Grande Prêmio dos Países Baixos de 1980

Resultados do Grande Prêmio dos Países Baixos de Fórmula 1 realizado em Zandvoort em 31 de agosto de 1980.[2] Décima primeira etapa da temporada, foi vencido pelo brasileiro Nelson Piquet, da Brabham-Ford.[3][nota 1]

Grande Prêmio dos Países Baixos
de Fórmula 1 de 1980
Circuit Park Zandvoort-1980.svg
27º GP dos Países Baixos em Zandvoort
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 31 de agosto de 1980
Nome oficial XXVII Grote Prijs van Nederland[1]
Local Circuito de Zandvoort, Zandvoort, Holanda do Norte, Países Baixos
Percurso 4.252 km
Total 72 voltas / 306.144 km
Condições do tempo Ensolarado, ameno, seco
Pole
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:17.44
Volta mais rápida
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:19.35 (na volta 67)
Pódio
Primeiro
Brasil Nelson Piquet Brabham-Ford
Segundo
França René Arnoux Renault
Terceiro
França Jacques Laffite Ligier-Ford

ResumɒEditar

Grid completo em ZandvoortEditar

A convalescença de Jochen Mass em razão do acidente sofrido no Grande Prêmio da Áustria influenciou a composição do grid neerlandês, a começar pela decisão da Tyrrell em ceder os talentos de Mike Thackwell à Arrows como substituto de Mass enquanto Geoff Lees foi inscrito para guiar um segundo Ensign e a Alfa Romeo recontratou Vittorio Brambilla como substituto do finado Patrick Depailler,[4] encerrando um ciclo de duas provas onde a equipe italiana era defendida apenas por Bruno Giacomelli e por fim a Lotus manteve a tríade que correu na Áustria. Deste modo os treinos no Circuito de Zandvoort serão disputados por vinte e oito pilotos em busca de vinte e quatro vagas disponíveis.[5]

Calouros ou veteranos, ninguém exibia as credenciais de Jan Lammers, único neerlandês entre os contendores. Piloto da Ensign, ele nasceu na cidade de Zandvoort e era saudado pelos torcedores que agitavam o pavilhão nacional em sua honra e como se não bastasse tal respaldo, ele corria em propriedade familiar, afinal era genro do proprietário do circuito.[6] Euforia à parte, a sexta-feira foi bem agitada nos Países Baixos devido ao acidente de John Watson, que perdeu os freios de sua McLaren no final da reta, passou direto pela curva Tarzan e bateu, resultando em dores na cabeça e na barriga. Alan Jones também ficou sem freios quando a Williams fez a curva Hunzerung antes de travar o acelerador e espatifar o carro, sem falar em um acidente de Keke Rosberg com a Fittipaldi.[6]

Quanto aos treinos de sexta-feira tivemos dois carros da Renault na primeira fila com René Arnoux e Jean-Pierre Jabouille, a segunda ocupada pelas Williams de Carlos Reutemann e Alan Jones com Nelson Piquet em quinto pela Brabham, quase emulando os treinos iniciais do Grande Prêmio da Áustria há uma semana.[7][8]

Renault mantém primeira filaEditar

O sábado começou sob chuva no Circuito de Zandvoort e a ameaça da mesma persistiu durante o dia, mas o treino derradeiro aconteceu em pista seca. Nele Emerson Fittipaldi subiu para o vigésimo primeiro lugar, quatro postos em relação ao dia anterior, embora o clima na Fittipaldi fosse também de perda devido a não classificação de Keke Rosberg.[9] Os primeiros lugares mantiveram-se inalterados e a Renault confirmou a pole position de René Arnoux e o segundo lugar de Jean-Pierre Jabouille. Nas vagas seguintes mantiveram-se as Williams de Carlos Reutemann e Alan Jones enquanto a Brabham de Nelson Piquet acomodou-se na terceira fila ao lado da Ligier de Jacques Laffite.[10] Além do supracitado Keke Rosberg, três outros competidores não se classificaramː Rupert Keegan em sua Williams comprada pela RAM Racing, Jan Lammers que frustrou a torcida neerlandesa a bordo da Ensign e o jovem Mike Thackwell, da Arrows.[11]

Vitória redentora de PiquetEditar

Embora os motores turbo da Renault fossem mais potentes, alguns instantes de inércia bastaram para a Williams de Alan Jones assumir a liderança após a largada tendo René Arnoux em segundo à frente de um sexteto formado por Jacques Laffite, Carlos Reutemann, Jean-Pierre Jabouille e Nelson Piquet. Entretanto a sorte do australiano foi pelos ares no giro seguinte quando a minissaia lateral direita de seu carro foi danificada ao passar sobre uma zebra e este fato obrigou Jones a ir para os boxes, mas não sem antes reunir seus perseguidores entregando o primeiro lugar a Arnoux antes deste ser "engolido" por Laffite. Outro que teve um início ruim de prova foi Reutemann, ultrapassado por Jabouille, Villeneuve e Piquet caindo para o sexto lugar na terceira volta. Gilles Villeneuve e Nelson Piquet despacharam Jean-Pierre Jabouille subindo, respectivamente, para terceiro e quarto com Bruno Giacomelli adiante de Carlos Reutemann no sexto giro. Ao longo das voltas seguintes destacou-se a volição de Nelson Piquet ao superar Villeneuve e Arnoux (não obstante a potência da Renault no retão de Zandvoort), mas o grande momento da prova ocorreu na décima terceira passagem quando o brasileiro tomou a liderança de Jacques Laffite na freada da curva Tarzan.[3]

A pilotagem esmerada de Nelson Piquet tornou possível sua ascensão ao primeiro lugar e a partir de então o brasileiro estendeu sua vantagem sobre os rivais e consolidou sua liderança, seguido por um Jacques Laffite conformado com o segundo lugar, mas atrás deles houve certa emoção quando Bruno Giacomelli assumiu o terceiro lugar ao superar René Arnoux e Mario Andretti subiu para quinto ao superar Carlos Reutemann após embirrar por algumas voltas. Um erro de Giacomelli, contudo, o fez rodar e despencar para sétimo em seu retorno ao asfalto, atrás da Tyrrell de Jean-Pierre Jarier, onde o italiano da Alfa Romeo permaneceu até a volta cinquenta e oito quando um acidente o eliminou da contenda.[3] Ato contínuo, o grupo dos seis manteve-se inalterado, a não ser pelo fato de Reutemann ter superado Andretti, quinto colocado adiante de Jarier.

Em meio a uma tarde previsível, os 50 mil espectadores e o público que acompanhava a prova pela TV tomaram um susto na volta sessenta quando a Tyrrell de Derek Daly quebrou a suspensão e passou reto pela curva Tarzan atravessando a área de escape exigindo o máximo dos freios antes de chocar-se com a barreira de pneus a 272 km/h, voar e cair no chão.[12] "Percebi que ia ocorrer o choque e encolhi minhas pernas antes. Foi muita sorte, pois toda a frente do carro ficou danificada", explicou Daly aos jornalistas algum tempo após ser resgatado pelos fiscais de pista e sobrelevar o torpor inicial restando-lhe apenas um corte na perna.[13] Enquanto isso Piquet caminhava rumo à vitória enquanto novas alterações ocorriamː Mário Andretti parou por falta de gasolina a duas voltas para o final do Grande Prêmio e no mesmo instante René Arnoux acelerou a Renault tomou o segundo posto de Jacques Laffite em sua Ligier cruzando a linha de chegada meio segundo à frente de seu compatriota. Próximo aos dois franceses chegou a Williams de Carlos Reutemann e uma volta depois Jean-Pierre Jarier levou sua Tyrrell ao quinto lugar com a McLaren de Alain Prost em sexto.[5][3]

Vencedor da prova com treze segundos de vantagem sobre Arnoux e Laffite, o triunfo de Nelson Piquet foi reconhecido pelos companheiros de pódioː "Piquet estava simplesmente invencível. Ninguém nessa corrida conseguiria superá-lo", disse René Arnoux ao final da porfia.[14] "Era o dia dele. Guiou como mestre, sem um erro, sem a menor complicação, do princípio ao fim. Quando me passou era a coisa mais natural do mundo. Nem pensei em luta. Vi logo que não adiantaria mesmo", completou Jacques Laffite.[15] Graças ao triunfo nos Países Baixos, Nelson Piquet chegou aos 45 pontos contra os 47 pontos de Alan Jones, líder do certame e que finalizou a prova três voltas atrás de seu rival da Brabham. No mundial de construtores a Williams ostenta uma liderança de 80 pontos e está às vésperas de um título inédito.[16]

ClassificaçãoEditar

TreinosEditar

Pos. Piloto Construtor Tempo Dif.
1 16   René Arnoux Renault 1:17.44 -
2 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 1:17.74 + 0.30
3 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 1:17.81 + 0.37
4 27   Alan Jones Williams-Ford 1:17.82 + 0.38
5 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 1:17.85 + 0.41
6 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 1:18.15 + 0.71
7 2   Gilles Villeneuve Ferrari 1:18.40 + 0.96
8 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 1:18.52 + 1.08
9 7   John Watson McLaren-Ford 1:18.53 + 1.09
10 11   Mario Andretti Lotus-Ford 1:18.60 + 1.16
11 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 1:18.74 + 1.30
12 1   Jody Scheckter Ferrari 1:18.87 + 1.43
13 6   Hector Rebaque Brabham-Ford 1:18.89 + 1.45
14 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 1:18.90 + 1.46
15 25   Didier Pironi Ligier-Ford 1:18.94 + 1.50
16 43   Nigel Mansell Lotus-Ford 1:18.97 + 1.53
17 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 1:18.98 + 1.54
18 8   Alain Prost McLaren-Ford 1:19.07 + 1.63
19 31   Eddie Cheever Osella-Ford 1:19.38 + 1.94
20 9   Marc Surer ATS-Ford 1:19.44 + 2.00
21 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 1:19.57 + 2.13
22 22   Vittorio Brambilla Alfa Romeo 1:19.60 + 2.16
23 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 1:19.68 + 2.24
24 41   Geoff Lees Ensign-Ford 1:19.72 + 2.28
25 50   Rupert Keegan Williams-Ford 1:19.96 + 2.52
26 14   Jan Lammers Ensign-Ford 1:20.11 + 2.67
27 30   Mike Thackwell Arrows-Ford 1:20.22 + 2.78
28 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 1:20.33 + 2.89
Fonte:[17]

CorridaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 72 1:38:13.83 5 9
2 16   René Arnoux Renault 72 + 12.93 1 6
3 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 72 + 13.43 6 4
4 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 72 + 15.29 3 3
5 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 72 + 1:00.02 17 2
6 8   Alain Prost McLaren-Ford 72 + 1:22.62 18 1
7 2   Gilles Villeneuve Ferrari 71 + 1 volta 7
8 11   Mario Andretti Lotus-Ford 70 Pane seca 10
9 1   Jody Scheckter Ferrari 70 + 2 voltas 12
10 9   Marc Surer ATS-Ford 69 + 3 voltas 20
11 27   Alan Jones Williams-Ford 69 + 3 voltas 4
Ret 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 60 Freios 23
Ret 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 58 Acidente 8
Ret 31   Eddie Cheever Osella-Ford 38 Motor 19
Ret 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 29 Motor 14
Ret 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 23 Handling 2
Ret 22   Vittorio Brambilla Alfa Romeo 21 Acidente 22
Ret 41   Geoff Lees Ensign-Ford 21 Acidente 24
Ret 7   John Watson McLaren-Ford 18 Motor 9
Ret 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 16 Freios 21
Ret 43   Nigel Mansell Lotus-Ford 15 Freios 16
Ret 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 2 Acidente 11
Ret 25   Didier Pironi Ligier-Ford 2 Acidente 15
Ret 6   Hector Rebaque Brabham-Ford 1 Câmbio 13
DNQ 50   Rupert Keegan Williams-Ford
DNQ 14   Jan Lammers Ensign-Ford
DNQ 30   Mike Thackwell Arrows-Ford
DNQ 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford
WD 30   Jochen Mass Arrows-Ford Piloto machucado
Fonte:[2]

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As quatorze etapas de 1980 foram divididas em dois blocos de sete e neles cada piloto podia computar cinco resultados válidos não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Alan Jones 1 volta (1); René Arnoux 1 volta (2); Jacques Laffite 10 voltas (3-12); Nelson Piquet 60 voltas (13-72).

Referências

  1. a b c «1980 Dutch GP – championships (em inglês) no Chicane F1». Consultado em 15 de março de 2021 
  2. a b «1980 Dutch Grand Prix - race result». Consultado em 30 de setembro de 2018 
  3. a b c d Fred Sabino (31 de agosto de 2018). «Em Zandvoort, Nelson Piquet venceu com show de ultrapassagens em 1980». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  4. Fred Sabino (26 de maio de 2018). «Folclórico, Vittorio Brambilla ganhou o singelo apelido de "Gorila de Monza"». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 15 de março de 2021 
  5. a b «Dutch GP, 1980 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 16 de março de 2021 
  6. a b Redação (30 de agosto de 1980). «Arnoux começa na frente; Piquet em 5º. Esportes, p. 20». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de março de 2021 
  7. Redação (30 de agosto de 1980). «Piquet obtém 5º tempo; Emerson, o 25º. Geral, p. 23». acervo.estadao.com.br. O Estado de S. Paulo. Consultado em 16 de março de 2021 
  8. Redação (30 de agosto de 1980). «Renault domina treino inicial no GP da Holanda. Primeiro Caderno – Esporte, p. 22». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 16 de março de 2021 
  9. Janos Lengyel (31 de agosto de 1980). «Arnoux é o pole. Piquet larga na terceira fila. Matutina – Esportes, p. 36». acervo.oglobo.globo.com. O Globo. Consultado em 16 de março de 2021 
  10. Redação (31 de agosto de 1980). «Arnoux é o mais rápido na Holanda; Piquet, o 5º. Esportes – Terceiro Caderno, p. 27». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de março de 2021 
  11. Redação (31 de agosto de 1980). «Piquet sai em 5º e Emerson consegue largar. Primeiro Caderno – Esporte, p. 38». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 16 de março de 2021 
  12. Fred Sabino (31 de agosto de 2020). «Acidente bizarro de Derek Daly marcou GP da Holanda vencido por Nelson Piquet há 40 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  13. Redação (1 de setembro de 1980). «Piquet vence bem e fica mais perto do título. Primeiro Caderno – Amador, p. 07». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 16 de março de 2021 
  14. Redação (1 de setembro de 1980). «Arnoux sabia que não adiantava dar combate a Piquet. Matutina – Esportes, p. 04». acervo.oglobo.globo.com. O Globo. Consultado em 15 de março de 2021 
  15. Redação (1 de setembro de 1980). «Distração tira o segundo lugar do francês Laffite. Matutina – Esportes, p. 04». acervo.oglobo.globo.com. O Globo. Consultado em 15 de março de 2021 
  16. Redação (1 de setembro de 1980). «Piquet vence na Holanda com atuação perfeita. Esportes, p. 12». acervo.folha.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de março de 2021 
  17. «1980 Dutch Grand Prix – starting grid». Consultado em 15 de março de 2021 

Precedido por
Grande Prêmio da Áustria de 1980
Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1980
Sucedido por
Grande Prêmio da Itália de 1980
Precedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1979
Grande Prêmio dos Países Baixos
27ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1981