Pirâmide de Tepanapa

(Redirecionado de Grande Pirâmide de Cholula)

A Pirâmide de Tepanapa, também conhecida como a Grande Pirâmide de Cholula ou Tlachihualtepetl (náuatle para "montanha feita à mão"), é um enorme complexo localizado em Cholula, Puebla, México. É o maior sítio arqueológico de uma pirâmide (templo) no Novo Mundo, bem como a maior estrutura piramidal já registrada.[1][2]

Pirâmide de Tepanapa
Concepção artística da pirâmide em seu auge

A pirâmide fica 55 metros acima da planície circundante e, em sua forma final, mede 450 por 450 metros.[3] A pirâmide é um templo que tradicionalmente é visto como dedicado ao deus Quetzalcoatl.[4] O estilo arquitetônico do edifício estava intimamente ligado ao de Teotihuacan, no vale do México, embora a influência da Costa do Golfo também seja evidente, especialmente de El Tajín.[5]

A pirâmide está localizada no município de San Andrés Cholula. A cidade é dividida em dois municípios, chamados San Andrés e San Pedro. Esta divisão se origina na conquista da cidade por toltecas e chichimecas no século XII. Eles expulsaram a etnia dominante anterior dos olmecas.[6] Esses povos mantinham a pirâmide como seu principal centro religioso, mas os recém-dominantes toltecas fundaram um novo templo para Quetzalcoatl, onde fica o mosteiro de San Gabriel.<[7]

O nome cholula tem sua origem na antiga palavra náuatle cholollan, que significa "local de refúgio".[8] A Grande Pirâmide era um importante centro religioso e mítico nos tempos pré-hispânicos.[9] Durante um período de mil anos antes da conquista espanhola, fases consecutivas de construção gradualmente ergueram a maior parte da pirâmide até se tornar a maior da Mesoamérica em volume.[9]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Coe & Koontz 1962, 2002, p. 120.
  2. The giant pyramid hidden inside a mountain, BBC News, retrieved on August 15, 2016
  3. «8 Largest Pyramids in the World (with Photos & Map)». www.touropia.com (em inglês). Touropia. Consultado em 28 de maio de 2018 
  4. Coe & Koontz 1962, 2002, p. 121.
  5. Davies 1982, 1990, p. 92.
  6. «Puebla-San Andrés Cholula». Municipal Enciclopedia de los Municipios de México (em Spanish). Mexico: Instituto Nacional para el Federalismo y el Desarrollo. 2009. Consultado em 11 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 22 de julho de 2011 
  7. Solanes Carraro 1991, p. 3.
  8. Solanes Carraro 1991, p. 2.
  9. a b Solanes Carraro 1991, p. 4.

BibliografiaEditar

Ayuntamiento de San Pedro Cholula (2008–2011). «San Pedro Cholula – Tradiciones y Leyendas» (em espanhol). Cholula, Mexico: Ayuntamiento de San Pedro Cholula. Consultado em 11 de fevereiro de 2011. Cópia arquivada em 26 de setembro de 2010 
Coe, Michael D.; Rex Koontz (2002) [1962]. Mexico: from the Olmecs to the Aztecs 5th, revised and enlarged ed. London and New York: Thames & Hudson. ISBN 0-500-28346-X. OCLC 50131575 
Davies, Nigel (1990) [1982]. The Ancient Kingdoms of Mexico. Col: Pelican Books series 1990 reprint ed. Harmondsworth, England: Penguin Books. ISBN 0-14-022232-4. OCLC 11212208 
Lehner, Mark (1997). The Complete Pyramids. London: Thames & Hudson. ISBN 0-500-05084-8. OCLC 37907456 
Ramírez, Clara (29 de junho de 2003). «Es Cholula zona viva» [Cholula is a living zone]. Reforma (em Spanish). Mexico City. p. 11 
Rodríguez, Dionisio (2007). «Capítulo IV – La pintura mural prehisánica de Cholula». Sabios y arqueólogos en pos de la antigua ciudad. Mexico: CONACULTA-INAHa. ISBN 970-678-027-0 
Solanes Carraro, María del Carmen (1991). Cholula, Puebla. Mexico: Instituto Nacional de Antropología e Historia. OCLC 423698194 
Solís, Felipe; Verónica Velázquez (2007). «Capítulo III – Sabíos y archeólogos en pos de los restos de la antigua ciudad». Sabios y arqueólogos en pos de la antigua ciudad. Mexico: CONACULTA-INAHa. ISBN 970-678-027-0 
Cordero Vazquez, Donato (2000). Virgen de los Remedios en Cholula [Virgin of the Remedies in Cholula] (em Spanish). Puebla, Mexico: Media IV Impresion Visual. ISBN 978-970-94806-6-5 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre o México é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.