Gemisto Pletão

Gemisto Pletão
Nascimento 1355
Constantinopla
Morte 26 de junho de 1452 (97 anos)
Mistras
Cidadania Império Bizantino
Ocupação filósofo, escritor
Manuscrito de Gemisto Pletão.

Jorge Gemisto Pletão (ou Pléton; em grego: Γεώργιος Πλήθων Γεμιστός; Mistra, 1355 - Peloponeso. 1452) foi um filósofo e erudito grego neoplatônico, um dos pioneiros no revival do aprendizado dos mestres gregos no início da Renascença na Europa Ocidental.

Pletão participou do Concílio de Ferrara, e posteriormente se instalou em Florença, onde iniciou sua lições de filosofia platônica, que impulsionaram a criação da Academia Florentina por Cosme I de Médici, em 1459. Seu platonismo, no qual se mesclam elementos neoplatônicos, neopitagóricos e aristotélicos, configura-se como um emanatismo aonde a alma é uma emanação das idéias, que por sua vez emanam do Uno, ou de Deus e aspira a uma restauração do politeísmo grego, ao qual devia subordinar-se o cristianismo.

Plethon foi o autor de De Differentiis, uma descrição das diferenças entre as concepções de Deus entre Platão e Aristóteles.

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ver tambémEditar

Lista de humanistas do Renascimento