Furacão Alex (2004)

Furacão Alex
Furacão maior categoria 3 (SSHWS/NWS)
imagem ilustrativa de artigo Furacão Alex (2004)
O furacão Alex deixando a costa leste dos Estados Unidos em 4 de agosto
Formação 31 de julho de 2004
Dissipação 6 de agosto de 2004

Ventos mais fortes sustentado 1 min.: 205 km/h (125 mph)
Pressão mais baixa 957 mbar (hPa); 28.26 inHg

Fatalidades 1
Danos $8,19 milhões de dólares
Valores corrigidos em 2007
Áreas afectadas Estados Unidos (Outer Banks, Carolina do Norte)
Parte da Temporada de furacões no oceano Atlântico de 2004

O Furacão Alex foi o primeiro grande furacão de 2004 no Oceano Atlântico. Não chegou a Terra mas aproximou-se 16 km do litoral da Carolina do Norte causando inundação e ventos fortes. Alex foi considerado de categoria 3 pela Escala de Furacões de Saffir-Simpson com ventos de 178 a 210 km/h.

O furacão se formou nas Bahamas, alcançando estado de depressão tropical no dia 31 de julho de 2004, em 1 de agosto com ventos suficientes para se classificado como uma tempestade tropical.

Em 3 de agosto, oficialmente foi designado como um furacão. Alex continuou a fortalecer, tornando-se de categoria 2. O estrago foi limitado a inundação e ventanias calculando prejuízos de 2,4 milhões na Carolina do Norte, com um total de prejuízos de aproximadamente cinco milhões de dólares, somando uma vítima morta pelo ocorrido.

Em 4 de agosto moveu-se mar a dentro e contrariando as previsões de que começaria a enfraquecer, ele se fortaceu chegando a ventos de 120 mph (195 km/h), um furacão de categoria 3.

Em 6 de agosto, Alex foi se enfraquecendo e classificado como uma tempestade extratropical, onde acabou sua atividade.

Ver tambémEditar

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.