Abrir menu principal
Garcia Júnior
Nome completo Manoel Garcia Júnior
Nascimento 2 de março de 1967 (52 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Residência Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Ator
Dublador
Radialista
Tradutor
Diretor de dublagem
Atividade 1977–presente
Progenitores Mãe: Dolores Machado
Pai: Garcia Neto

Manoel Garcia Júnior (São Paulo, 2 de março de 1967) é um ator, dublador, radialista,[1] tradutor e diretor de dublagem brasileiro. Manoel é filho dos também dubladores Garcia Neto e Dolores Machado.[2]

Garcia Jr. começou na dublagem aos 10 anos de idade em 1977, na BKS, substituindo Olney Cazarré no personagem Pica-Pau, e tornou-se conhecido por ter dublado He-Man, Pica-Pau, Pato Donald, Simba em O Rei Leão, Angus MacGyver em Profissão: Perigo, Capitão Kirk na 2ª dublagem da série clássica de Star Trek (1ª voz), Gênio na série animada Os Smurfs , James Bond em Quantum of Solace, Skyfall e Spectre. É também renomado por ser a principal voz do ator austríaco Arnold Schwarzenegger no Brasil.[3]

Como diretor, foi o responsável pelos filmes Peter Pan: De Volta à Terra do Nunca, Procurando Nemo, Os Incríveis, Carros, além de ter sido o tradutor.[4] Nos anos 80, Garcia Jr. era um dos dubladores mais escalados da Herbert Richers. Ele ocupou o cargo de diretor de criação da Disney Character Voices International Inc., durante 17 anos, entre 1994 e 2011, quando foi substituído por Marina Appelt e Rául Aldana, respectivamente.

BiografiaEditar

Manoel "Manny" Garcia Júnior nasceu em 1967, na cidade de São Paulo, filho dos dubladores Garcia Neto e Dolores Machado.

García Júnior participou de um programa de TV de Omar Cardoso, um astrólogo, em 1969, onde seu pai era produtor, e o colocou para fazer parte do programa como um culpido, porém o programa durou pouco, até o 1970, García Júnior passou a infância toda em teatros, estúdios de Rádio e de dublagem, como a BKS, onde seus pais trabalhavam, mas em 1977, no estúdio BKS, o dublador que fazia a voz do Pica-Pau, Olney Cazarré, teve que ir ao Rio de Janeiro, para fazer parte de uma novela, e Garcia Júnior que estava nos estúdios da BKS no dia da escolha do novo dublador do Pica Pau, fez o teste, sem esperança, e passou para dublar, porém ele nunca tinha dublado, e José Soares, que ia dirigir, não aceitou dirigir alguém que nunca tinha dublado antes, que havia ganhado um papel grande como Pica-Pau, e desistiu da direção da dublagem do desenho, passando a Garcia Neto, o pai de Garcia Júnior, a tarefa de dirigir a dublagem do desenho, traduzir e fazer a locução da série, a qual deixou de fazer em 1979, porém continuou a dublar outras produções.

Em 1982, Garcia Júnior e seus pais se mudaram para o Rio de Janeiro, e passaram a dublar na Herbert Richers, na Telecine, na VTI Rio, e, principalmente, na Herbert Richers. Em 1985, Júnior passou a fazer o personagem título da serie He-Man, um de seus papéis de mais destaques, e, em 1988 García Júnior passou a fazer a voz do ator Arnold Schwarzenegger. Em 1991, Garcia Júnior passou a traduzir e dirigir dublagens inicialmente na Herbert Richers, tornando-se diretor de criação da parte brasileira da Disney e passando a trabalhar no estúdio de dublagem Delart em 1994.

Em 1996, Garcia Neto, o pai de Garcia Júnior, faleceu de um câncer. Três anos depois, Garcia Júnior dirigiu o longa metragem Toy Story 2, dando sequência a Toy Story, que foi dirigido por seu pai. Em 2005, Garcia Júnior para de dublar na Herbert Richers, e passa a dublar somente na Delart, se afastando parcialmente da dublagem em 2008, se dedicando apenas para seus trabalhos da Disney. Em 2011 Garcia Júnior foi demitido de seu cargo na Disney, voltando a dublar na Wan Macher, na Cinevideo, e, principalmente, na Delart, onde faz isso até hoje em dia.

CarreiraEditar

  • Otto Mann em Os Simpsons (da 1ª até a 2ª temporada);
  • Turbo em Rambo;
  • Corredor X em Speed Racer (2ª dublagem)

Referências

  1. Garcia Junior, dublador e diretor de criação
  2. Editora TrêsIstoÉ (497-509): 43. 1986 
  3. Dana, Lorena. «Conheça mais de 60 dubladores brasileiros de personagens famosos». Superinteressante. Consultado em 12 de dezembro de 2012 
  4. Lobão, David Denis (17 de dezembro de 2004). «Crítica: a dublagem carioca de "Os Incríveis"». ohaYO!. Consultado em 12 de dezembro de 2012 
  5. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome casa
  6. Léo Francisco (18 de março de 2009). «Exclusivo: Animação Os Incríveis é redublado pela Disney»  Parâmetro desconhecido |pubicado= ignorado (ajuda)

Ligações externasEditar