Abrir menu principal
Grande Mesquita de Samarra
Grande Mesquita de Samarra
Início da construção aprox. 848
Fim da construção aprox. 851
Religião Islão
Geografia
País  Iraque
Região Mesopotâmia
Local Samarra, Iraque
Coordenadas 34° 12' 21" N 43° 52' 47" E

A Grande Mesquita de Samarra[1] é uma mesquita do século IX localizada em Samarra, no Iraque. A mesquita foi comissionada em 848 e completada em 851 pelo califa abássida Mutavaquil (r. 847–861) que reinou em Samarra.

Índice

HistóriaEditar

A Grande Mesquita de Samarra foi, por um tempo, a maior mesquita do mundo; seu minarete, a Torre Maluia, é um cone em espiral de 52 metros de altura e 33 metros de largura com uma rampa em espiral.[2] O reinado de al-Mutawakkil teve um grande efeito sobre a aparência da cidade, pois ele parece ter sido um amante da arquitetura, e o responsável pela construção da grande mesquita de Samarra.[3] Em uma lista de seus projetos de construção que aparece em várias versões diferentes, a nova Mesquita Congregacional e até vinte palácios são mencionados, totalizando entre 258 e 294 milhões de dirrãs. A nova Mesquita Congregacional, com seu minarete em espiral, construída entre 849 (235 AH) e 851 (235 AH), fazia parte de uma extensão da cidade a leste, estendendo-se até o antigo parque de caça.[4]

A mesquita em si foi destruída em 1278 (656 AH) depois da invasão do Iraque por Hulagu Cã. Apenas a parede externa e seu minarete permanecem.[5]

Antiga mesquitaEditar

A mesquita tinha 17 corredores e suas paredes eram revestidas com mosaicos de vidro azul escuro. Fazia parte de uma extensão de Samarra ao leste.

A arte e a arquitetura da mesquita eram influentes; entalhes de estuque dentro da mesquita em desenhos florais e geométricos representam a decoração islâmica primitiva. Além disso, a mesquita de Ibn Tulun no Cairo, no Egito, foi baseada na mesquita de Samarra em muitos aspectos.[6]

MaluiaEditar

 
A espiral do minarete vista à distância

O Minarete Maluia (em árabe: ملوية malwiyah) faz parte da Grande Mesquita de Samarra. O minarete era originalmente conectado à mesquita por uma ponte.

O minarete ou torre foi construído em 848-852, em arenito, e é único entre outros minaretes por causa de seu desenho cônico espiral ascendente. Com 52 metros de altura e 33 metros de largura na base, a espiral contém escadas que chegam até o topo.[7] A palavra "maluia" se traduz como "torcido" ou "concha de caracol".[8][9]

O Maluia era usado para o "chamado à oração"; sua altura tornou prático para tal uso. É visível de uma distância considerável na área em torno de Samarra e, portanto, pode ter sido projetado como uma forte declaração visual da presença do Islã no Vale do Tigre.[7]

O projeto espiral singular do minarete é dito por alguns como sendo derivado da arquitetura dos zigurates da Mesopotâmia.[10] Alguns consideram a influência do Pilar de Gor, construído no tempo do Império Sassânida, mais proeminente.[11]

A forma espiral do minarete inspirou o projeto do vencedor do Prêmio Pritzker de Arquitetura, Philip Johnson, pela Capela de Ação de Graças de 1976 na Thanks-Giving Square em Dalas, Texas.[12][13][14]

Em 2005, o topo do minarete Maluia foi danificado por uma bomba. A polícia iraquiana disse que insurgentes explodiram a parte de cima da torre de 52 metros, usada anteriormente por soldados norte-americanos como vigia, apesar de as tropas americanas terem saído do local um mês antes.[15][16]

Referências

  1. em árabe: جامع سامراء الكبير ou المسجد الجامع في سامراء ou مسجد سامراء الكبير
  2. See Historic Mosques site Arquivado em 2006-07-10 no Archive.is.
  3. Dennis, Sharp (1991). The Illustrated Encyclopedia of Architects and Architecture. Nova Iorque: Whitney Library of Design. p. 204 
  4. D. Hoag., John. Islamic Architecture. [S.l.]: Electra/Rizzoli 
  5. "مسجد سامرا ؛ برخوردار از مناره ای 53 متری و حلزونی شکل" (em Persa). Mehr News Agency. Acesso em 27 de março de 2012.
  6. Behrens-Abouseif, Doris. "Islamic architecture in Cairo: an introduction." American University in Cairo Press: 2005. 51-57
  7. a b Kleiner, Fred S. and Christin J. Mamiya. Gardner's Art Through the Ages: 12th edition. Thomson Wadsworth, 2005
  8. Kuban, Doğan (1974). «The Development of Early Mosque Architecture». The Mosque and Its Early Development. Leiden, Netherlands: Brill Publishers. p. 16 
  9. Kleiner, Fred (2011). «The Islamic World». Gardner’s Art through the Ages: Backpack Edition, Book 3. Boston: Cengage Learning. p. 289 
  10. Henri, Stierlin (1977). Comprendre l'Architecture Universelle 2 (em inglês). Friburgo, Suíça: Office du Livre. p. 347. Grande mesquita, Samarra, foi construída durante o califado de Mutavaquil. É a maior mesquita do mundo. Construído inteiramente de tijolo dentro de uma parede ladeada por torres, tem um minarete de 55 m de altura com uma rampa em espiral que lembra os zigurates da Mesopotâmia 
  11. http://rch.ac.ir/article/Details?id=10224
  12. «Self-Guided Tour» 
  13. «Travel Tips: Thanks-Giving Chapel's Islamic Design a Visual, Spiritual Gem in Downtown Dallas». WRMEA (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  14. Schulze, Franz (15 de junho de 1996). Philip Johnson: Life and Work (em inglês). [S.l.]: University of Chicago Press. ISBN 9780226740584 
  15. «Middle East | Ancient minaret damaged in Iraq». BBC News. 1 de abril de 2005. Consultado em 3 de setembro de 2015 
  16. http://www.cemml.colostate.edu/cultural/09476/images/iraq08-02-sniper2.jpg

Ligações ExternasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grande Mesquita de Samarra