Abrir menu principal

Governo militar do Exército dos Estados Unidos na Coreia


재조선 미육군 사령부 군정청
Governo militar do Exército dos Estados Unidos na Coreia

Ocupação militar / Governo provisório

Flag of Japan (1870–1999).svg
1945 – 1948 Flag of South Korea (1948–1949).svg

Bandeira de USAMGIK

Bandeira

Localização de USAMGIK
Localização da parte sul da Península Coreana.
Continente Ásia
Região Ásia Oriental
Capital Seul
Governo Não especificado
Governador militar
 • Set. 1945 – Dez. 1945 Archibald V. Arnold
 • Dez. 1945 – Set. 1947 Archer L. Lerch
 • Out. 1947 – Ag. 1948 William F. Dean
 • Ag. 1948 – Jun. 1949 Charles G. Helmick
Período histórico Guerra Fria
 • 15 de agosto de 1945 Rendição do Japão
 • 8 de setembro de 1945 Tropas estadunidenses estacionadas na Coreia do Sul
 • Outubro de 1946 Revolta de Outono
 • 10 de maio de 1948 Eleições gerais na Coreia do Sul
 • 15 de agosto de 1948 República da Coreia estabelecida

Governo militar do Exército dos Estados Unidos na Coreia (em inglês: United States Army Military Government in Korea, USAMGIK; coreano: 재조선 미육군 사령부 군정청; Hanja: 在朝鮮美陸軍司令部軍政廳) foi o órgão governante oficial da metade sul da península coreana de 8 de setembro de 1945 a 15 de agosto de 1948.

Nessa época, o país estava assolado pelo caos político e econômico surgido de uma variedade de causas. Os efeitos posteriores da ocupação japonesa ainda eram sentidos na nova zona de ocupação, bem como na zona soviética ao Norte. [1] O descontentamento popular provinha do apoio do governo militar estadunidense ao governo colonial japonês (que, uma vez removido o mandato japonês, manteve os antigos governantes japoneses como conselheiros); por ignorar, censurar e dissolver à força a República Popular da Coreia; e, finalmente, pelo apoio as eleições das Nações Unidas que dividiram o país.[1]

Além disso, o exército estadunidense estava em grande parte despreparado para o desafio de administrar o país, chegando sem nenhum conhecimento do idioma ou da situação política. [2] Assim, muitas das suas políticas tiveram efeitos desestabilizadores não intencionais. Também, ondas de refugiados da Coreia do Norte (estimados em 400.000)[3] e repatriados do exterior ajudariam a manter o país em turbulência. [4]

NotasEditar

  1. Allan R. Millet, The War for Korea: 1945-1950 (2005) P. 59
  2. Lee (1984, p. 374); Cumings (1997, p. 189).
  3. Cumings, 1997, p. 189. Nahm (1996, p. 340) gives "Eighth Army", reflecting the Corps' later affiliation.
  4. Nahm, Cumings, loc. cit.
  5. Nahm (1996, p. 351); Lee (1984, p. 375).
  6. Nahm (1996, p. 340).
  7. Lee (1984, p. 375).
  8. Nahm (1996, pp. 330–332); Lee (1984, p. 374).
  9. Nahm (1996, p. 340).
  10. Nahm (1996, p. 340).

Ligações externasEditar

  • Hart-Landsberg, Martin (1998). Korea: Division, Reunification, & U.S. Foreign Policy. [S.l.]: Monthly Review Press. pp. 63–67, 70–77