Abrir menu principal

Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1982

Grande Prêmio da Grã-Bretanha
de Fórmula 1 de 1982
Brands Hatch Grand Prix circuit 1976-1987.png
Décimo GP da Grã-Bretanha em Brands Hatch
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 18 de julho de 1982
Nome oficial XXXV Marlboro British Grand Prix[nota 1]
Local Brands Hatch, Kent, Inglaterra, Grã-Bretanha, Reino Unido
Total 76 voltas / 319.719 km
Condições do tempo Quente, ensolarado
Pole
Piloto
Finlândia Keke Rosberg Williams-Ford
Tempo 1:09.540[1]
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Brian Henton Tyrrell-Ford
Tempo 1:13.028[2] (na volta 63)
Pódio
Primeiro
Áustria Niki Lauda McLaren-Ford
Segundo
França Didier Pironi Ferrari
Terceiro
França Patrick Tambay Ferrari

Resultados do Grande Prêmio da Grã-Bretanha de Fórmula 1 realizado em Brands Hatch em 18 de julho de 1982.[3] Décima etapa da temporada, foi vencido pelo austríaco Niki Lauda, da McLaren-Ford, que foi ladeado no pódio por Didier Pironi e Patrick Tambay, pilotos da Ferrari.[4][nota 2]

ResumoEditar

Calendário para 1983Editar

Conforme o calendário provisório da Fórmula 1 divulgado em Brands Hatch a temporada de 1983 teria dezoito etapas a serem disputados em nove meses.[5] Em relação ao que foi aprovado houve o seguinte: Brasil, Oeste dos EUA, Mônaco, Detroit e Canadá mantiveram as datas estipuladas. Por outro lado, África do Sul, San Marino, Bélgica, Países Baixos, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Áustria e Itália ocorreram em outros dias e dentre as provas canceladas estavam Argentina, Suíça e Las Vegas,[6] bem como abandonaram a ideia de correr em Nova York ou Moscou.[5]

TreinosEditar

Logo na sexta-feira o finlandês Keke Rosberg assinalou 1:09.540 e assinalou o melhor tempo com sua Williams e não foi superado por seus concorrentes, enquanto Riccardo Patrese e Nelson Piquet se esforçaram para levar a Brabham adiante da Ferrari de Didier Pironi, o quarto colocado. Como o tempo do finlandês não foi batido por seus concorrentes, o mesmo conseguiu a primeira pole de sua carreira.[7][5]

Vitória de Niki LaudaEditar

Todo o esforço empreendido nos dias anteriores por Keke Rosberg resultou em decepção quando sua Williams falhou durante a volta de apresentação, obrigando-o a largar em último. No momento em que a prova começou, o piloto Riccardo Patrese (Brabham) não conseguiu partir e foi atingido por René Arnoux (Renault) e este por Teo Fabi (Toleman) num imbróglio que eliminou o referido trio e no meio do qual alçou Nelson Piquet à liderança, condição mantida por nove voltas adiante de Niki Lauda. Largando com pneus mais macios e menos gasolina no tanque, o brasileiro manteve a primeira posição até a quebra de sua bomba de combustível resultando num benefício para Lauda. Antes disso um novo acidente eliminou John Watson (McLaren), Chico Serra (Fittipaldi) e Jean-Pierre Jarier (Osella) enquanto Roberto Guerrero (Ensign) saiu da contenda por quebra de motor.[8]

Seguro em sua condução, o austríaco foi perseguido a uma certa distância por Didier Pironi até que o piloto da Ferrari foi superado por Derek Warwick na vigésima quinta volta para delírio do público, mas o desgosto se impôs quando a Toleman do britânico parou após dezesseis voltas por falta de combustível, afinal largara em décimo sexto lugar com apenas meio tanque visando atrair novos patrocinadores. Ato contínuo, Pironi recuperou o segundo lugar enquanto Elio de Angelis galgou a terceira posição com sua Lotus.[4] Sob certa modorra, a prova trouxe algo inédito para os compêndios da Fórmula 1: a primeira e única volta mais rápida na carreira do britânico Brian Henton, façanha obtida quando sua Tyrrell marcou 1:13.028 na sexagésima terceira volta. Poupando ao máximo seu equipamento, Niki Lauda venceu com vinte e cinco segundos de vantagem sobre Didier Pironi enquanto Patrick Tambay conquistou o primeiro pódio de sua carreira ao superar Elio de Angelis na última volta,[9] sendo que o italiano da Lotus por pouco não cedeu posições à Williams de Derek Daly e à Renault de Alain Prost, os quais completaram a zona de pontuação.[3][10]

Graças aos resultados do momento Didier Pironi assumiu a liderança do campeonato com 35 pontos ante 30 de John Watson. No campeonato de construtores a McLaren liderava com 54 pontos, nove a mais que a Ferrari.[11]

Classificação da provaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 8   Niki Lauda McLaren-Ford 76 1:35:33.812 5 9
2 28   Didier Pironi Ferrari 76 + 25.726 4 6
3 27   Patrick Tambay Ferrari 76 + 38.436 13 4
4 11   Elio de Angelis Lotus-Ford 76 + 41.242 7 3
5 5   Derek Daly Williams-Ford 76 + 41.430 10 2
6 15   Alain Prost Renault 76 + 41.636 8 1
7 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 75 + 1 volta 14
8 4   Brian Henton Tyrrell-Ford 75 + 1 volta 17
9 30   Mauro Baldi Arrows-Ford 74 + 2 voltas 26
10 17   Jochen Mass March-Ford 73 + 3 voltas 25
Ret 22   Andrea de Cesaris Alfa Romeo 66 Pane elétrica 11
Ret 25   Eddie Cheever Ligier-Matra 60 Motor 24
Ret 29   Marc Surer Arrows-Ford 59 Motor 22
Ret 6   Keke Rosberg Williams-Ford 50 Sistema de combustível 1
Ret 3   Michele Alboreto Tyrrell-Ford 44 Motor 9
Ret 26   Jacques Laffite Ligier-Matra 41 Câmbio 20
Ret 35   Derek Warwick Toleman-Hart 40 Semieixo 16
Ret 12   Nigel Mansell Lotus-Ford 29 Cansaço físico 23
Ret 1   Nelson Piquet Brabham-BMW 9 Sistema de combustível 3
Ret 14   Roberto Guerrero Ensign-Ford 3 Motor 19
Ret 31   Jean-Pierre Jarier Osella-Ford 2 Colisão 18
Ret 20   Chico Serra Fittipaldi-Ford 2 Colisão 21
Ret 7   John Watson McLaren-Ford 2 Spun Off 12
Ret 2   Riccardo Patrese Brabham-BMW 0 Colisão 2
Ret 16   René Arnoux Renault 0 Colisão 6
Ret 36   Teo Fabi Toleman-Hart 0 Colisão 15
DNQ 9   Manfred Winkelhock ATS-Ford
DNQ 33   Jan Lammers Theodore-Ford
DNQ 10   Eliseo Salazar ATS-Ford
DNQ 18   Raul Boesel March-Ford

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por temporada não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. A denominação oficial de uma corrida não reflete, necessariamente, o número real de provas realizadas sob um mesmo nome, informação esta inserida abaixo na caixa de sucessão.
  2. Voltas na liderança: Nelson Piquet 9 voltas (1-9); Niki Lauda 67 voltas (10-76).

Referências

  1. Lang, Mike (1992). Grand Prix! Vol 4. [S.l.]: Haynes Publishing Group. p. 115. ISBN 0-85429-733-2 
  2. Lang, Mike (1992). Grand Prix! Vol 4. [S.l.]: Haynes Publishing Group. p. 118. ISBN 0-85429-733-2 
  3. a b «1982 British Grand Prix - race result». Consultado em 13 de fevereiro de 2018 
  4. a b Fred Sabino (18 de julho de 2019). «Em 1982, GP em Brands Hatch teve vitória de Lauda, show de Warwick e pódio de Tambay». Globo Esporte. Consultado em 18 de julho de 2019 
  5. a b c Rosberg larga na frente com Piquet em 3º (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 18/07/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 04. Página visitada em 11 de outubro de 2019.
  6. São 17 provas ao longo de 7 meses (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 13/03/1983. Esportes, 3º caderno, p. 28. Página visitada em 11 de outubro de 2019.
  7. Rosberg faz o melhor tempo em Brands Hatch (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/07/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 03. Página visitada em 11 de outubro de 2019.
  8. Piquet abandona e Lauda vence a 2ª este ano (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 19/07/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 04. Página visitada em 13 de fevereiro de 2019.
  9. Fred Sabino (25 de junho de 2019). «Um dos nomes mais simpáticos da Fórmula 1, Patrick Tambay completa 70 anos de idade». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  10. «British GP, 1982 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 14 de novembro de 2019 
  11. «1982 British GP (em inglês) no chicane.com». Consultado em 14 de novembro de 2019 
Precedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1982
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1982
Sucedido por
Grande Prêmio da França de 1982
Precedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1981
Grande Prêmio da Grã-Bretanha
37ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1983