Abrir menu principal
George Reader
Nome completo George Reader
Nascimento 22 de novembro de 1896
Nuneaton, Warwickshire, Inglaterra
Morte 13 de julho de 1978 (81 anos)
Southampton, Inglaterra
Nacionalidade inglês
Ocupação Empresário
Filiação FA, FIFA
Árbitro FIFA 1968–1982

George Reader (Nuneaton, 22 de novembro de 1896 - Southampton, 13 de julho de 1978) foi um juiz de futebol, pertencente à Federação Inglesa de Futebol e o quarto árbitro a apitar a final da Copa do Mundo da FIFA.[1][2]

Reader era inicialmente professor, e jogou pela primeira vez como amador no Exeter City, na Southern Football League, na temporada 1919-20. Foi com esse clube que ele jogou em um amistoso contra o Southampton em 3 de janeiro de 1920, uma semana antes da terceira rodada da FA Cup.[3]

Iniciou sua carreira como árbitro em 1930, em 1939 foi convidado para arbitrar na liga inglesa durante a temporada 1939-40, porém essa temporada foi abandonada depois de três jogos, devido ao início da Segunda Guerra Mundial, e, portanto, o Reader oficialmente apitou apenas três partidas da Football League em toda a sua carreira.[4] Aposentou-se da liga em 1944, mas continuou apitando jogos pela Europa, em amistosos pelo continente. Em 1948, a Football League fez algo incomum ao lembrar de Reader, tirando-o da aposentadoria para arbitrar o jogo de Brentford contra o Chelsea no Griffin Park.

Com a classificação da seleção inglesa para a Copa do Mundo de 1950, a Fifa solicitou que uma equipe de árbitros britânicos viajasse ao Brasil para trabalhar na Copa do Mundo. Apesar das reservas sobre a sua idade avançada, a experiência internacional do Reader colocou-o entre os que a Football Association poderia chamar, e ele foi selecionado ao lado de Mervyn, Griffiths, George Mitchell e de dois árbitros ingleses, Reg Leafe e Arthur Ellis.

Reader apitou a partida de abertura da Copa, Brasil 4 X 0 México, em 24 de junho de 1950, em jogo realizado no estádio do Maracanã, Rio de Janeiro. Apitou também Uruguai 8 X 0 Bolívia, em 2 de julho, no estádio Independência, em Belo Horizonte.[5]

Final da Copa do Mundo de 1950Editar

Em 16 de julho de 1950 Reader apitou o jogo mais importante de sua carreira. Considerada como a final da Copa de 1950, ainda que fosse o último jogo da fase final, em que as quatro seleções classificadas (Brasil, Uruguai, Espanha e Suécia) disputavam jogos entre si e seria campeão aquela que somasse mais pontos, Brasil e Uruguai entraram em campo em jogo decisivo. Bastando um empate para a seleção brasileira sair como campeã, a partida terminou em vitória por 2 a 1 para os uruguaios, após estarem atrás no placar. Reader apitou o final do jogo num lance que deu margem para reclamações posteriores, no momento em que Friaça havia cobrado escanteio e Ademir Menezes havia ganho a jogada pelo alto do goleiro Máspoli.

Reader aposentou-se após a Copa de 1950, tornou-se diretor e depois presidente do Southampton em 1963, e sentou-se ao lado da rainha Elizabeth II quando o time de Lawrie McMenemy venceu a final da FA Cup de 1976, falecendo em 13 de julho de 1978.[3]

Referências

  1. «George Reader». World Referee (em inglês). Consultado em 22 de março de 2019 
  2. «George Reader». Zero Zero (em inglês). Consultado em 22 de março de 2019 
  3. a b HOLLEY, Duncan; CHALK, Gary (1992). The Alphabet of the Saints. [S.l.]: ACL & Polar Publishing. p. 280. ISBN 0-9514862-3-3 
  4. ELLIS, Arthur (1962). The Final Whistle. [S.l.]: S Paul Publishers. ASIN B0000CLLRB 
  5. RIBAS, Lycio Velozo (2010). O Mundo das Copas. [S.l.]: Lua de papel. p. 54-65. ISBN 978-85-6306609-1 

Ver tambémEditar

Precedido por
Georges Capdeville
Árbitro da Final da Copa do Mundo FIFA
1950
George Reader
Sucedido por
William Ling