Abrir menu principal
Grande Prêmio da Rússia de F-1 de 2017
Circuit Sochi.svg
Grande Prêmio da Rússia de 2017.
Detalhes da corrida
Data 30 de abril de 2017
Nome oficial 2017 Formula 1 VTB Russian Grand Prix
Local Circuito de Sochi, Sochi, Krai de Krasnodar, Rússia
Total 53 voltas / 309.745 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Tempo 1:33.194
Volta mais rápida
Piloto
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari
Tempo 1:36.844 (na volta 49)
Pódio
Primeiro
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari

O Grande Prêmio da Rússia de 2017 (formalmente denominado 2017 Formula 1 VTB Russian Grand Prix[1]) foi a quarta etapa da temporada de 2017 da Fórmula 1. Disputada em 30 de abril de 2017 no Circuito de Sochi em Sochi, Rússia[2], foi vencida pelo finlandês Valtteri Bottas. Completam o pódio o alemão Sebastian Vettel e o finlandês Kimi Räikkönen.

Segundo dados oficiais, uma "ordem de equipe" marcou a única ultrapassagem registrada na pista ao longo da corrida (a de Pascal Wehrlein sobre Marcus Ericsson). Porém, conforme informações do site alemão "Auto-motor und Sport", Ericsson e Wehrlein pararam nos boxes durante o safety car, e o sueco ganhou a posição do companheiro durante os pit stops. Daí a equipe ter dado a ordem para que Ericsson devolvesse a posição.[3]

Índice

RelatórioEditar

AntecedentesEditar

Sauber com Motor Honda em 2018

Antes da corrida, a Sauber anunciou neste domingo que terá um novo fornecedor de motores a partir de 2018: a Honda. Até então, a montadora japonesa era a única com apenas um cliente na Fórmula 1, no caso, a McLaren. O time suíço encerra uma parceria com a Ferrari, que vinha desde 1997, com exceção dos anos em que a equipe se transformou em BMW-Sauber e passou a usar os propulsores alemães da BMW.

O anúncio veio antes da data limite de 6 de maio, estipulada pela FIA para que as equipes confirmem os fornecedores de motores para a temporada seguinte. Veio também em meio a rumores de que a McLaren estaria pensando em trocar os propulsores Honda para o ano que vem. Desde que retomaram a parceria em 2015, a escuderia inglesa e a marca nipônica tem sofrido para conseguir bons resultados na Fórmula 1.

Treino ClassificatórioEditar

Q1

Único piloto russo no grid, Daniil Kvyat foi o responsável por marcar a primeira volta rápida no treino classificatório. Com exceção dos dois pilotos da Ferrari que estavam de pneus macios, o resto do grid foi à pista com supermacios. A dupla da Mercedes ficou na frente, com Bottas em primeiro (1m34s041) e Hamilton em segundo (1m34s409), seguido de Sebastian Vettel (1m34s493) e Kimi Räikkönen (1m34s953). Massa foi o décimo, e o destaque negativo ficou pro conta de Jolyon Palmer, que rodou sozinho após tocar a zebra, acertando o muro.

Eliminados: Jolyon Palmer (Renault), Stoffel Vandoorne (McLaren), Pascal Wehrlein (Sauber), Marcus Ericsson (Sauber) e Romain Grosjean (Haas).

Q2

O Q2 iniciou com todos os carros equipados com pneus supermacios. A ordem dos quatro primeiros se manteve: Bottas, Hamilton, Vettel e Räikkönen. No finalzinho, Massa conseguiu o quinto melhor tempo, superando a RBR da Verstappen. Enquanto Alonso sofria com a McLaren, anotando o 15º tempo, a Force India conseguiu colocar sua dupla de pilotos no Q3, com Sergio Pérez em nono e Esteban Ocon em décimo.

Eliminados: Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso), Lance Stroll (Williams), Daniil Kvyat (Toro Rosso), Kevin Magnussen (Haas) e Fernando Alonso (McLaren).

Q3

O Q3 começou com uma estranha disputa entre Hülkenberg e Hamilton, com o alemão tendo que ultrapassar o inglês para conseguir iniciar sua volta rápida. Se no Q1 e no Q2 o domínio foi da Mercedes, na parte decisiva do treino classificatório foi a Ferrari que deu as caras. Com 1m33s194, Vettel marcou a pole position, com Räikkönen em segundo, primeira fila da Ferrari desde o GP da França em 2008. Bottas foi o terceiro, 0s095 atrás do alemão tetracampeão mundial, seguido do companheiro de equipe Lewis Hamilton. Massa superou Verstappen mais uma vez e largará em sexto no GP da Rússia.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

 
Bottas venceu a prova

A largada foi adiada em uma volta, graças ao abandono precoce de Fernando Alonso, que ficou com a McLaren parada na entrada dos boxes. Com a bandeira verde acionada, Bottas tracionou melhor e saiu da terceira para a primeira colocação. Hamilton tentou o ataque sobre Räikkönen, mas não conseguiu a ultrapassagem. Após disputa acirrada e quase um toque, Massa perdeu a sexta posição para Verstappen. Jolyon Palmer e Romain Grosjean se enroscaram e o francês acabou indo ao muro, gerando a primeira bandeira amarela da corrida. Já Lance Stroll rodou sozinho após tocar a zebra.

Após largar na quinta colocação, Ricciardo abandonou com problemas nos freios. É a segunda vez na temporada que o australiano da RBR deixa um GP, ele também abandonou na Austrália.

Líder da prova, Bottas foi ao box na volta 28 para efetuar a troca de pneus, colocando compostos macios. O finlandês voltou à pista em quarto, atrás de Hamilton. Na volta 31 foi a vez de Hamiton ir ao box. Na imagem ficou claro o superaquecimento do carro da Mercedes, e o inglês voltou à pista em quarto. Vettel bem que tentou, acelerou, abriu quase 20 segundos de vantagem para Bottas, mas fez a parada e não conseguiu voltar à frente do finlandês. O alemão ainda teve um pequeno problema com a roda dianteira esquerda durante a troca de pneus.

Bottas errou a freada, passou reto e deixou a diferença para Vettel cair para menos de 3 segundos.

Após o erro, Bottas viu Vettel se aproximar, com a diferença caindo para 1s5. Mas o finlandês usou sua frieza para se manter à frente da Ferrari e garantir a primeira vitória dele na carreira. Vettel ainda reclamou que Massa o teria atrapalhado na volta final. O brasileiro era sexto quando sofreu com um furo no pneu e teve que ir aos boxes efetuar a troca, mas voltou à pista na nona colocação, atrás da Renault de Hülkenberg, posição em que cruzou a linha de chegada.

 
Resultado da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[4]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio   Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Mais aderência Menos durável
Super Macio   Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio   Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio

ResultadosEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:34.493 1:34.038 1:33.194 1
2 7   Kimi Räikkönen Ferrari 1:34.953 1:33.663 1:33.253 2
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:31.041 1:29.555 1:33.371 3
4 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:30.814 1:29.535 1:33.767 4
5 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:35.560 1:35.483 1:34.905 5
6 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 1:35.828 1:35.049 1:35.110 6
7 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:35.301 1:35.221 1:35.161 7
8 27   Nico Hülkenberg Renault 1:35.507 1:35.328 1:35.285 8
9 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:36.185 1:35.513 1:35.337 9
10 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:31.774 1:31.684 1:31.684 10
11 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 1:35.827 1:35.948 14 1
12 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 1:36.279 1:35.964 11
13 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 1:35.984 1:35.968 12
14 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:36.408 1:36.017 13
15 14   Fernando Alonso McLaren-Honda 1:36.353 1:36.660 15
16 30   Jolyon Palmer Renault 1:36.462 16
17 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 1:37.070 20 2
18 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 1:37.332 17
19 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:37.507 18
20 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:31.691 19
Tempo dos 107%:1:40.623
Fonte: [5]
Notas

↑1 - Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso) perdeu três posições no grid por ter causado a batida com Lance Stroll (Williams) na corrida do Grande Prêmio do Bahrein.[6]

↑2 - Stoffel Vandoorne (McLaren) perdeu quinze posições no grid por trocar o quarto MGU-H (unidade geradora de calor, acoplada diretamente ao eixo do turbo), o quarto turbocompressor e passa a usar os quintos MGU-K e TC.[7]

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 77   Valtteri Bottas Mercedes 52 1:28:08.743 3 25
2 5   Sebastian Vettel Ferrari 52 +0.617 1 18
3 7   Kimi Räikkönen Ferrari 52 +11.000 2 15
4 44   Lewis Hamilton Mercedes 52 +36.320 4 12
5 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 52 +1:00.416 7 10
6 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 52 +1:26.788 9 8
7 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 52 +1:35.004 10 6
8 27   Nico Hülkenberg Renault 52 +1:36.188 8 4
9 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 51 +1 Volta 6 2
10 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 51 +1 Volta 14 1
11 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 51 +1 Volta 11
12 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 51 +1 Volta 12
13 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 51 +1 Volta 13
14 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 51 +1 Volta 20
15 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 51 +1 Volta 18
16 94   Pascal Wehrlein Sauber-Ferrari 50 +2 Voltas 17
Ret 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 5 Freios 5
Ret 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 0 Colisão 19
Ret 30   Jolyon Palmer Renault 0 Colisão 16
DNS 14   Fernando Alonso McLaren-Honda 0 Unid. de potência 15
Fonte:[8][9][10]

Voltas na LiderançaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
44   Valtteri Bottas (1-26) - (35-52)
8   Sebastian Vettel (27-34)

CuriosidadesEditar

2017 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 2.33 25
2 77   Valtteri Bottas Mercedes 2.36 18
3 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 2.54 15
4 55   Carlos Sainz Jr. Toro Rosso 2.64 12
5 19   Felipe Massa Williams-Mercedes 2.68 10
6 26   Daniil Kvyat Toro Rosso 2.76 8
7 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Honda 2.79 6
8 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 2.88 4
9 44   Lewis Hamilton Mercedes 3.00 2
10 7   Kimi Räikkönen Ferrari 3.06 1
Fonte: [11]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «VTB Group becomes title partner for Russia» (em inglês). Formula 1.com. 23 de fevereiro de 2017. Consultado em 23 de fevereiro de 2017 
  2. «2017 Formula 1 VTB Russian Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  3. globoesporte.globo.com/ Ordem de equipe marcou a única ultrapassagem registrada no GP da Rússia
  4. «Pirelli announce tyre choices for Bahrain and Russia» (em inglês). Formula1.com. 11 de janeiro de 2016 
  5. «Results». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 29 de abril de 2017 
  6. «Sainz hit with three-place grid drop for Stroll clash» (em inglês). Formula 1. Consultado em 16 de abril de 2017 
  7. «Vandoorne set for Sochi grid drop» (em inglês). Formula 1. Consultado em 28 de abril de 2017 
  8. «Race - Bottas takes nail-biting maiden win in Russia». Formula 1 (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2017 
  9. «2017 FORMULA 1 VTB RUSSIAN GRAND PRIX - RACE RESULT». Formula 1 (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2017 
  10. «Russian Grand Prix: Bottas resists Vettel for first Formula 1 win». Autosport (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2017 
  11. «2017 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 26 de março de 2017 
Prova Anterior:
GP do Bahrein de 2017
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2017
Próxima Prova:
GP da Espanha de 2017

Prova Anterior:
GP da Rússia de 2016
Grande Prêmio da Rússia Próxima Prova:
GP da Rússia de 2018