Geórgios Papadópulos

político militar grego (1919-1999)
(Redirecionado de Georgios Papadopoulos)

Geórgios Papadópulos, no alfabeto grego: Γεώργιος Παπαδόπουλος, (5 de maio de 191927 de junho de 1999) foi um político da junta militar da Grécia.[1] Ocupou o cargo de primeiro-ministro da Grécia entre 13 de dezembro de 1967 a 8 de outubro de 1973.

Geórgios Papadópulos
Geórgios Papadópulos
Geórgios Papadópulos
Primeiro-ministro da Grécia
Período 13 de dezembro de 1967

até 8 de outubro de 1973

Antecessor(a) Konstantínos Kóllias
Sucessor(a) Spíros Markezínis
Dados pessoais
Nascimento 5 de maio de 1919
Morte 27 de junho de 1999 (80 anos)

Carreira editar

Governou a Grécia após um golpe de 1967 a 1973. Ele se juntou ao Exército Real Helênico durante a Segunda Guerra Mundial e resistiu à invasão italiana de 1940, onde conseguiu com honras e se tornou um herói. Ele permaneceu no exército após a guerra e ascendeu ao posto de coronel. Em abril de 1967, Papadopoulos e um grupo de outros oficiais do exército de nível médio derrubaram o governo democrático e estabeleceram uma junta militar que durou até 1974. Assumindo poderes ditatoriais, ele liderou um governo autoritário, anticomunista e regime ultranacionalista que acabou com a monarquia grega e estabeleceu uma república, tendo ele mesmo como presidente. Em 1973, ele foi deposto e preso por seu co-conspirador, o brigadeiro-general Dimitrios Ioannidis. Após o Metapolitefsi que restaurou a democracia em 1974, Papadopoulos foi julgado por sua participação nos crimes da junta e condenado à morte, mas perdoado. Recusando várias ofertas de clemência em troca de admitir a culpa pelos crimes da junta, ele passou o resto de sua vida na prisão.[2]

Legado editar

Papadopoulos é um símbolo de autoritarismo e xenofobia.[3][4][5] A extrema direita o elogia por promover a cultura grega, prender inimigos políticos e lutar contra a democracia. Após a restauração da democracia, permaneceu algum apoio ao seu tipo de política que foi, por um tempo, reforçado pela União Política Nacional (EPEN), um pequeno partido político que o declarou seu líder honorário. O EPEN acabou dissolvido, com apoiadores se espalhando para vários outros partidos políticos, como o Rally Ortodoxo Popular (LAOS) e organizações criminosas como Golden Dawn (XA).[6]

Ver também editar

Referências

  1. Georgios Papadopoulos
  2. "Papadopoulos". The American Heritage Dictionary of the English Language (5th ed.). Boston: Houghton Mifflin Harcourt.
  3. Richard Clogg; George N. Yannopoulos (24 de abril de 1972). Greece under military rule. [S.l.]: Basic Books. p. 33. ISBN 9780436102554. ... Their intense nationalism – by its very nature – contains within it submerged elements of xenophobia that might very easily surface ... 
  4. Peter Davies; Derek Lynch (29 de agosto de 2002). The Routledge Companion to Fascism and the Far Right. [S.l.]: Taylor & Francis. p. 229. ISBN 978-0-203-99472-6. GEORGE PAPADOPOULOS ... His ideology was a mixture of anti-Marxism, nationalism and xenophobia. Most observers view Papadopoulos as a paternalistic military man rather than any kind of radical political figure. 
  5. The New Yorker. [S.l.]: F-R Publishing Corporation. 1975. p. 229. Out of that experience there came a literal xenophobia. ... Colonel George Papadopoulos, who became Prime Minister and later President under the junta, said his purpose was to recreate the Greece of the Christian Greeks — "Ellas Elllnon ... 
  6. Verney, Susannah (2016). Protest Elections and Challenger Parties. [S.l.]: Routledge. p. 150 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.