Abrir menu principal
Os 8 grafos assimétricos de 6-vértices
O grafo Frucht, o menor grafo cúbico assimétrico.


No campo da matemática da teoria dos grafos, um grafo não direcionado é chamado um grafo assimétrico se não tiver simetrias não triviais.

Famílias de grafos definidos por seus automorfismos
distância-transitivodistância-regularfortemente regular
simétrico (arco-transitivo)t-transitivo, t ≥ 2.

(se conectado)
transitivo nos vértices e nas arestasaresta-transitivo e regulararesta-transitivo
vértice-transitivoregular
grafo de Cayleyanti-simétricoassimétrico

Formalmente, um automorfismo de um grafo é uma permutação p de seus vértices com a propriedade que quaisquer dois vértices u e v são adjacentes se e somente se p(u) e p(v) são adjacentes. O mapeamento identidade de um grafo em si é sempre um automorfismo, e é chamado de automorfismo trivial do grafo. Um grafo assimétrico é um grafo para os quais não existem outros automorfismos.

ExemplosEditar

O menor grafo não trivial assimétrico tem 6 vértices[1] O menor grafo regular assimétrico têm dez vértices; existem grafos assimétricos de dez vértices são 4-regulares e 5-regulares[2][3].

O menor grafo cúbico assimétrico é o grafo de Frucht de doze vértices descoberto em 1939.[4] De acordo com uma versão reforçada do teorema de Frucht, há infinitamente mais grafos cúbicos assimétricos.

PropriedadesEditar

A classe de grafos assimétrica é fechada em complementos: um grafo G é assimétrico se e somente se seu complemento o é.[1] Qualquer grafo assimétrico de n-vértices pode ser feito simétrico, adicionando e removendo um total de, no máximo n/2 + o(n) arestas.[1]

Grafos aleatóriosEditar

A proporção de grafos sobre n vértices com automorfismo não trivial tende a zero a medida que n cresce, que é informalmente expressado como "quase todos grafos finitos são assimétricos". Em contraste, uma vez mais informalmente, "quase todos os grafos infinitos são simétricos". Mais especificamente, grafos aleatórios infinitos e contáveis no modelo Erdős–Rényi são, com probabilidade 1, isomórficos ao altamente simétrico grafo Rado.[1]

ÁrvoresEditar

A menor árvore assimétrica tem sete vértices: consiste de três caminhos de comprimentos de 1, 2 e 3, ligados a um terminal comum[5] Em contraste com a situação dos grafos, quase todas as árvores são simétricas. Em particular, se uma árvore é escolhida de forma uniforme aleatoriamente entre todas as árvores em n nós rotulados, em seguida, com probabilidade tendendo a 1 quando n aumenta, a árvore terá cerca de duas folhas adjacentes ao mesmo nó e terá simetrias trocando entre essas duas folhas.[1]

Referências

  1. a b c d e Erdős, P.; Rényi, A. (1963), «Asymmetric graphs» (PDF), Acta Mathematica Hungarica, 14 (3): 295–315, doi:10.1007/BF01895716 .
  2. Baron, G.; Imrich, W. (1969), «Asymmetrische reguläre Graphen», Acta Mathematica Academiae Scientiarum Hungaricae, 20: 135–142, doi:10.1007/BF01894574 .
  3. Gewirtz, Allan; Hill, Anthony; Quintas, Louis V. (1969), «The minimal number of points for regular asymmetric graphs», Universidad Técnica Federico Santa Maria. Scientia, 138: 103–111 .
  4. Frucht, R. (1939), «Herstellung von Graphen mit vorgegebener abstrakter Gruppe.», Compositio Mathematica, ISSN 0010-437X (em German), 6: 239–250 
  5. Quintas, Louis V. (1967), «Extrema concerning asymmetric graphs», Journal of Combinatorial Theory, 3 (1): 57–82, doi:10.1016/S0021-9800(67)80018-8 .