas, Pétain, Longman, 1997, ISBN 978-0-582-07037-0
  5. Funk, Arthur L. "Negotiating the 'Deal with Darlan'." Journal of Contemporary History 8.2 (1973): 81–117
  6. Lacouture, Jean. De Gaulle: The Rebel 1890–1944 (1984; English ed. 1991), ISBN 978-0-841-90927-4
  7. Melka, Robert L. "Darlan between Britain and Germany 1940–41", Journal of Contemporary History (1973) 8#2 pp. 57–80
  8. Verrier, Anthony. Assassination in Algiers: Churchill, Roosevelt, DeGaulle, and the Murder of Admiral Darlan (1990)
  9. Williams, Charles, Pétain, Little Brown (Time Warner Book Group UK), London, 2005, p. 206, ISBN 978-0-316-86127-4


Precedido por
Pierre-Étienne Flandin
Primeiro-ministro da França
9 de fevereiro de 1941 – 18 de abril de 1942
Sucedido por
Pierre Laval
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.