Abrir menu principal

Gerúsias (em grego antigo: γερουσία gerousia, "senado") era um conselho de anciãos da Grécia Antiga, em especial de Esparta. As Gerúsias espartanas, tanto a arcaica quanto a clássica, compreendiam 28 membros ou Gerontes, com idade acima de 60 anos, originados de famílias que lideravam juntamente com os reis.[1] A Gerúsia dividia o poder como a mais alta corte e tinha poder de julgar os próprios reis. O prestígio de seus integrantes lhes conferia um grande poder não oficial.[2]

Além de funcionarem como Tribunais Supremos, a Gerúsia tinha funções administrativas: seus membros também preparavam as propostas a serem apresentadas à Assembleia.[3] Suas funções também eram legislativas, com os Gerontes encarregados de prepararem os projetos que deveriam ser submetidos à aprovação da Apela (Assembleia Popular). A Gerúsia tinha o controle da Constituição de Esparta[4]. Os reis que fossem acusados pelos Éforos seriam julgados na Gerúsia.[5]

O poder da Gerúsia foi reduzido durante a Tirania de Cleômenes III[6], mas durante o período romano, o senado espartano ainda detinha as funções de julgar os cidadãos[7].

Ver tambémEditar

 
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Gerúsia


Referências

  1. Simon Hornblower; Antony Spawforth; Esther Eidinow. The Oxford Classical Dictionary. Oxford University Press; 2012. ISBN 978-0-19-954556-8. p. 613 – 614.
  2. Donald Kagan. Guerra Do Peloponeso, a - Novas Perspectivas Sobre. RECORD; 2006. ISBN 978-85-01-07058-6. p. 35.
  3. ADALBERTO VARGAS RIBEIRO. Peloponeso. Editora Baraúna; ISBN 978-85-7923-193-3. p. 75.
  4. Pausânias, Descrição da Grécia, 3.11.2
  5. Pausânias, Descrição da Grécia, 3.5.2
  6. Pausânias, Descrição da Grécia, 2.9.1
  7. Pausânias, Descrição da Grécia, 7.12.7
  Este artigo sobre História da Grécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.