Francisco Govinho Lima

futebolista brasileiro

Francisco Govinho Lima (Manaus, 17 de abril de 1971), conhecido apenas como Lima, é um ex-futebolista brasileiro que atuava como volante[1].

Lima
Informações pessoais
Nome completo Francisco Govinho Lima
Data de nasc. 17 de abril de 1971 (50 anos)
Local de nasc. Manaus, AM, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,78 m
Apelido Pifó
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-volante)
Clubes profissionais
Anos Clubes
1990–1994
1993
1994–1996
1995
1996
1996–1998
1998–1999
1999–2000
2000–2001
2001–2004
2004–2006
2006
2006
2007–2008
2008–2009
2009
2010
2010
2011
2016
2016
2017
Ferroviário
Sul América (emp.)
São Paulo
União São João (emp.)
Nacional de Manaus (emp.)
Gaziantepspor
Zürich
Lecce
Bologna
Roma
Lokomotiv Moscou
Qatar SC (emp.)
Dínamo de Moscou
Brescia
San José Earthquakes
Taranto
Nacional de Manaus
Rio Negro
São Raimundo
Fast
Otranto
Atletico Aradeo
Times/Equipas que treinou
2018–2019
2019
Uggiano Calcio
Deghi Calcio

CarreiraEditar

Em sua carreira, iniciada em 1990 no Ferroviário, jogou por empréstimo no Sul América em 1993. Passou também por São Paulo (onde foi campeão da Copa Conmebol de 1994, além de ter sido o pivô da eliminação do Tricolor da Copa do Brasil de 1996, após ser escalado de forma irregular), União São João e Nacional de Manaus até 1996, quando passou a defender clubes do exterior, com destaque para Roma (que pagou 3,7 bilhões de liras por sua contratação[2], em 2001) e Lokomotiv Moscou.

Jogou também por Gaziantepspor (Turquia), Zürich (Suíça), Lecce, Bologna, Qatar SC, Dínamo de Moscou, Brescia, San José Earthquakes (Estados Unidos) e Taranto, voltando ao Brasil em 2010 para defender novamente o Nacional de Manaus.

Após uma passagem pelo Rio Negro, Lima encerrou sua carreira pela primeira vez em 2011, no São Raimundo. Porém, uma proposta do Fast convenceu o ex-jogador - que trabalhava como diretor do Nacional até fevereiro - a cancelar a aposentadoria[3]. O vínculo foi válido apenas para os 2 jogos com o Paysandu, pela Copa Verde. Depois da eliminação do Rolo Compressor, regressou novamente à Itália para vestir as camisas de Otranto e Atletico Aradeo, dois clubes amadores da Apúlia, onde encerrou definitivamente a carreira em 2017.

Sua primeira experiência como treinador foi também no futebol apuliano, comandando Uggiano Calcio[4] e Deghi Calcio[5] entre 2018 e 2019.

TítulosEditar

São Paulo
Ferroviário
Roma
Lokomotiv Moscou

LinksEditar

Referências

  1. «Andarilho do futebol, o volante Lima viveu o seu auge com a camisa da Roma». Calciopédia. 19 de junho de 2020. Consultado em 19 de junho de 2020 
  2. «Francisco Lima è della Roma». AS Roma (em italiano). 22 de junho de 2001. Consultado em 1 de abril de 2010. Cópia arquivada em 2 de junho de 2002  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda)
  3. «Aos 44 anos, ex-Roma "desaposenta" e reforça o rival Fast para Copa Verde». GloboEsporte.com. 21 de março de 2016. Consultado em 21 de março de 2016 
  4. «Uggiano, scelto il nuovo tecnico: a guidare i gialloblù sarà Francisco Lima». DilettantiPuglia24. 23 de junho de 2018. Consultado em 23 de junho de 2018 
  5. «Deghi, termina l'avventura di mister Lima sulla panchina orange. Le motivazioni». DilettantiPuglia24. 16 de setembro de 2019. Consultado em 16 de setembro de 2019 
   Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.