Abrir menu principal
Gemini XII
Gemini 12 insignia.png
Informações da missão
Operadora NASA
Foguete Titan II GLV 62-12567
Espaçonave Gemini SC12
Astronautas Jim Lovell
Buzz Aldrin
Base de lançamento Complexo 19,
Estação da Força Aérea
de Cabo Kennedy
Lançamento 11 de novembro de 1966
20h46min33s UTC
Cabo Kennedy, Flórida,
 Estados Unidos
Amerrissagem 15 de novembro de 1966
19h21min04s UTC
Oceano Atlântico
Órbitas 59
Duração 3 dias, 22 horas,
34 minutos, 31 segundos
Altitude orbital 289 quilômetros
Inclinação orbital 28,8 graus
Imagem da tripulação
Aldrin e Lovell
Aldrin e Lovell
Navegação
Gemini XI

Gemini XII foi a décima e última missão do Projeto Gemini, o segundo programa espacial tripulado da NASA. Ocorreu entre 11 e 15 de novembro de 1966, e além de uma acoplagem com o Veículo Alvo Agena em órbita, o astronauta Buzz Aldrin realizou a mais longa e bem sucedida caminhada espacial do programa.

TripulaçãoEditar

PrincipalEditar

Posição Astronauta
Piloto Comandante James A. Lovell Jr.
Piloto Edwin E. "Buzz" Aldrin Jr.

ReservaEditar

Posição Astronauta
Piloto Comandante L. Gordon Cooper Jr.
Piloto Eugene A. Cernan

MissãoEditar

 
'Buzz' Aldrin no espaço durante a missão.

Após o encerramento da missão anterior, a Gemini XI, o programa ainda não tinha demonstrado que um astronauta poderia realizar Atividades extra-veiculares com facilidade e trabalhar com tranquilidade e eficiência fora da nave na falta de gravidade. Durante os preparativos para o voo da Gemini XII, novos locais de apoio foram instalados fora da cápsula e um nova técnica de treinamento para simulação de trabalho no espaço, feito sob a água, foi introduzida para as tripulações, tornando-se a partir daí a principal para os futuros voos do programa espacial norte-americano.

Aldrin passou mais de cinco horas fora da nave, em duas etapas diferentes. Na primeira saída, em que ele esteve fora da nave preso a um longo cabo, durou 2 h 29 min, e nela Aldrin fotografou as estrelas e recolheu um detector de micro meteoritos instalado fora da cápsula, demonstrando a praticabilidade de se trabalhar no espaço. Além disso, a acoplagem com o foguete Agena, agora já uma rotina das missões Gemini, foi feita manualmente sem percalços, e através de controles de computador quando o radar da Gemini teve problemas de funcionamento.

A nave foi concebida para acoplar e desacoplar com o Agena, para permitir e realizar AEVs, fazer manobras de mudanças de órbita usando o motor de propulsão do Agena e demonstrar a exatidão da reentrada na atmosfera terrestre comandada por computadores. Vários experimentos científicos também foram realizados durante a missão, entre eles diversos tipos de fotografias e a coleta de micro meteoritos.

Aldrin, segundo diversos documentários posteriores da NASA, foi um dos principais responsáveis por criar e introduzir no programa as novas técnicas de treinamento para caminhadas espaciais, incluindo o treinamento subaquático. James Lovell, o comandante da Gemini XII, também comandaria a quase-fatídica missão Apollo 13, três anos e meio depois, em abril de 1970.

InsígniaEditar

A insígnia da missão foi desenhada usando como fundo as cores laranja e preto, devido à proximidade com o Dia das Bruxas. Com esta sendo a última missão do programa Gemini, que seria substituído em seguida pelo programa Apollo, o então objetivo final do programa espacial – a Lua – foi representado pelo crescente do lado esquerdo do brasão.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gemini XII