Geografia de Porto Alegre

A geografia de Porto Alegre é, como na maioria das grandes cidades, heterogênea. A maior parte da cidade de Porto Alegre é cercada por prédios. A área do município de Porto Alegre é de 470,25 km² (Censo IBGE/2000). Destes, 44,45 km² estão distribuídos nas 16 ilhas do Delta do Jacuí sob jurisdição do município. Atualmente a cidade conta com 94 bairros.[1] Possui um relevo montanhoso na região mais ao sul, apresentando morros, sendo o mais alto deles o Morro Santana, com 311 metros de elevação acima do nível do mar. A cidade ainda possui 70 km de margens banhadas pelo Lago Guaíba.

Prédios de Porto Alegre
Mapa dos Bairros de Porto Alegre

BairrosEditar

 Ver artigo principal: Lista de bairros de Porto Alegre

O primeiro bairro criado em Porto Alegre foi o Medianeira, através da Lei Municipal nº 1762, de 23 de julho de 1957. Somente a partir deste ano as demais áreas da cidade passaram a ter denominações próprias pois, até então, a divisão era feita por "distritos". A primeira referência encontrada, neste sentido, data de 1º de dezembro de 1892 quando, pelo Ato n° 07, assinado pelo Intendente João Luiz de Faria, o município foi dividido em oito distritos, e estes subdivididos em "comissariados".

Pela Lei Municipal n° 36, de 31 de agosto de 1925, foi autorizado o desmembramento do 8° e do 9° distritos. Em 1927, através do Decreto 115, houve uma retificação nos limites do Município e a divisão do território passou a ser feita por zonas (urbana, suburbana e rural) e distritos, além de ser criada uma subdivisão por seções.

Os distritos de porto alegre criados eram nove, subdivididos em até quatro seções cada um. Em 1940, através do Decreto-lei n° 25, foram delimitadas, as três zonas e os distritos. No texto do decreto são mencionados apenas três distritos (Distrito da Cidade, Distrito de Belém Novo e Distrito da Pintada). Este tipo de divisão foi mantido até quase o final da década de 1950, quando começaram a ser criados os bairros.

A primeira lei surgiu em 1957 e, posteriormente, em 1959, através da Lei 2022, além da delimitação do Centro, foram criados outros 58 bairros.

A cidade ainda conta com uma divisão não-oficial administrativa, utilizada pela Empresa Pública de Trasporte e Circulação, para a organização das linhas de ônibus da cídade. A zona norte, onde opera o consórcio Conorte de transporte, a zona sul, onde opera o consórcio STS, e a zona leste, onde opera o consórcio Unibus.

Ainda existem algumas áreas do território sem denominação oficial (zona indefinida) e que são conhecidas por "apelidos", como é caso do Morro Santana, Passo das Pedras e Aberta dos Morros.

Atualmente a cidade conta com 94 bairros oficiais. Os cinco mais populosos e suas respectivas áreas, segundo dados do censo do IBGE de 2010[2], recalculados pelo ObservaPoa[3], são:

ClimaEditar

O clima é subtropical úmido ou temperado, com verões quentes e invernos frescos (frios para os padrões brasileiros) e chuvosos (tipo Cfa, segundo Köppen).

A temperatura média em janeiro é de 25 °C, e em julho é de 14 °C[4], com as temperaturas recordes de 40,7 °C em 1 de janeiro de 1943[5] e de -4,0 °C em julho de 1918[6]. A média anual é de aproximadamente 19,4 °C e a neve é muito rara, tendo sido observada em 1879, 1910, 1984[7], 1994[8], 2000[9] e em 2006[10][11]. As geadas ocorrem algumas vezes durante o ano.

Não é incomum a presença de "veranicos", que fazem a temperatura subir para 30 graus por alguns dias em pleno inverno. A média anual de chuva é de 1299 mm.


Dados climatológicos para Porto Alegre (Jardim Botânico)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 40,7 40,6 38,4 36 33,4 31,6 32,9 35,2 38 38,4 39 40,3 40,7
Temperatura máxima média (°C) 30,5 30,2 29,1 25,9 22,2 19,8 19,3 21,3 22,1 25 27,4 29,5 25,2
Temperatura média compensada (°C) 24,7 24,5 23,5 20,3 16,9 14,4 13,8 15,3 16,7 19,4 21,5 23,6 19,6
Temperatura mínima média (°C) 20,6 20,5 19,5 16,5 13,3 10,8 10,1 11,1 12,8 15,3 17,1 19 15,6
Temperatura mínima recorde (°C) 10,1 11,9 9,6 4,5 2,3 -1,9 -1,1 -1,2 2,2 4,9 6,7 10 -1,9
Precipitação (mm) 110,1 106,5 92,2 107,3 118,8 141,3 141,3 117,4 141,5 138,3 110,9 99,6 1 425,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 9 8 8 9 9 9 9 9 10 10 8 8 107
Umidade relativa compensada (%) 72,9 74,8 75,3 77,6 81 82,7 80,7 77,8 77 75 72,1 70,9 76,5
Horas de sol 227,2 195,2 202,4 166 146,9 115,6 131,4 145,3 145,8 178 215,2 232,4 2 101,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[12] recordes de temperatura desde 1931)[13][14]

Meio ambienteEditar

Porto Alegre é uma das capitais mais arborizadas do Brasil [15]. Cada habitante da cidade tem direito a, aproximadamente, 17m² de área verde[carece de fontes?]. Em 1976 foi criada em Porto Alegre a primeira secretaria do meio ambiente do Brasil.

Existem programas de arborização e preservação das matas nativas. Muitas das avenidas são arborizadas com tipos específicos de árvores, como por exemplo as paineiras da avenida Icaraí e os guapuruvus na avenida Teresópolis. As floradas adicionam beleza cênica à cidade. Também são freqüentes os ipês, as timbaúvas, os jacarandás e os plátanos.

As encostas dos morros são preservadas, mas enfrentam problemas com loteamentos clandestinos e invasões. A cidade conta com duas áreas de conservação ambiental: o Parque Estadual do Delta do Jacuí e a Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger.

Problemas ambientaisEditar

As grandes áreas verdes de Porto Alegre ajudam a amenizar seus problemas ambientais, mas a cidade apresenta problemas com lixo e poluição, entre outros. De acordo com uma pesquisa feita pelo jornal Folha de S.Paulo, o nível de poluição na cidade é o dobro acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, sendo a segunda capital mais poluída do Brasil, atrás apenas de São Paulo.[16]

Os alagamentos da avenida Goethe e regiões próximas se intensificaram com o aumento do asfaltamento da cidade, diminuindo a infiltração da água e aumentando o seu escoamento superficial. Para reverter esse problema de drenagem urbana, foi construído o Conduto Álvaro Chaves. Iniciado em maio de 2005, a obra teve seu término em 2008, diminuindo grandemente os alagamentos.

Está em discussão a instalação de uma mineradora de carvão[17] nas margens do Rio Jacuí, nos municípios de Charqueadas e El Dorado do Sul, que ameaça o meio ambiente local com contaminação do ar, do solo e do Lago Guaíba, de onde vem a água para abastecer todo o município de Porto Alegre e alguns municípios vizinhos.

Parques e outras áreas públicasEditar

Vista panorâmica da Praia de Ipanema em Porto Alegre

Os parques mais freqüentados pelos porto-alegrenses são o Parque Moinhos de Vento (ou Parcão), o Parque Farroupilha (ou Redenção) e o Parque Marinha do Brasil. Destaca-se também a Praia de Ipanema, localizada na zona sul da cidade.

Outras áreas públicas mais freqüentadas são:

Cidades vizinhasEditar

A região metropolitana de Porto Alegre conta com mais de 30 cidades. Entre elas as principais são: Canoas, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Gravataí, Alvorada, Cachoeirinha e Viamão. Elas estão ligadas a Porto Alegre através da rodovia BR-116, do Trensurb, da BR-290 (a freeway), da avenida Assis Brasil e da avenida Castelo Branco, formando uma grande conurbação.

Distâncias rodoviáriasEditar

de capitais brasileiras
de cidades do Mercosul

Referências

  1. http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/12/aprovado-projeto-da-prefeitura-que-cria-15-novos-bairros-em-porto-alegre.html
  2. http://www2.portoalegre.rs.gov.br/spm/default.php?p_secao=128
  3. Alegre, Prefeitura Municipal de Porto. «ObservaPOA». www.observapoa.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  4. The Weather Channel
  5. «Metsul Meteorologia». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 27 de junho de 2009 
  6. «Metsul Meteorologia». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 21 de agosto de 2009 
  7. «Metsul Meteorologia - 24 de agosto de 1984». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 2 de abril de 2013 
  8. «Metsul Meteorologia». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 2 de dezembro de 2009 
  9. «Climatologia Urbana de São Leopoldo». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 18 de junho de 2006 
  10. Notícias do portal Terra - 4 de setembro de 2006, 14h03
  11. «Metsul Meteorologia (com foto)». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 28 de dezembro de 2007 
  12. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL. Acesso em 24 mar. 2018.
  13. INMET. Normais Climatológicas do Brasil (1931-1960). 2 ed. Rio de Janeiro, 1979. Acesso em 24 jul. 2020.
  14. INMET. BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C), temperatura mínima (°C) - Porto Alegre. Acesso em 19 ago. 2014.
  15. Site Terra - Notícias e meio ambiente (21 de setembro de 2007)
  16. «Porto Alegre é a segunda capital mais poluída do Brasil». Consultado em 1 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 18 de novembro de 2012 
  17. Fachin, Patricia. «Mina Guaíba: um empreendimento de altíssimo impacto ambiental e lobby da indústria dos combustíveis fósseis. Entrevista especial com Paulo Brack». www.ihu.unisinos.br. Consultado em 16 de agosto de 2019 


Porto Alegre
Arquitetura · Música · Demografia · Economia · Educação · Esportes · Geografia · História · Meios de comunicação · Prefeitura · Saúde · Transportes · Turismo

Portal · Listas · Imagens