Giovanni Giustiniani Longo

Giovanni Giustiniani Longo (Gênova, 12 de março de 1385-4 de junho de 1453) foi um militar italiano.

Giovanni Giustiniani Longo
Nascimento 1418
Génova
Morte 1 de junho de 1453
Quios
Cidadania República de Gênova
Ocupação militar
Causa da morte gangrena

Serviu como cônsul da República de Gênova na Crimeia controlada pelos mongóis entre 1449 e 1450. Católico, mas sobretudo cristão, Longo reuniu soldados genoveses para lutar em Constantinopla contra o assédio dos turcos otomanos em 1453, visando defender estrategicamente este bastião da cristandade.

As poucas centenas de comandados que conseguiu reunir constituíram o maior reforço recebido pelo Império Bizantino, isolado pelo cisma com a Igreja Católica e as nações ocidentais.

O imperador Constantino XI Paleólogo designou Longo para a defesa da muralha oeste da cidade, e sua liderança inspirada levou a pequenas vitórias contra os otomanos. Ferido no último dia do cerco, foi retirado do campo de batalha em um navio genovês. A sua ausência fez desabar o moral bizantino, e a derrota foi inevitável.

MorteEditar

Após ser gravemente ferido, e depois de ter lutado e ter resistido bravamente, mesmo com propostas tentadores do sultão a mudar de lado, depois no meio da confusão o portão da cidade foi deixado aberto, logo depois foi gravemente ferido, e decidiu se retirar do campo de batalha

Ele deu a ordem para o navio partir, e ele partiu, ele não conseguiu resistir aos ferimentos, morreu vendo a cidade em chamas


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.