Abrir menu principal

Galandum Galundaina


Galandum Galundaina
Informação geral
Origem Miranda do Douro
País Portugal Portugal
Gênero(s) Tradicional
Período em atividade 1996 - presente
Integrantes Paulo Meirinhos
Paulo Preto
Alexandre Meirinhos
João Pratas
Página oficial Página Oficial

Galandum Galundaina é um grupo de música tradicional mirandesa criado em 1996 com o objectivo de recolher, investigar e divulgar o património musical, as danças e a língua das terras de Miranda (mirandês). O grupo faz a ligação entre a antiga geração de músicos e a geração mais jovem, assegurando a continuidade da rica tradição cultural desta região, que durante anos correu o risco de se perder.

A bandaEditar

Os instrumentos usados, réplicas de outros muito antigos, que mantêm o aspecto e sonoridade dos mesmos, são gaitas de fole mirandesas, flauta pastoril, sanfona, caixa de guerra, conchas de Santiago, castanholas, pandeireta, etc.

Além da música instrumental, o grupo apresenta um repertório de música com vozes, reproduzindo fielmente as melodias tradicionais, enriquecidas com timbres, ritmos e harmonias capazes de criar emoção e, porque não, alguma modernidade.

Os elementos do grupo nasceram e cresceram em Terras de Miranda (Fonte de Aldeia e Sendim) onde adquiriram conhecimento directo da música que interpretam através do ambiente familiar, do convívio com os velhos gaiteiros, e da consulta de velhas gravações. Além da tradição musical familiar, os elementos do grupo têm também formação académica na área da música.

Em 1996 nasce o grupo de música tradicional mirandesa Galandum Galundaina, com o objectivo de recolher, investigar e divulgar o património musical, as danças e a língua das terras de Miranda.

Recebem o prémio de melhor maquete tradicional nos Prémios Maqueta de 1999 organizado pela Deixe de Ser Duro de Ouvido [1].

Em 2001 foi editado o disco "L Purmeiro". 2005 é o ano de "Modas I Anzonas". Em 2006 é lançado o DVD "Galandum Galundaina ao Vivo". Em 2010 é editado "Senhor Galandum". Recebem o Prémio Megafone 2010 [2] e o disco foi reconhecido pelos jornais Público e Blitz como um dos dez melhores álbuns nacionais do ano.

Organizam o Festival itinerante de cultura tradicional “L Burro i l Gueiteiro” e criam uma associação com o nome do grupo.

Em 2012 fazem uma versão de "Bebe Vinho" dos Peste & Sida para o disco de tributo ao grupo. Em 2015 é editado "Quatrada", o quarto disco do grupo.

Para 2017 está prevista a publicação de "20 Anos Galandum Galundaina" da autoria de Soraia Simões [3].

MembrosEditar

ActuaisEditar

Por vezes em concerto também são acompanhados por um grupo de pauliteiros formado por jovens de Fonte Aldeia, Sendim e Miranda do Douro.

AntigosEditar

  • Manuel Meirinhos: voz, percussões tradicionais, flauta pastoril e tamboril

DiscografiaEditar

  • 2001 - L Purmeiro
  • 2005 - Modas I Anzonas - Açor/Emiliano Toste
  • 2010 - Senhor Galandum - Açor/Emiliano Toste
  • 2015 - Quatrada - Açor/Emiliano Toste

VideografiaEditar

  • 2006 - "Galandum Galundaina ao Vivo"

L Burro i l GueiteiroEditar

Além de preservar e desenvolver a música tradicional mirandesa, os galanduns, como são conhecidos, estão comprometidos com a preservação da cultura mirandesa como um todo, aí incluídas a gastronomia, a dança, a fauna e a flora. Em especial, a subespécie de asinino conhecida como burro-de-miranda e suas variedades, autóctone da região de Terra de Miranda e ameaçada de extinção.

Para tanto, o Galadum Galundaina ajuda a promover o festival anual L Burro i l Gueiteiro, que é itinerante e promove atividades diversas na região mirandesa.

MirandêsEditar

Integrantes do grupo Galandum Galundaina ainda se esforçam na preservação da língua mirandesa, ministrando aulas na escola pública de Miranda do Douro, onde ainda ensinam músicas tradicionais da região.

Ligações externasEditar