Abrir menu principal
Ginger

Ginger ou Homem de Gebeleim é uma múmia que foi encontrada no Egito em 1896, cuja idade calculada é de que tenha vivido há 5.500 anos. Ela está exposta no Museu Britânico de Londres desde 1901.

Índice

Descoberta e CaracterísticasEditar

O corpo foi descoberto em 1896 em uma cova rasa na areia egípcia, junto de mais cinco corpos, o conjunto é chamado de múmias pré-dinásticas de Gebeleim, e foram escavadas por Wallis Budge, responsável pelas descobertas de egiptologia do Museu Britânico.[1] Acredita-se que tenha vivido por volta de 3500 a.C., no período chamado de pré-dinástico (também conhecido como Neolítico tardio, que se estende de 6 mil a.C. até o período da primeira dinastia, quando o Egito foi unificado, provavelmente no final do período Nacada I (Cultura Amratiana))[2] em uma área perto do rio Nilo e cerca de 40Km ao sul de Tebas. O apelido Ginger foi dado devido os cabelos ruivos da múmia.[3] Seu corpo foi mumificado naturalmente, permanecendo na posição flexionada.[4]

Causa da MorteEditar

Estudos realizados em 2012 por médicos forenses utilizando a tecnologia 3D de tomografia computadorizada indicam que a múmia é de um homem que morreu entre 18 e 24 anos, de físico musculoso. Sua morte foi em decorrência de uma facada nas costas, sem luta por parte da vítima, o que indica um golpe surpresa.[5] Seu ombro e as costelas estão bastante danificadas devido o forte golpe sofrido, por uma lâmina de sílex ou de cobre.[6]

Ver TambémEditar

Referências