Grande Prêmio da África do Sul de 1980

Resultados do Grande Prêmio da África do Sul de Fórmula 1 realizado em Kyalami em 1º de março de 1980.[2] Terceira etapa da temporada, foi vencido pelo francês René Arnoux, da Renault, que subiu ao pódio ladeado por seus compatriotas, Jacques Laffite e Didier Pironi, pilotos da Ligier-Ford.[nota 1]

Grande Prêmio da África do Sul
de Fórmula 1 de 1980
Kyalami 1961 - 1988 Layout.png
14º GP da África do Sul realizado em Kyalami
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 1º de março de 1980
Nome oficial XXVI Nashua South African Grand Prix[1]
Local Kyalami, Midrand, Província de Gautengue, África do Sul
Percurso 4.104 km
Total 78 voltas / 320.112 km
Condições do tempo Seco
Pole
Piloto
França Jean-Pierre Jabouille Renault
Tempo 1:10.00
Volta mais rápida
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:13.15 (na volta 52)
Pódio
Primeiro
França René Arnoux Renault
Segundo
França Jacques Laffite Ligier-Ford
Terceiro
França Didier Pironi Ligier-Ford

ResumoEditar

Última pole de JabouilleEditar

Nenhum francês triunfou no Grande Prêmio da África do Sul até hoje, mas a julgar pela geografia tal história chegará ao fim em 1980, pois como o circuito de Kyalami situa-se mil e oitocentos metros acima do nível do mar, os motores turbo da Renault ganham ainda mais força em relação aos demais e como se não fosse o bastante a reta de Crowthorne apresenta-se como o local ideal para despejar tanta potência antes de chegar à região sinuosa da pista. Nos treinos extraoficiais de quarta-feira o melhor tempo foi de Jean-Pierre Jabouille em sua Renault amarela com a Ligier de Jacques Laffite vindo a seguir enquanto René Arnoux foi o terceiro com a outra Renault num treino onde o novato Alain Prost e o veterano Clay Regazzoni bateram no guard rail interrompendo a sessão. O francês da McLaren, inclusive, quebrou o pulso e não correrá no sábado. Outra vítima de acidente em Kyalami foi Marc Surer, cuja ATS perdeu o freio deixando o suíço preso nas ferragens após bater na mureta de proteção. Resgatado pelos bombeiros, ele sofreu ferimentos nas pernas e não estará na etapa sul-africana.[3][4]

Calendário à parte, o grid de largada foi definido na quinta-feira quando a Renault capturou a primeira fila com Jean-Pierre Jabouille e René Arnoux enquanto Nelson Piquet fincou sua Brabham em terceiro lugar na frente de Jacques Laffite e Didier Pironi, dupla da Ligier, com a Williams de Carlos Reutemann em sexto lugar. Tais posições quedaram inalteradas no dia seguinte, mesmo assim houve mudanças, a começar pela ascensão de Patrick Depailler para o sétimo lugar com sua Alfa Romeo, um posto à frente da Williams de Alan Jones, o líder do campeonato. Circuscrita à quinta fila do grid, a Ferrari vivia o seu calvário sem fim no pós-título enquanto a Shadow participou pela última vez de um Grande Prêmio com o vigésimo quinto lugar de Geoff Lees, embora a equipe de Northampton fundada por Don Nichols tenha disputado classificações até o Grande Prêmio da França de 1980, dias antes de fechar as portas.[5][6] Saliente-se que a África do Sul foi palco da sexta e última pole position na carreira de Jean-Pierre Jabouille.

Domínio francês em KyalamiEditar

Jean-Pierre Jabouille e René Arnoux mantiveram as posições de largada e comandaram a prova em dobradinha por 61 voltas quando o pneu de Jabouille foi pelos ares e seu companheiro de equipe assumiu o controle da prova. Até então a disputa ficou circunscrita ao terceiro lugar, posição inicialmente ocupada por Alan Jones até a ultrapassagem de Jacques Laffite. Líder do campeonato, o australiano da Williams parecia resignado com o quarto posto, mas na volta 34 seu câmbio quebrou e Carlos Reutemann herdou a posição em disputa, com a Tyrrell de Jean-Pierre Jarier em quinto e a Brabham de Nelson Piquet em sexto lugar. A torcida local viu Jody Scheckter abandonar por quebra de motor após 14 voltas e para desgosto da Ferrari, Gilles Villeneuve não resistiu a uma falha no sistema de transmissão dezessete giros mais tarde.[7] Em meio à frustração dos espectadores, um fato passou despercebido: Jody Scheckter tornou-se o último sul-africano a correr diante de seu público, algo ainda vigente em 2021.

Enquanto Jabouille estava na pista, René Arnoux aproximou-se de por mais de uma vez de seu companheiro de equipe, mas não executou a manobra de ultrapassagem, contudo a situação mudou quando a Renault ficou somente com um carro na pista e assim Arnoux fez valer seu melhor equipamento e abriu grande vantagem para Jacques Laffite enquanto Didier Pironi não tinha como aproximar-se da outra Ligier, pois este demorou para assumir o terceiro lugar após um duelo férreo com a Brabham de Nelson Piquet e a Williams de Carlos Reutemann quando faltavam dez voltas para o fim da corrida enquanto Jochen Mass posicionou a Arrows em sexto lugar.[3] Com esses resultados a liderança do campeonato está nas mãos de René Arnoux com 18 pontos enquanto Alan Jones tem 13, quatro a mais que Nelson Piquet. No mundial de construtores o placar é favorável para a Renault com 18 pontos ante 15 da Williams, mas o terceiro lugar nesse quesito era da Ligier com 13 pontos, pois na Brabham Ricardo Zunino jamais pontuou desde que foi contratado por Bernie Ecclestone quando Niki Lauda abandonou a Fórmula 1 no Grande Prêmio do Canadá de 1979.[8]

Com René Arnoux em primeiro, Jacques Laffite em segundo e Didier Pironi em terceiro, a prova sul-africana presenciou uma tripla glória francesa, cena impressionante de tão rara. A última vez que pilotos de um mesmo país conquistaram todos os degraus do pódio foi no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1968. Aquele fim de semana em Watkins Glen, marcado também pela estreia do vetusto Mario Andretti,[9] resultou em três britânicos no pódio: Jackie Stewart, Graham Hill e John Surtees.

Retorno apenas em 1982Editar

Em 21 de novembro de 1980 a Federação Internacional de Automobilismo Esportivo (FISA) divulgou o calendário de 1981 e nele a etapa sul-africana foi marcada para 7 de fevereiro, mas uma queda de braço com a Associação dos Construtores da Fórmula 1 (FOCA) em torno do controle político e econômico da Fórmula 1 transformou a prova em Kyalami num evento de Fórmula Livre, sem relação com a categoria[10][11] e por conta disso a África do Sul regressou ao calendário da velocidade apenas em 1982.

ClassificaçãoEditar

TreinosEditar

Pos. Piloto Construtor Tempo Dif.
1 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 1:10.00 -
2 16   René Arnoux Renault 1:10.21 + 0.11
3 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 1:11.87 + 1.87
4 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 1:11.88 + 1.88
5 25   Didier Pironi Ligier-Ford 1:12.11 + 2.11
6 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 1:12.15 + 2.15
7 22   Patrick Depailler Alfa Romeo 1:12.16 + 2.16
8 27   Alan Jones Williams-Ford 1:12.23 + 2.23
9 1   Jody Scheckter Ferrari 1:12.32 + 2.32
10 2   Gilles Villeneuve Ferrari 1:12.38 + 2.38
11 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 1:12.50 + 2.50
12 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 1:12.51 + 2.51
13 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 1:12.70 + 2.70
14 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 1:12.74 + 2.74
15 11   Mario Andretti Lotus-Ford 1:12.93 + 2.93
16 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 1:13.04 + 3.04
17 6   Ricardo Zunino Brabham-Ford 1:13.05 + 3.05
18 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 1:13.23 + 3.23
19 29   Jochen Mass Arrows-Ford 1:13.25 + 3.25
20 14   Clay Regazzoni Ensign-Ford 1:13.25 + 3.25
21 7   John Watson McLaren-Ford 1:13.61 + 3.61
22 12   Alain Prost McLaren-Ford 1:13.76 + 3.76
23 31   Eddie Cheever Osella-Ford 1:13.83 + 3.83
24 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 1:13.84 + 3.84
25 17   Geoff Lees Shadow-Ford 1:14.46 + 4.46
26 9   Marc Surer ATS-Ford 1:14.54 + 4.54
27 18   David Kennedy Shadow-Ford 1:15.23 + 5.23
28 10   Jan Lammers ATS-Ford 1:15.29 + 5.29
Fonte:[12]

CorridaEditar

Pos Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 16   René Arnoux Renault 78 1:36:52.54 2 9
2 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 78 + 34.07 4 6
3 25   Didier Pironi Ligier-Ford 78 + 52.49 5 4
4 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 78 + 1:01.02 3 3
5 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 77 + 1 volta 6 2
6 30   Jochen Mass Arrows-Ford 77 + 1 volta 19 1
7 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 77 + 1 volta 13
8 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 77 + 1 volta 18
9 14   Clay Regazzoni Ensign-Ford 77 + 1 volta 20
10 6   Ricardo Zunino Brabham-Ford 77 + 1 volta 17
11 7   John Watson McLaren-Ford 76 + 2 voltas 21
12 11   Mario Andretti Lotus-Ford 76 + 2 voltas 15
13 17   Geoff Lees Shadow-Ford 70 Suspensão 24
Ret 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 69 Motor 12
Ret 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 61 Perda de roda 1
Ret 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 61 Pneu estourado 16
Ret 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 58 Acidente 23
NC 22   Patrick Depailler Alfa Romeo 53 Não classificado 7
Ret 27   Alan Jones Williams-Ford 34 Câmbio 8
Ret 2   Gilles Villeneuve Ferrari 31 Transmissão 10
Ret 1   Jody Scheckter Ferrari 14 Motor 9
Ret 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 10 Bateu 11
Ret 31   Eddie Cheever Osella-Ford 8 Bateu 22
Ret 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 1 Bateu 14
DNS 8   Alain Prost McLaren-Ford Pulso quebrado
DNS 14   Marc Surer ATS-Ford Pernas feridas
DNQ 18   David Kennedy Shadow-Ford
DNQ 10   Jan Lammers ATS-Ford
Fonte:[2]

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As quatorze etapas de 1980 foram divididas em dois blocos de sete e neles cada piloto podia computar cinco resultados válidos não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Jean-Pierre Jabouille 61 voltas (1-61), René Arnoux 17 voltas (62-78).

Referências

  1. a b c «1980 South African GP – championships (em inglês) no Chicane F1». Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  2. a b «1980 South African Grand Prix - race result». Consultado em 26 de setembro de 2018 
  3. a b «South African GP, 1980 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  4. Fred Sabino (18 de setembro de 2019). «Marc Surer teve bons resultados com carros fracos e chance na Brabham com Nelson Piquet». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 5 de março de 2021 
  5. Redação (1 de março de 1980). «Jabouille, pole position no GP da África do Sul. Esportes, p. 22». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  6. «Shadow Cars Inc. (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  7. Redação (2 de março de 1980). «Arnoux vence, Piquet é 4º e Emerson, o 8º. Geral, p. 42». acervo.estadao.com.br. O Estado de S. Paulo. Consultado em 26 de setembro de 2018 
  8. Fred Sabino (30 de setembro de 2019). «Após Niki Lauda parar de correr de repente, Alan Jones bateu Gilles Villeneuve no Canadá, há 40 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  9. Fred Sabino (28 de fevereiro de 2020). «Campeão da Fórmula 1 em 1978, Mario Andretti completa 80 anos; relembre trajetória na categoria». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  10. Redação (22 de novembro de 1980). «Nacache diz que não haverá F-1 sem GP Brasil. Primeiro Caderno – Esportes, p. 20». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  11. Fred Sabino (7 de fevereiro de 2021). «Guerra política entre Foca e Fisa fez GP da África do Sul de F1 em 1981 virar prova de Fórmula Livre». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  12. «1980 South African Grand Prix - starting grid». Consultado em 16 de fevereiro de 2021 

Precedido por
Grande Prêmio do Brasil de 1980
Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1980
Sucedido por
Grande Prêmio do Oeste dos EUA de 1980
Precedido por
Grande Prêmio da África do Sul de 1979
Grande Prêmio da África do Sul
26ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da África do Sul de 1982