Gilberto Martinho de Freitas (Araranguá, 14 de janeiro de 1927 - Rio de Janeiro, 19 de agosto de 2001) foi um ator brasileiro.

Gilberto Martinho
Gilberto Martinho
Gilberto Martinho
Nome completo Gilberto Martinho de Freitas
Nascimento 14 de janeiro de 1927
Araranguá, Santa Catarina
Nacionalidade brasileiro
Morte 19 de agosto de 2001 (74 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação ator

Biografia

editar

Nascido em Araranguá, interior de Santa Catarina, Gilberto Martinho, ainda jovem, se muda para o Rio de Janeiro a fim de apostar no seu talento,[1] onde inicia os estudos de arte dramática no Teatro do Estudante.[2][3][4]

Em 1950, participou da inauguração da televisão no Brasil ao estrear na TV Tupi fazendo pequenos teleteatros. A convite de Henriette Morineau, integra o grupo Os Artistas Unidos. Em 1951 tem sua primeira oportunidade no cinema com o filme Maria da Praia, sendo apontado como a revelação do ano, ganhando o prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABCC). Também ganhou o Prêmio Saci, criado em 1951.[3] Por isso, passa a ser bastante requisitado para outros trabalhos no cinema, chegando a fazer muitos filmes como Rua Sem Sol (1954), O Rei do Movimento (1954), Mãos Sangrentas (1955), O Diamante (1956), Fuzileiro do Amor (1956), dentre outros, de relativo sucesso.

Na televisão, se destacou pela primeira vez ao interpretar Falcão Negro na série infantil homônima que ficou sete anos no ar na TV Tupi do Rio de Janeiro, super-herói brasileiro de muito sucesso na década de 1950. Ainda na Tupi, fez sua primeira telenovela: Alma Cigana em 1964.

Sua estreia na Rede Globo se deu com a novela Anastácia, a Mulher sem Destino, em 1967. Em 1970, ganhou notoriedade nacional ao interpretar o Coronel Pedro Barros na novela Irmãos Coragem de Janete Clair.[2][5] Durante cerca de dez anos, fez quase todas as novelas da emissora, dentre elas algumas de grande sucesso como Selva de Pedra (1972), Gabriela (1975), Pecado Capital (1975), Escrava Isaura (1976) e Locomotivas (1977). Foi o mais autêntico “coronelaço” nos papéis centrais das novelas e dos palcos brasileiros.[1]

Sobre sua carreira no teatro, atuou em várias produções, inclusive nas companhias de Bibi Ferreira, Marlene/Luís Delfino e de Graça Mello.

Sua última novela foi Roda de Fogo, em 1986, na TV Globo. Posteriormente participou ainda de alguns episódios do programa Você Decide.

Gilberto Martinho era casado, tinha três filhos e faleceu de um câncer pulmonar em 19 de agosto de 2001.[2][3] O ator estava internado no hospital Copa D'Or desde 31 de julho daquele ano e, por duas semanas, vinha sofrendo com as complicações causadas pelo enfisema.[4] O corpo foi enterrado em Barra de São João, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.[4]

Filmografia

editar

Na televisão

editar
Ano Título Personagem Notas
1952 Grande Teatro Tupi Vários Personagens
1957-1963 O Falcão Negro Falcão Negro
1964 Alma Cigana Barrabás
1967 Anastácia, a Mulher sem Destino Garan
Sangue e Areia Ben[2]
1968 A Grande Mentira Jorge Antônio Albuquerque Medeiros[6]
1969 Rosa Rebelde Tony Navarro
Véu de Noiva Felício
1970 Irmãos Coragem Coronel Pedro Barros[5]
1971 O Homem que Deve Morrer Mestre Jonas
1972 Selva de Pedra Aristides Vilhena
1973 Uma Rosa com Amor Carlos de Vasconcelos[7]
Caso Especial Pai da noiva Episódio: "Medéia"
Carinhoso Felipe[8]
1974 Caso Especial Delegado João Episódio: "O Crime do Zé Bigorna"
Fogo Sobre Terra José Martins
1975 Gabriela Coronel Melk Tavares
Pecado Capital Raimundo[9]
1976 Escrava Isaura Comendador Almeida[10]
1977 Locomotivas Gervásio Lambrini[11]
Sinhazinha Flô Pêpe, o Cigano
1978 Maria, Maria Antônio Roxo
1979 Memórias de Amor Mauro Pompeia
Cabocla Coronel Justino Caldas
1980 Chega Mais Seu Gilberto Barata[12]
1981 Baila Comigo Antenor Gomide
1982 O Homem Proibido Jocemar
1983 Voltei pra Você Januário
Louco Amor Dr. Silvio Acácio
1984 Vereda Tropical Seu Barbosa
1985 O Tempo e o Vento Coronel Ricardo Amaral
1986 Roda de Fogo Gilson Góes
1989 O Salvador da Pátria Fernando Gaspar
1994 Você Decide Episódio: "Carga Pesada"
1995 Episódio: "A Greve"
1996 Episódio: "Francisco"

No cinema

editar
Ano Título Personagem
1951 Maria da Praia[2][3]
1954 Rua sem Sol Ruiz
O Rei do Movimento Capanga
Conchita und der Ingenieur
1955 Mãos Sangrentas Cachorro
O Feijão é Nosso!
1956 O Grande Pintor
Colégio de Brotos[13]
Fuzileiro do Amor Oficial
O Negócio foi Assim
1957 O Diamante
O Contrabando
1958 Tudo é Música
1967 Adorável Trapalhão Ricardo
1976 O Pistoleiro Dr. Laureano

Referências

  1. a b Agilmar Machado (27 de fevereiro de 2010). «Valores Catarinenses: Gilberto Martinho». Caros Ouvintes. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  2. a b c d e «Gilberto Martinho - In Memorian». Dramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 4 de novembro de 2014 
  3. a b c d «Morre de Câncer o ator Gilberto Martinho». Cineclick.com. 19 de agosto de 2001. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  4. a b c «Ator Gilberto Martinho morre aos 74 no Rio». Folha de S.Paulo. 19 de agosto de 2001. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  5. a b «Irmãos Coragem - 1ª Versão: Galeria de Personagens». Memória Globo. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  6. «A Grande Mentira - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  7. «Uma Rosa com Amor -Ficha técnica». Memória Globo. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  8. «Carinhoso - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  9. «Pecado Capital - 1ª Versão: Galeria de Personagens». Memória Globo. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  10. «Escrava Isaura (1976) - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  11. «Locomotivas - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  12. «Chega Mais - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 
  13. «Colégio de Brotos». Meu Cinema Brasileiro. Consultado em 4 de fevereiro de 2015 

Ligações externas

editar