Abrir menu principal
Gonçalo Claudino Sales - Arquivo Pessoal

Gonçalo Claudino Sales (Novo Oriente, 12 de fevereiro de 1922 - Fortaleza, 22 de junho de 2009) foi um advogado e político brasileiro.[1] .

Biografia e Vida PessoalEditar

Nasceu em Novo Oriente, na data de 12 de fevereiro de 1922, filho de Antônio Claudino Sales e Joana Soares da Silva.[2]

Foi casado com Francisca das Chagas Carneiro Sales, com quem teve cinco herdeiros: Fatima Claudino Sales, Jane Mary Claudino Sales Costa, Vanda Claudino Sales, Sandra Claudino Sales Costa e Claudino Carneiro Sales. Teve 5 netos: Romulo Claudino Costa, Jamila Claudino Costa, Ricardo Claudino Costa, Claudino Sales Neto e Breno Claudino Costa [1] Faleceu em junho de 2009.[3][4]

Histórico Acadêmico e ProfissionalEditar

Formado em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1949, junto à Faculdade de Direito de Belo Horizonte.

Adotou o epiteto político de "Claudino Sales", bem como era tratado como "Salim" pelos mais próximos.

Concorreu ao cargo de prefeito da cidade de Crateús nos pleitos de 1958 e 1962, sem sucesso. Em 1966, foi eleito para uma das vagas da Assembleia Legislativa do Ceará (ALCE) pela Aliança Renovadora Nacional. No biênio 1969/1970, foi presidente da ALCE.[1]

Nas eleições de 1970, foi reeleito deputado e em 1971, assumiu a pasta de secretário de Administração do Estado do Ceará, no governo César Cals.

Em 1974, foi eleito deputado federal e reeleito em 1978. Nas eleições de 1982 para o mesmo cargo, não obteve sucesso, ficando com uma vaga de suplente, que ocupou somente no ano de 1975, na vaga deixada pelo então deputado Paulo Lustosa.[1]

Dentre suas principais atividades parlamentares, destacam-se: foi relador na Câmara dos Deputados do projeto de lei que originou o Código de Menores[5]; foi presidente da CPI que teve por objeto ilegalidades na SUDENE, em 1978;[2] e foi membro efetivo das Comissões Especiais que trataram do Código Civil, em 1977, e do Código de Processo Penal (PL 633/75), em 1975.

Também foi secretário estadual da Segurança Pública, entre 1983 e 1987; chefe de gabinete do secretário de Governo de Tasso Jereissati, entre 1987 a 1991; além de presidente da Companhia Industrial do Ceará (CDI); procurador geral do Estado; e, entre 1973 e 1974, ocupou a presidência do Conselho Nacional de Governadores (CNG), órgão ligado ao Lions Clubs International.[1]

Referências

  1. a b c d e «Biografia Claudino Sales». Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 9 de março de 2018 
  2. a b «Conheça os Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 17 de junho de 2018 
  3. «Falecimento de ex-Deputado Estadual do Ceará, Gonçalo Claudino Sales». Câmara dos Deputados. Consultado em 9 de março de 2018 
  4. «Morre ex-deputado estadual Claudino Sales». Tribuna do Ceará. 22 de junho de 2009. Consultado em 9 de março de 2018 
  5. «www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=193744». www.camara.gov.br. Consultado em 17 de junho de 2018