Glafira foi uma princesa capadócia que se casou com dois filhos de Herodes e com Juba II da Mauritânia.

Glafira
Nascimento 35 a.C.
Morte 7
Progenitores
Cônjuge Juba II, Alexandre, Herodes Arquelau
Filho(s) Tigranes V, Alexandre
Ocupação aristocrata
Título princesa

Glafira era filha de Arquelau da Capadócia [1] e, seu pai era identificado com Sisina. Ela é neta de Glafira, mãe de Sisina, uma mulher muito bela que encantou Marco Antônio e fez ele decidir a sucessão da Capadócia para seu filho em detrimento de Ariarates.[2] Arquelau da Capadócia, seu pai, era descendente de Arquelau, que foi general de Mitrídates VI do Ponto.[3]

Glafira casou-se três vezes, e era virgem quando se casou pela primeira vez:[4]

Após a morte [Nota 1] de Juba II, Glafira foi viver como viúva com seu pai, na Capadócia.[4] Arquelau, que era casado com Mariane, separou-se da esposa para se casar com Glafira.[4] O casamento de Glafira com Arquelau foi considerado, pelos judeus, como uma transgressão da lei, porque ela havia sido casada com Alexandre, irmão de Arquelau.[1] Glafira teve um sonho, e viu Alexandre, seu ex-marido, que a admoestou por ter tido dois maridos depois dele, inclusive o irmão dele, que ele iria reivindicá-la para ser dele de novo; Glafira contou o sonho para suas companheiras, e morreu poucos dias depois.[4]

Notas e referências

Notas

  1. Segundo alguns analistas modernos, ela não teria enviuvado de Juba, mas se separado.

Referências

  1. a b c d Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XVII, Capítulo 13 Como Arquelau, após uma segunda acusação, foi banido para Roma, 1 [em linha]
  2. Apiano, As Guerras Civis, Livro V, 1.7 [em linha]
  3. Estrabão, Geografia, Livro XVII, Capítulo 1, 11 [fr] [en] [en] [en]
  4. a b c d Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XVII, Capítulo 13, 4
  5. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XVII, Capítulo 1 Como Antípatro era odiado por toda a nação dos judeus pelo massacre dos seus irmãos, e como, por este motivo, ele ganhou favores especiais de seus amigos em Roma, dando muitos presentes, como ele fez com Saturnino, governador da Síria, e os governadores sob ele, e sobre as esposas e os filhos de Herodes, 2
  6. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro XVIII, Capítulo 5, Herodes, o Tetrarca, guerreia contra Aretas, rei da Arábia, e é derrotado por ele. Sobre a morte de João Batista. Como Vitélio foi a Jerusalém. Um relato de Agripa e os descendentes de Herodes, 4 [em linha]
  7. Flávio Josefo, As Guerras dos Judeus, Livro II, Capítulo 7 A história do Alexandre espúrio. Arquelau é banido e Glafira morre, após o que seria feito deles é mostrado em sonho, 4