Francisco de Sales Gonçalves Zarco da Câmara

Francisco de Sales Gonçalves Zarco da Câmara
Nascimento 1819
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Prêmios Comendador da Ordem de Avis

Francisco de Sales Maria José António de Paula Vicente Gonçalves Soares da Câmara (Rio de Janeiro, Brasil, 29 de julho de 1819Elvas, 1 de outubro de 1872) foi o oitavo conde da Ribeira Grande, 1º marquês da Ribeira Grande, título para que foi mudado o de Ponta Delgada. Par do reino, alferes-mor do reino, alcaide-mor do castelo de S. Brás na cidade de Ponta Delgada; comendador da Ordem de S. Bento de Avis, etc. Sucedeu a seu pai no título de Conde da Ribeira Grande.[1]

Faleceu em 1 de Outubro de 1872, em Elvas, aos 53 anos de idade, e o ataúde veio para o Palácio dos Condes da Ribeira Grande em Alcântara (Lisboa), o mesmo que tinha sido remodelado por ele anos antes.[2] Foi sepultado em jazigo no Cemitério do Alto de São João.

Dados genealógicosEditar

Era filho do 7º Conde da Ribeira Grande, D. José Maria Gonçalves Zarco da Câmara e de sua segunda mulher, D. Mariana de Almeida Portugal (1785-1849).

Casou em primeiras núpcias a 5 de outubro de 1840 com D. Ana da Piedade Brígida Senhorinha Francisca Máxima Gonzaga de Bragança Mello e Ligne Sousa Tavares Mascarenhas da Silva Câmara (Sintra, 8 de outubro de 1822 - Quinta dos Lagares, São Jorge de Arroios, 18 de julho de 1856), filha da 3ª duquesa de Lafões, de quem teve:

Casou em segundas núpcias a 25 de junho de 1857 com sua cunhada D. Maria da Assunção de Bragança Mello e Ligne Sousa Tavares Mascarenhas da Silva Câmara (Beato (Lisboa), 24 de setembro de 1831 - Alcântara (Lisboa), 27 de maio de 1858), de quem teve:

Casou em 11 de maio de 1867 com D. Luísa da Madre de Deus da Cunha Menezes Câmara (9 de julho de 1843 - ?), filha de D. Carlos da Cunha Menezes, da casa dos Condes de Lumiares, e de sua mulher, D. Maria Joaquina Quintela Farrobo, de quem teve:

TítulosEditar

Nomeado par do reino em 20 de novembro de 1843. Sucedeu, no título de Marquês, sua tia, D. Leonor da Câmara, marquesa de Ponta Delgada, título que lhe fora concedido em duas vidas, e que foi renovado, como verificação da 2ª vida, sendo então mudado para o da Ribeira Grande,[3] por decreto de 5 de setembro de 1855 pelo rei D. Pedro V de Portugal. O título foi outorgado em vida do 1º titular, tendo apenas sido renovado no 12º conde da Ribeira Grande.

Após a instauração da República e o fim do sistema nobiliárquico, foram pretendentes ao título José Vicente Gonçalves Zarco da Câmara (1931).

Brasão concedido a seu ascendente, João Gonçalves Zarco, descobridor da ilha da Madeira, por D. Afonso V, em 1460, e ampliando-lhe essa mercê com a concessão de usar o apelido de Câmara de Lobos. É o seguinte: Em campo verde, uma torre de prata sentada sobre um monte da sua cor com um coruchéu ou cúpula de ouro, e uma cruz no remate, do mesmo metal, entre dois lobos de sua cor arrimados à torre.

Referências

Ligações externasEditar

Precedido por
José Maria
Gonçalves Zarco da Câmara
Conde da Ribeira Grande
(8.º)

1820 - 1872
Sucedido por
José Maria
Gonçalves Zarco da Câmara