Abrir menu principal

Francisco de Saldanha da Gama

Francisco de Saldanha da Gama
Cardeal da Santa Igreja Romana
Patriarca de Lisboa

Título

Cardeal-Patriarca de Lisboa
Atividade Eclesiástica
Diocese Patriarcado de Lisboa
Nomeação 28 de maio de 1759
Predecessor Dom José Manuel da Câmara
Sucessor Dom Fernando de Sousa e Silva
Mandato 1759 - 1776
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 1739
Nomeação episcopal 28 de maio de 1759
Ordenação episcopal 5 de agosto de 1759
por Dom José Dantas Barbosa
Nomeado Patriarca 28 de maio de 1759
Cardinalato
Criação 5 de abril de 1756
por Papa Bento XIV
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag of Portugal (1750).svg Lisboa
20 de maio de 1723
Morte Flag of Portugal (1830).svg Lisboa
1 de novembro de 1776 (53 anos)
Progenitores Mãe: Madalena de Mendonça
Pai: João de Saldanha da Gama
Sepultado Mosteiro dos Jerónimos
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Francisco de Saldanha da Gama (Lisboa, 20 de Maio de 1713 ou 1723Lisboa, 1 de Novembro de 1776) foi o terceiro Patriarca de Lisboa com o nome de D. Francisco I. Estudou em Coimbra direito canónico, tendo sido feito cardeal por Bento XIV em 1756, e nomeado Patriarca em 25 de Julho de 1758.

Seu pai foi João de Saldanha da Gama (19 de Março de 1674 – 5 de Maio de 1752), 68.º Governador e 41.º Vice-Rei da Índia de 1725 a 1732, por sua vez filho de Luís de Saldanha da Gama, 1.º Senhor de Assequins (c. 1640 – 24 de Setembro de 1721) e de sua primeira mulher (casados em 1661) Madalena de Mendonça (c. 1650). Casara em Lisboa, na Ajuda, em 9 de Dezembro de 1703 com Joana Bernarda de Noronha e Lancastre (Lisboa, Ajuda, 28 de Dezembro de 1686 – Lisboa, Ajuda, 5 de Maio de 1752). Entre seus filhos, além de Francisco, estava o primogénito, Luís de Saldanha da Gama de Melo e Torres, 4.º Conde da Ponte (nascido em 9 de dezembro de 1704) e Manuel de Saldanha da Gama, nascido em (Setubal, São Lourenço (Vila Nogueira de Azeitão, 21 de fevereiro de 1715–7 de novembro de 1780, Lisboa, Santos o Velho) que seria o segundo marido de Joana da Silva Caldeira Pimentel Guedes de Brito (nascida na Bahia, circa 1700–1762) filha de Antônio da Silva Pimentel (morto em 1706) e de Dona Isabel Maria Guedes de Brito, uma das maiores fortunas da Bahia. Era bisneto de Margarida de Vilhena e descendente do primeiro visconde de Vila Nova de Cerveira, Leonel de Lima. Morre a 1 de novembro de 1776, vinte e um anos após o terramoto de Lisboa, e o seu corpo encontra-se sepultado na Igreja do Mosteiro dos Jerónimos.

Referências

Ligações externasEditar