Abrir menu principal

Günter Bialas

professor académico alemão
Günter Bialas
Nascimento 19 de julho de 1907
Ruda Śląska
Morte 8 de julho de 1995 (87 anos)
Glonn
Cidadania Alemanha
Alma mater Universidade de Breslávia
Ocupação compositor, maestro, professor de música, professor universitário, pianista
Prêmios Ordem do Mérito da Baviera, Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, Ordem Maximiliana da Baviera para Ciência e Arte
Empregador Faculdade de Música Detmold, Universidade de Breslávia

Günter Bialas (Ruda Śląska, 19 de julho de 1907Glonn, 8 de julho de 1995) foi um compositor alemão.

Índice

VidaEditar

Bialas nasceu em Beilschowitz. Enquanto era adolescente, recebeu lições de piano e música teórica de Fritz Lubrich, um estudante de Max Reger, entre 1922 e 1925. Depois de se graduar no Minderheiten-Gymnasium em Kattowitz em 1926, ele estudou musicologia e história no Friedrich-Wilhelms-Universität zu Breslau de 1927 até 1931. Ele então continuou seus estudos musicais na Academia Prussiana de Artes em Berlim e consequentemente lecionou no Ursuline Girls' School in Breslau-Karlowitz de 1934 até 1937. Ele também estudou composição com Max Trapp em Berlim.

Depois do serviço militar, ele e sua esposa, a cantora Gerda Specht tiveram que deixar sua terra. Eles foram morar na Baviera em 1946 e Bialas encontrou trabalho como maestro no Bach-Verein. De 1947 até 1959 ele ensinou composição no Nordwestdeutschen Musikakademie.

Pelas suas composições, Bialas foi reconhecido com muitos prêmios e homenagens. Depois da sua morte em 1995, uma rua em sua cidade natal adotou seu nome.

ObrasEditar

óperasEditar

  • Hero und Leander (estreia em 1966, Mannheim)
  • Die Geschichte von Aucassin und Nicolette (estreia em 1969, Munique)
  • Der Gestiefelte Kater (estreia em 1976, Schwetzingen)
  • Aus der Matratzengruft (estreia em 1992, Kiel)

BalletEditar

  • Meyerbeer-Paraphrasen (premiered 1974, Hamburg)

OratóriosEditar

CantatasEditar

  • Indianische Kantate (1949), baseada em poemas do compositor, para barítono, coro de câmara, 8 instrumentos e tambores
  • Preisungen (1964), baseada em texto de Martin Buber, para barítono e orquestra

Obra orquestralEditar

  • Romanzero (1955)
  • Seranata (1955)
  • Sinfonia Piccola (1960)
  • Waldmusik (1977)
  • Der Weg nach Eisenstadt (1980), fantasias em Haydn
  • Marsch-Fantasie (1987)
  • Ländler-Fantasie (1989)

ConcertosEditar

  • Concerto Lirico (1967) para piano e orquestra
  • Introitus - Exodus (1976) para órgão (instrumento musical) e orquestra
  • Música para Piano e Orquestra (1990)
  • Concerto para violoncelo No. 2 (1992)

Música de câmaraEditar

Música instrumental solistaEditar

  • Lamento, vier Intermezzi und Marsch (1986) para piano

Ligações externasEditar