Abrir menu principal
Giulio Lopes
Nome completo Julio Cesar da Silva Lopes
Nascimento 24 de julho de 1959 (60 anos)
Poá, SP
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Ator Diretor Coach
Página oficial

Giulio Lopes (Poá, 24 de julho de 1959) é um ator, diretor e cenógrafo brasileiro de teatro, televisão e cinema.

Julio Cesar da Silva Lopes, que adotou o nome artístico de Giulio Lopes, nasceu em Poá, São Paulo, em 24 de julho de 1959. Em 1982, estreia no teatro atuando no espetáculo "O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru", de Aldomar Conrado, no grupo de teatro amador Caentrenós, dirigido por Silnei Siqueira. A partir daí, seu interesse pelo teatro o levou a receber uma das cinco bolsas de estudos, oferecidas anualmente pelo Instituto de Arte e Ciência (INDAC), através de um concurso que selecionava os cinco melhores candidatos ao curso de interpretação. No ano seguinte é aprovado no exame de seleção da Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP).

Entre 1992 e 1997, dedicou boa parte de seu tempo à Capital Cenográfica, empresa de desenvolvimento de projetos de cenografia, dando vazão a outra faceta profissional, ainda no campo das artes. Nesse período, contudo, seu envolvimento com a empresa, acabou afastando-o dos palcos, o que o fez tomar a decisão de encerrar o negócio e investir com força total na carreira de ator.

Após a retomada, continuou com suas participações em comerciais e na televisão. Seu retorno aos palcos se deu com o espetáculo "Laços Eternos", de Zibia Gasparetto, onde atuou por um ano. Interpretou o "Berrão", personagem do texto de Plínio Marcos em "Homens de Papel", como ator convidado, numa elogiada montagem de Iacov Hillel com alunos da EAD. Logo depois, integrou o elenco de "O Enigma Blavatsky", uma grande produção sobre a vida de Helena Petrovna Blavatsky, fundadora da Sociedade Teosófica, também dirigida por Iacov Hillel.

Foi durante as apresentações de "Homens de Papel", porém, que o ator recebeu o convite para participar dos testes para escolha de elenco do longa-metragem "Contra Todos" (roteiro e direção de Roberto Moreira). Foi selecionado para interpretar "Teodoro" personagem central da trama. Foi sua estreia no cinema. Sua atuação no filme lhe rendeu dois prêmios de melhor ator: no 8º Cine PE e no XIV FestNatal. "Contra Todos" estreou em novembro de 2004.

Nos últimos anos tem integrado o elenco de grandes produções do cinema, como: “Meu Nome Não é Johnny” de Mauro Lima; “Salve Geral” de Sergio Rezende, “Verônica” de Maurício Farias, "Real - O Plano Por Trás da História" de Rodrigo Bitencourt e "João, o Maestro" de Mauro Lima.

Atuou também em produções Colombianas, como, "Garcia" no cinema , e "Tiempo Final", na TV.

Na TV brasileira marca presença com várias participações em novelas como, "Malhação", "Insensato Coração", "Passione" e "Verdades Secretas" entre outras.

Ultimamente tem sido escalado para séries de sucesso como, "Mulher de Fases", "O Negócio", "Sessão de Terapia" e "Supermax".

No Teatro, onde iniciou sua carreira, integrou o elenco de "O Enigma Blavatsky", "O Inimigo do Povo" e "Homens de Papel", entre outras.

Seus mais recentes trabalhos na TV foram "Deus Salve o Rei" (TV Globo), novela onde interpretou o personagem "Martinho"; "Jezabel" (TV Record), novela onde interpretou o personagem "Safate" e "O Mecanismo" (Netflix) série onde interpretou "Roberval Bruno" (1ª e 2ª temp).

Trabalhos na TVEditar

No CinemaEditar

No TeatroEditar

  • 1982 - O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru
  • 2001 - Laços Eternos
  • 2002 - Homens de Papel
  • 2003 - O Enigma Blavatsky
  • 2007 - O Inimigo do Povo

Ligações externasEditar

Referências

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.