Franjo Tuđman

político e escritor croata, 1° Presidente da Croácia

Franjo Tuđman (Veliko Trgovišće, 14 de maio de 1922Zagreb, 10 de dezembro de 1999) foi um historiador, escritor e político croata. Foi o primeiro presidente da Croácia após a independência do país de 1990 até 1999, ano de sua morte. O presidente sérvio, Slobodan Milošević e Franjo Tudjman da Croácia, foram os principais arquitetos da dissolução da Iugoslávia e o ressurgimento do nacionalismo nos Bálcãs.[1] Governou de 1990 até à sua morte, em 10 de dezembro de 1999. Por suas contribuições para a independência da Croácia é chamado de o "Pai da Croácia".[2]

Franjo Tuđman
Franjo Tuđman
1.° Presidente da Croácia
Período 30 de maio de 1990
a 10 de dezembro de 1999
Sucessor(a) Vlatko Pavletić
Dados pessoais
Nascimento 14 de maio de 1922
Veliko Trgovišće, Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos
Morte 10 de dezembro de 1999 (77 anos)
Zagreb, Croácia
Cônjuge Ankica Tuđman
Partido União Democrática Croata (HDZ)

BiografiaEditar

Aos 19 anos ingressou na guerrilha antifascista de Josip Broz Tito, depois da guerra, foi o mais jovem general do Exército Popular da Iugoslávia com apenas 23 anos. Defendia posições croatas ultranacionalistas após a morte de Tito (1980) e, em 1990 e liderou um partido chamado Hrvatska Demokratska Zajednica - HDZ (União Democrática Croata) - que por sua vez, era a ponta do movimento de independência da Croácia no final século XX. A HDZ conseguiu reunir a maioria do povo croata da Croácia e na Bósnia e Herzegovina, nas primeiras eleições democráticas, logo após a queda do comunismo na República Socialista Federativa da Iugoslávia. Seu objetivo é cristalizado em 30 de maio de 1990 através de um referendo nacional para a independência da Croácia.

Antes de reaparecer no cenário político da antiga Iugoslávia como líder da HDZ, era um dissidente político para suas ideias nacionalistas.

 
O túmulo de Tudjman, outubro de 2005

Suas posições nacionalistas e separatistas o levou à presidência da Croácia e a independência desse país. Parou habilmente o exército iugoslavo (JNA), na Croácia, que era muito superior em armas, com a combinação de armistício e de defesa do território do país. Depois que as forças internacionais da UNPROFOR finalmente interpuseram-se entre o Estado auto-proclamado sérvio na Croácia e as forças da Croácia, Franjo Tudjman decidiu organizar e armar o Exército Croata (HV), preparando-se para as operações Bljesak y Oluja de 1995, com a qual recuperou a integridade territorial do país. Foi investigado por crimes contra a humanidade pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia acusado de limpeza étnica contra a população sérvia da Krajina.

Segundo o historiador belga Michel Collon, Tudjman era "um racista que ativamente espalhou o ódio étnico e pregou a fragmentação da Iugoslávia".[3] Seus detratores, como seu sucessor a presidente da Croácia, Stjepan Mesić, acusou-o de não entender a situação na Bósnia e Herzegovina e a situação nacional dos bósnios muçulmanos. Parece que Tudjman contava este grupo como parte integrante do povo croata, considerando-os "croatas da religião islâmica", como aconteceu durante o mandato na Bósnia pelos Ustashas durante a Segunda Guerra Mundial. Estes e outros erros de cálculo de sua parte causaram uma guerra entre os bósnios croatas dirigidos a partir de Zagreb (os croatas da Bósnia e Herzegovina) e os bósnios durante a Guerra da Bósnia. Os bósnios muçulmanos não queriam que nenhuma parte da Bósnia e Herzegovina fosse separada e anexada à Croácia. Outros o acusam de ter negociado diretamente com Slobodan Milošević, através do Acordo Karadjordjevo, a divisão da Bósnia e Herzegovina entre a Croácia e a Sérvia, com base em alguns documentos visuais.[4]

Morreu de câncer em 1999. Com sua morte, se produziu a ascensão ao poder de posturas mais moderadas, benéficas para a integração étnica e celebradas pelo resto dos estados balcânicos.[5]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Encyclopédie Universalis 2008 aricle Franjo tudjman
  2. http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/294990.stm
  3. nodo50 «Las mentiras de la guerra de Yugoslavia Arquivado em 29 de dezembro de 2010, no Wayback Machine.» Consultado em 5 de agosto de 2010
  4. El Mundo. El triunfo del Estado-nación.
  5. Instituto del Tercer Mundo. Guía del mundo: el mundo visto desde el Sur. IEPALA Editorial, 2001. ISBN 9974574307, pág. 154

Links externosEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Franjo Tuđman

Cargos políticos
Precedido por
Ivo Latin
(as President of the Presidency of Croatia)
post created
President of Croatia

30 May 1990 – 10 December 1999
Sucedido por
Vlatko Pavletić (acting)
Escritórios de partidos políticos
Precedido por
Post established
União Democrática Croata
17 June 1989 – 10 December 1999
Sucedido por
Vladimir Šeks (acting)
Cargos militares
Precedido por
New Title
Vrhovnik
22 March 1995 – 10 December 1999
Sucedido por
Title Abolished