Gabu (cidade)

cidade da Guiné-Bissau
Disambig grey.svg Nota: Se procura Reino africano de Gabu, veja Reino de Gabu.
Gabu
Gabu.PNGBandeira Gabu.PNG
Gabumainstreet.jpg
Geografia
País
Província
Província Leste (en)
Subdivisões
Parte de
Sede
Sector de Gabu
Capital de
Altitude
39 m
Coordenadas
GW-Gabu.png
Demografia
Gentílico
gabuense
Funcionamento
Diocese

Gabu é uma cidade da Guiné-Bissau pertencente ao sector de mesmo nome, capital da região de Gabu. Localiza-se às margens do rio Campossa, ao centro de sua região.

Segundo o censo demográfico de 2009 o sector possuía uma população de 81 495 habitantes,[1] sendo que 41 612 habitantes somente na zona urbana da cidade de Gabu, distribuídos numa área territorial de 2 122,8 km².[2][3] Com tais números, é a segunda mais populosa cidade do país, superada somente por Bissau e, efectivamente a maior localidade do leste da nação.[4].

Situa-se a cerca de 263 quilómetros de Bissau e funciona como um um grande centro de comércio.

HistóriaEditar

A cidade foi um importante centro do antigo reino mandinga de Gabu. O seu povo era originário de Mandé, atual Mali, e parte da Guiné-Conacri.

EconomiaEditar

A economia local assenta na produção de frutas, legumes, carvão, peixe, carne, artesanato e cerâmica. Uma característica distintiva de Gabú são os burros que circulam nas ruas, como não se vê no resto do país, e que são utilizados na lavoura e no transporte de mercadorias e de pessoas.[5].

InfraestruturaEditar

TransportesEditar

Gabu é um dos grandes entroncamentos rodoviários do país, sendo ligada ao território nacional pela Estrada Nacional nº 1 (N1), que a conecta à Bafatá, ao norte, e a Piche, ao leste. Outra rodovia importante é a Estrada Nacional nº 4 (N4), que a liga a cidade de Pirada, ao oeste, e a Madina do Boé, ao sul. Já pela Estrada Local nº 21 (L21), há acesso a cidade de Sonaco, ao noroeste, e; pela Estrada Local nº 23 (L23) à vila-secção de Cabuca, ao sudeste.[6]

Gabu possui um dos três aeroportos em funcionamento da nação (os demais são os de Bubaque e Bissau), o Aeródromo de Gabu-Nova Lamego, recebendo voos esporádicos somente de Bissau. O aeródromo está em vias de ser interditado, dado que a cidade o cercou e sua pista é utilizada como rua.

ComunicaçõesEditar

Em sinal de televisão aberta, existe o canal Televisão da Guiné-Bissau, e; entre as operadoras de rádio, há transmissões da Rádio Sol Mansi, da Rádio Gandal, da Rádio Sintchã Occo, da Rádio Jovem Bissau e da Radiodifusão Nacional da Guiné-Bissau. Os serviços postais, de encomendas e de cargas da cidade e do sector são geridos pelos Correios da Guiné-Bissau.[7]

Referências

  1. «Guinea Bissau Census Data, 2009 - Série Temporal de População Total Residente - Sector de Gabu». Instituto Nacional de Estatística. 15 de janeiro de 2016. Consultado em 20 de outubro de 2020 
  2. Estudo: Guiné-Bissau. Lisboa: ANEME, 2018.
  3. «Boletim Estatístico da Guiné-Bissau: Guiné-Bissau em Números 2015» (PDF). Instituto Nacional de Estatística. 2015 
  4. World Gazetteer, Obtido em 16 de junho 2008
  5. Benzinho, Joana; Rosa, Marta (2018). Guia Turístico - À Descoberta da Guiné-Bissau. Coimbra: Afectos com Letras, UE. 16 páginas
  6. Mapa Rodoviário da Guiné-Bissau. Direcção Nacional de Estradas e Pontes. Outubro de 2018.
  7. Lopes, António Soares. (Agosto de 2015). Os media na Guiné-Bissau (PDF). Bissau: Europress / Edições Corubal