Abrir menu principal
Grande Mesquita de Alepo
جامع حلب الكبير
O minarete da mesquita em janeiro de 2011
Estilo dominante Mesquita
Arquiteto Hasan ibn Mufarraj al-Sarmini
Início da construção 715
Fim da construção 717
Religião Islão
Local Alepo, Síria

A Grande Mesquita de Alepo (árabe: جامع حلب الكبير Halab Jami 'al-Kabir) ou a Mesquita Omíada de Alepo (Masjid al-Halab Umayya BI) é a maior e mais antiga mesquita da cidade de Alepo no norte da Síria. A presente mesquita data do século XIII, no período mameluco, apenas o minarete seljúcida é de 1090.[1] O minarete porém foi destruído durante os combates em 24 de abril de 2013.[2]

Acredita-se que a mesquita abrigue os restos mortais de Zacarias, pai de João Batista.[3][4] Ela está localizada na parte antiga da cidade.

HistóriaEditar

O local onde se encontra a Grande Mesquita era uma ágora do período helenístico que mais tarde tornou-se o jardim da Catedral de Santa Helena (território) durante o governo era cristã da Síria.[4]

A mesquita foi iniciada por volta de 715 e foi construída onde era o cemitério da catedral.[5] A obra foi iniciada pelo califa omíada Ualide I e foi concluída por seu sucessor, Solimão, em 717.[6]

Na segunda metade do século XI, os mirdássidas controlavam Alepo e construíram uma fonte no pátio da mesquita.[7] O minarete de 45 metros de altura da Grande Mesquita foi restaurado por Haçane Abul Maomé, dos seljúcidas, em 1090.[8] A mesquita foi restaurada e ampliada pelo sultão Noradine em 1169 após um grande incêndio que destruiu a estrutura omíada anterior;[4] Mais tarde, os mamelucos fizeram novas alterações.[6]

Em 1260, a mesquita inteira foi arrasada pelos mongóis.[6][9]

O pátio e minarete da mesquita foram renovados em 2003.[6]

Em 13 de outubro de 2012, a mesquita foi seriamente danificada durante os confrontos entre os grupos armados do Exército Livre da Síria e forças do exército sírio. O presidente Bashar al-Assad emitiu um decreto presidencial para formar um comitê para reparar a mesquita até o final de 2013.[10] Em 24 de abril 2013, o minarete da mesquita foi reduzida a escombros durante uma troca de tiros de armas pesadas entre as forças governamentais e rebeldes durante o curso da Guerra Civil Síria. A Agência de Notícias Árabe Síria (SANA) informou que os membros da Jabhat al-Nusra detonaram explosivos dentro do minarete, enquanto ativistas afirmaram que o minarete foi destruído pelo Exército Sírio.[2][11]

ArquiteturaEditar

A Grande Mesquita foi construída em torno de um vasto pátio que se conecta a áreas diferentes da mesquita. O pátio é famoso por seu pavimento de pedra preta e branca, que forma complexos padrões geométricos, e onde se encontram duas fontes.[6]

GaleriaEditar

Referências

  1. George Mitchell, editor, Architecture of the Islamic World, Thames and Hudson, 1978, p. 231
  2. a b bbc.co.uk, ed. (24 de abril de 2013). «Syria clashes destroy ancient Aleppo minaret». Consultado em 24 de abril de 2013 
  3. The Great Mosque of Aleppo Muslim Heritage.
  4. a b c The Great Mosque (The Umayyad Mosque) Arquivado em 3 de novembro de 2008, no Wayback Machine. Syria Gate.
  5. George Mitchell, editor, Architecture of the Islamic World, Thames and Hudson, 1978, p.231.
  6. a b c d e Great Mosque of Aleppo Arquivado em 15 de julho de 2009, no Wayback Machine. Archnet Digital Library.
  7. Tabaa, 1997, p.17.
  8. Tabaa, 1997, p.40.
  9. Grousset, Rene, The Empire of the Steppes: A History of Central Asia, (Rutgers University Press, 1991), 362.
  10. Karam, Zeina. «Historic Aleppo mosque damaged in fighting; repairs ordered». Associated Press 
  11. Saad, Hwaida; Gladstone, Rick (24 de abril de 2013). «Storied Syrian Mosque's Minaret Is Destroyed». New York Times. Consultado em 24 de Abril de 2013