Frederico, Duque de Saxe-Altemburgo (1599-1625)

Frederico de Saxe-Altemburgo (12 de Fevereiro de 1599, Torgau – 24 de Outubro de 1625, Seelze) foi um membro do ramo ernestino da Casa de Wettin, duque de Saxe-Altemburgo e duque de Jülich-Cleves-Berg. Por vezes, Frederico é referido como "Frederico, o Jovem", para ser destingido do príncipe Frederico de Saxe-Weimar, uma vez que, à nascença, ambos tinham o mesmo nome e título.

Frederico
Duque de Saxe-Altemburgo
Duque de Saxe-Altemburgo
em conjunto com os irmãos
Reinado 1602–1625
Antecessor(a) João II, Duque de Saxe-Weimar
Sucessor(a) Frederico Guilherme II, Duque de Saxe-Altemburgo
 
Casa Wettin
Nascimento 12 de fevereiro de 1599
  Torgau, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 24 de outubro de 1625 (26 anos)
  Seelze, Principado de Brunsvique-Volfembutel, Sacro Império Romano-Germânico
Pai Frederico Guilherme I, Duque de Saxe-Weimar
Mãe Ana Maria do Palatinado-Neuburgo

VidaEditar

Frederico era o terceiro filho do duque Frederico Guilherme I de Saxe-Weimar (1562–1602) e da sua segunda esposa, a condessa Ana Maria (1575–1643), filha de Filipe Luís, Conde Palatino de Neuburgo.

Após a morte do seu pai, Frederico herdou o Ducado de Saxe-Altemburgo juntamente com os seus irmãos João Filipe, João Guilherme e Frederico Guilherme II. Os seus guardiãs durante a menor idade foram Cristiano II, Eleitor da Saxónia e o seu tio, o duque João II. Após a morte de João II em 1605, Cristiano II passou a ser o seu único guardião.

Após a Guerra de Sucessão de Jülich, os irmãos receberam os condados de Jülich, Cleves e Berg. No entanto, como ainda eram menores de idade, apenas puderam utilizar o título e o brasão de armas. Em 1612, os irmão entraram na Universidade de Leipzig para completar a sua educação. Frederico e João Filipe participaram no Congresso da Princesa em Naumburgo em 1614, onde foi criada a aliança de heranças entre Brandemburgo, Hesse e a Saxónia.

Em 1618, o irmão mais velho, João Filipe, atingiu a maioridade e começou a governar de forma independente. Os irmãos mais novos decidiram permitir-lhe governar sozinho mesmo depois de eles atingirem a maioridade, em troca de uma compensação financeira. Inicialmente, o acordo só tinha a validade de alguns anos, mas, em 1624, foi alargado por tempo indeterminado.

Frederico prestou serviço militar às ordens do eleitor João Jorge I da Saxónia e lutou na Guerra dos Trinta Anos em Lusatia e na Boémia. A partir de 1622, passou a comandar o seu próprio regimento, no entanto, este acabaria por ser desmembrado por falta de pagamento. Depois, Frederico passou a servir às ordens de Cristiano, o Jovem de Brunsvique. Durante a Batalha de Stadtlohn em 1623, Frederico e Guilherme, Duque de Saxe-Weimar foram feitos prisioneiros pelo General Tilly, que entregou os duques ao sacro-imperador. Frederico esteve em cativeiro durante algum tempo, mas foi libertado em 1624 graças à intervenção de João Jorge I.

Em 1625, Frederico tornou-se comandante de cavalaria no exército da Dinamarca. Juntamente com o seu regimento, Frederico tinha um posto militar em Seelze. Foram atacados por Tilly e Frederico morreu com uma ferida na cabeça. Hans Michael Elias von Obentraut  morreu durante o mesmo ataque. O corpo de Frederico foi sepultado em Hanôver, mas foi transladado mais tarde para a Igreja dos Irmãos em Altemburgo. Frederico morreu solteiro e sem deixar descendência.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Frederico, Duque de Saxe-Altemburgo em três gerações
Frederico, Duque de Saxe-Altemburgo Pai:
Frederico Guilherme I, Duque de Saxe-Weimar
Avô paterno:
João Guilherme, Duque de Saxe-Weimar
Bisavô paterno:
João Frederico I da Saxônia
Bisavó paterna:
Síbila de Cleves
Avó paterna:
Doroteia Susana do Palatinado-Simmern
Bisavô paterno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavó paterna:
Maria de Brandenburg-Kulmbach
Mãe:
Ana Maria do Palatinado-Neuburgo
Avô materno:
Filipe Luís, Duque Palatino de Neuburgo
Bisavô materno:
Wolfgang, Conde Palatino de Zweibrücken
Bisavó materna:
Ana de Hesse
Avó materna:
Ana de Cleves
Bisavô materno:
Guilherme, Duque de Jülich-Cleves-Berg
Bisavó materna:
Maria da Áustria

Referências e fontesEditar

  • Johann Samuel Ersch: Allgemeine Encyclopädie der Wissenschaften und Künste, Leipzig 1849, p. 64 ff (Digitized)