Georges Perec

Georges Perec (Paris, 7 de março de 1936 — Ivry-sur-Seine, 3 de março de 1982) foi um romancista, poeta, argumentista e ensaísta francês. Foi membro da Oulipo (Ouvroir de Littérature Potentielle). É um dos mais importantes romancistas franceses do pós-Segunda Guerra Mundial e é considerado o maior inovador da forma literária de sua geração. Sua obra mais vendida foi Les Choses: une histoire des années soixante de 1965.[1] Em 1978, foi agraciado com o Prêmio Médicis.[2]

Georges Perec
Nascimento 7 de março de 1936
19.º arrondissement de Paris
Morte 3 de março de 1982 (45 anos)
Ivry-sur-Seine
Sepultamento Crematório-columbário de Père-Lachaise
Cidadania França
Cônjuge Paulette Perec
Alma mater Lycée Claude-Bernard
Ocupação escritor, diretor de cinema, roteirista, poeta, romancista, ensaísta, bibliotecário, crítico literário, documentalista, documentarista, cineasta
Prêmios Prêmio Renaudot, Prêmio Médicis
Movimento literário Oulipo
Obras destacadas Les Choses: une histoire des années soixante
Causa da morte câncer de pulmão
Assinatura
Firma Perec.svg

Referências

BibliografiaEditar

  • Burdeus, María Dolores; Verdegal, Joan Manuel. La novela francesa a traves de los premios literarios/ The novel through the French literary prizes. Castelão, Espanha: Universidade Jaime I 
  Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.