Abrir menu principal
Gennady Rozhdestvensky
Nascimento 4 de maio de 1931
Moscou
Morte 16 de junho de 2018 (87 anos)
Moscou
Sepultamento Cemitério Vvedenskoye
Cidadania União Soviética, Rússia
Progenitores Mãe:Natalya Rozhdestvenskaya
Pai:Nikolai Anosov
Cônjuge Viktoria Postnikova
Alma mater Escola Central de Música
Ocupação maestro, compositor, professor de música, pianista
Prêmios Ordem do Sol Nascente, 3.ª classe, Ordem de Lenin, Herói do Trabalho Socialista, Artista do Povo da União Soviética, Ordem "Por Mérito à Pátria", Classe II, Terceiro grau da Ordem ao Mérito pela Pátria, Quarto grau da Ordem ao Mérito pela Pátria, Ordem da Bandeira Vermelha do Trabalho, Artista do Povo da República Socialista Federativa Soviética da Rússia, Artista Honorário da República Socialista Federativa Soviética da Rússia, Prêmio Lenin, Ordem ao Mérito pela Pátria de 1.ª classe, Comandante da Ordem do Império Britânico, Prêmio Estatal da Federação Russa
Empregador Conservatório de Moscou

Gennady Nikolayevich Rozhdestvensky (em russo: Генна́дий Никола́евич Рожде́ственский, Moscou, 4 de maio de 1931 - 16 de junho de 2018) foi um maestro russo.

Índice

BiografiaEditar

Gennady Nikolayevich Rozhdestvensky nasceu em Moscou, Rússia. Seu pai era o notável maestro e pedagogo Nikolai Anosov, e sua mãe a soprano Natalya Rozhdestvenskaya. Seu nome era, inicialmente Gennady Nikolayevich Anosov, mas ele adotou o sobrenome de sua mãe, como forma masculina para sua carreira profissional, para não parecer nepotismo.

Ele estudou condução com seu pai no Conservatório de Moscou e piano com Lev Oborin. Aos vinte anos de idade, conduziu uma performance de O Quebra Nozes, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky no Teatro Bolshoi e rapidamente estabeleceu sua reputação. Ele conduziu a première de muitos trabalhos de compositores soviéticos, incluindo Le soleil des Incas de Edison Denisov em 1964,[1] como também a première russa da ópera A Midsummer Night's Dream de Benjamin Britten e a première ocidental da quarta sinfonia de Dmitri Shostakovich em 1962, no Festival de Edimburgo. Ele tornou-se o Diretor Artístico do Teatro Bolshoi em 2000 e em 2001 conduziu a première da versão original de The Gambler de Sergei Prokofiev.[2]

Rozhdestvensky já foi o maestro de inúmeras orquestras: Orquestra do Teatro Bolshoi de 1951 a 1961, da Orquestra Sinfônica de Toda União da Rádio e Televisão (Moscou) de 1961 a 1974, da Orquestra do Teatro Bolshoi (como Maestro Residente) de 1964 a 1970, da Orquestra de Câmara do Teatro de 1974 a 1985, da Orquestra Filarmônica Real de Estocolmo (como diretor artístico) de 1974 a 1977, da Orquestra Sinfônica da BBC de 1978 a 1981, da Sinfônica de Viena de 1980 a 1982, da Orquestra Sinfônica do Ministério da Cultura da União Soviética de 1983 a 1991 e finalmente da Orquestra Filarmônica Real de Estocolmo, como maestro de 1992 a 1995.

Com a Orquestra Sinfônica do Ministério de Cultura da União Soviética, ele gravou todas as sinfonias de Dmitri Shostakovich, Alexander Glazunov, Anton Bruckner, Alfred Schnittke, Arthur Honegger e Ralph Vaughan Williams.

Ele também conduziu as maiores orquestras do mundo, incluindo a Filarmônica de Berlim, a Orquestra Real do Concertgebouw, a Orquestra Sinfônica de Boston, a Orquestra Sinfônica de Chicago, a Orquestra de Cleveland, a Orquestra Filarmônica de Israel e a Orquestra Sinfônica de Londres.

Vida pessoalEditar

Em 1969 casou-se com a pianista Viktoria Postnikova.

MorteEditar

Morreu em 16 de junho de 2018, aos 87 anos.[3]

BibliografiaEditar

Referências

  1. Edison Denisov by Yuri Kholopov and Valeria Tsenova. Harwood Academic Publishers, 1995
  2. «Gennadi Rozhdestvensky: Conductor». State Academic Bolshoi Theatre. Consultado em 19 de abril de 2009. Arquivado do original em 3 de junho de 2011 
  3. «Russian conductor Rozhdestvensky dies». BBC News (em inglês). 16 de junho de 2018 

Ligações externasEditar