Abrir menu principal

Grande Prêmio do Bahrein de 2018

Grande Prêmio do Bahrein de F-1 2018
Bahrain International Circuit--Grand Prix Layout.svg
Grande Prêmio do Bahrein de 2018.
Detalhes da corrida
Data 8 de abril de 2018
Nome oficial 2018 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix
Local Circuito Internacional de Bahrein, Sakhir, Bahrein
Total 57 voltas / 308.238 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Tempo 1:27.958
Volta mais rápida
Piloto
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Tempo 1:33.740 (na volta 22)
Pódio
Primeiro
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Segundo
Finlândia Valtteri Bottas Mercedes
Terceiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes

O Grande Prêmio do Bahrein de 2018 (formalmente denominado 2018 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix) foi a segunda etapa da temporada de 2018 da Fórmula 1. Disputada em 8 de abril de 2018 no Circuito Internacional de Bahrein, Sakhir, Bahrein[1]

RelatórioEditar

Treino ClassificatórioEditar

Q1

A Ferrari dominou a parte inicial do treino desde os primeiros minutos. Apesar de usarem pneus macios (de banda amarela), Raikkonen e Vettel fizeram os melhores tempos, e com boa vantagem para os demais pilotos, a maioria com compostos supermacios (vermelha), que é mais aderentes.

E foi neste instante que Max Verstappen cometeu um erro na entrada da curva 2, perdeu o carro e foi parar na barreira de pneus. Resultado, a bandeira vermelha já com quase cinco minutos para o fim. E um problemão para a Red Bull. E nessa muita gente perdeu a chance de boas voltas, entre eles Alonso, que não escondeu a irritação.

Depois da bandeira vermelha pela batida de Verstappen, começou nos minutos finais uma briga ferrenha pelas últimas vagas no Q2 e Fernando Alonso passou um enorme sufoco. No último minuto, o bicampeão estava em 15º lugar e muito ameaçado por Romain Grosjean, que ainda fazia sua última volta. Mas o francês da Haas errou na última curva e ficou apenas em 16º. Chamou a atenção o péssimo desempenho de Lance Stroll, último colocado com a Wililiams.

Eliminados: Romain Grosjean (Haas-Ferrari), Marcus Ericsson (Sauber), Sergey Sirotkin (Williams), Charles Leclerc (Sauber) e Lance Stroll (Williams)

Q2

A Ferrari voltou a começar melhor na segunda etapa do treino, com Vettel fazendo o melhor tempo do fim de semana na primeira tentativa (1m28s341), enquanto Raikkonen ficou 0s174 atrás. Mas Lewis Hamilton, que ficara apenas em quinto no Q1, se enfiou entre as duas Ferraris para ficar em segundo após a primeira rodada de voltas lançadas. Hamilton, por sinal, estrategicamente usou pneus macios (de faixa amarela) na sua melhor volta e vai utilizá-los na largada, ou seja, fará seu primeiro pit stop depois dos adversários.

Curiosamente, a exemplo do que havia acontecido no terceiro treino livre, Vettel teve um defletor lateral solto no meio da pista. De qualquer forma, as primeiras posições se mantiveram até o fim do Q2, com Bottas e Ricciardo completando o top5.

Na disputa pelas demais vagas na etapa decisiva do treino, quem decepcionou foi a McLaren. Tanto Fernando Alonso como Stoffel Vandoorne tiveram dificuldades com o equilíbrio dos carros, e o espanhol ficou apenas com a 13ª posição, uma à frente do belga. Já a Force India claramente evoluiu em relação à Austrália: Esteban Ocon avançou ao Q3 em décimo, dois postos à frente de Sergio Perez, que ainda teve falhas na recuperação de energia. A grande surpresa foi Pierre Gasly, classificado pela primeira vez na carreira ao Q3, em nono.

Eliminados: Brendon Hartley (Toro Rosso),Sergio Perez (Force India), Sergio Perez (Force India),Fernando Alonso (McLaren), Stoffel Vandoorne (McLaren) e Max Verstappen (Red Bull-TAG Heuer)

Q3

A primeira rodada de tentativas no Q3 voltou a ter domínio da Ferrari, com Raikkonen superando Vettel em 0s095. Hamilton ficou 0s096 à frente de Bottas na primeira volta lançada, enquanto Ricciardo ficou em quinto, à frente do surpreendente Gasly.

Na última tentativa, Vettel deu o troco em Raikkonen para sacramentar a primeira pole position da Ferrari na temporada 2018. O Homem de Gelo chegou a ser superado por Bottas, mas acabou na frente do compatriota na última volta lançada.

 
Grid de Largada

CorridaEditar

As luzes se apagaram no grid do Bahrein com um Sebastian Vettel largando muito bem da pole-position, mantendo, então, a primeira posição na curva 1. Enquanto isso, Valtteri Bottas aproveitou a melhor tração do lado limpo do grid e passou Kimi Räikkönen, por fora na primeira curva também, para assumir o segundo posto. Mais atrás, Pierre Gasly, partindo bem do quinto posto, já atacou Daniel Ricciardo – o australiano perdeu a colocação para o jovem francês da Toro Rosso, mas sua corrida também não duraria muito. Abandonou logo na volta seguinte, com suspeita de falha de elétrica.

Ainda sobre a largada, Lewis Hamilton, nono no grid, saiu muito mal e perdeu posição para um ótimo Fernando Alonso, que partiu bem demais do 13º posto para a nona colocação. Max Verstappen acompanhou a escalada e se colocou atrás do inglês da Mercedes. Momentos antes, Sergio Pérez foi tocado na primeira curva por Brendon Hartley e rodou, mas conseguiu voltar. O incidente, entretanto, pesou para o neozelandês, que tomou uma punição de 10s na sequência.

Enquanto Vettel, Bottas e Räikkönen escapavam lá na frente na segunda passagem, Hamilton se viu em apuros com Verstappen, que colocou a Red Bull por dentro da disputa da curva 1 para superar o britânico. O holandês até passou o tetracampeão, mas um toque entre os dois acabou saindo caro para Max. Um furo do pneu traseiro esquerdo o fez deixar a disputa ali mesmo – primeira vez, desde o GP da Itália de 2012, que a equipe austríaca abandona com os dois carros. Neste momento, a corrida entrou em safety-car virtual, exatamente por causa do problema com Ricciardo. O top-10 era formado por Vettel, Bottas, Räikkönen, Gasly, Kevin Magnussen, Esteban Ocon, Nico Hülkenberg, Fernando Alonso e Hamilton.

A prova voltou ao normal na quarta volta. O líder Vettel escapou na ponta, trazendo Bottas e Räikkönen. Mais atrás, Hamilton veio com mais ação e passou de uma vez só Alonso, Hülkenberg e Ocon. Uma belíssima manobra do tetracampeão. Mais à frente, Magnussen tentou tirar o quarto lugar de Gasly, mas o menino da Toro Rosso encarou o dinamarquês, que acabou fora da pista, inclusive.

A partir daí, Hamilton encontrou um ritmo mais forte de corrida e superou com facilidade tanto o piloto da Haas, quanto o gaulês, para assumir o quaro lugar. O inglês, então, tentava um jeito de alcançar o finlandês da Ferrari. Mais à frente, Vettel comandava a corrida sem qualquer ameaça de Bottas.

Os primeiros pit-stops começaram a partir da volta 12. Pérez, Charles Leclerc, Lance Stroll e Stoffel Vandoorne foram os primeiros a parar. Destes, apenas o belga da McLaren foi de macios. Stroll ousou e escolheu o supermacios. Entre os caras do top-10, Alonso foi o primeiro a ir aos boxes. E, diferente do companheiro de time, o espanhol escolheu os compostos médios – em uma clara indicação de apenas uma parada. Gasly veio na passagem 16. Pneus macios para o francês.

Três giros mais tarde, a Ferrari chamou Vettel para a troca de pneus. Bottas, então, assumiu a ponta. Räikkönen veio na sequência. Ambos mudaram para os compostos macios. Já a Mercedes decidiu pela mudança com Bottas na passagem seguinte. Mas o finlandês optou pelos médios. Com o pit-stop dos líderes, Hamilton assumiu a ponta. Apenas o inglês e o sueco Marcus Ericsson permaneciam sem paradas.

Dessa forma, a ordem da corrida estava da seguinte forma: Hamilton, Vettel, Bottas, Räikkönen, Gasly, Magnussen, Ericsson, Hülkenberg, Alonso, Vandoorne, Ocon, Pérez, Sainz, Grosjean, Leclerc, Hartley, Stroll e Sirotkin.

Andando muito mais rápido, Vettel (de macios e novos) não demorou para alcançar Hamilton (de macios e desgastados). A ultrapassagem veio na volta 26. Mais atrás, Bottas tinha bom ritmo com os médios - até mais veloz que o ferrarista - e vinha em terceiro, à frente de Räikkönen. E foi neste momento que a equipe alemã decidiu parar o carro de Lewis, mudando a estratégia. O britânico veio na volta 27 e mudou para os médios, retornando à pista em quarto - 17s atrás do líder ferrarista.

Aí a Mercedes começou a jogar com a tática, na tentativa de fazer Hamilton entrar na briga pelo pódio. Imediatamente após o pit-stop, o #44 começou a virar mais rápido que os adversários constantemente. A primeira volta veio em 1min34s126, enquanto Vettel andava em 1min34s953. Bottas, o segundo, vinha em 1min34s6. Mas o finlandês já tinha o compatriota muito próximo.

Mais atrás, a corrida acompanhava uma interessante disputa entre Magnussen, Grosjean e Ocon, que liderava o pelotão a partir do oitavo posto. Os dois companheiros de Haas quase tiveram um toque pouco antes do francês ir aos boxes. O dinamarquês não gostou da investida do colega e se queixou. Logo depois – após a parada de Grosjean -, Magnussen conseguiu passar o Ocon, para assumir o oitavo posto. Gasly, Hülkenberg e Alonso vinha à frente desse gripo, mas em um ritmo menos intenso.

Quando a prova alcançou na volta 36, a Ferrari chamou Räikkönen para os pits. A ideia era tentar cortar a tática da Mercedes, mas a parada foi desastrosa. O carro foi liberado antes do tempo, e Kimi acabou atingindo a perna do mecânico que ajudava na troca do pneu traseiro esquerdo. Com a roda solta, o finlandês teve de parar ao carro no pit-lane, abandonando a prova na sequência. O profissional ferido foi levado de imediato ao centro médico, com suspeita de fraturas na perna esquerda. O incidente foi parar na mesa dos comissários.

Na pista, a Ferrari matinha ainda Vettel na ponta, enquanto Hamilton vinha virando constantemente mais veloz. A diferença entre os dois rivais era de 11s. Mais atrás, Alonso decidiu fazer uma nova parada, agora mudando os compostos médios para os supermacios. A ordem com 42 voltas era: Vettel, Bottas, Hamilton, Gasly, Magnussen, Hülkenberg, Ericsson, Alonso, Vandoorne, Hartley, Grosjean, Sainz, Ocon, Pérez, Leclerc, Stroll e Sirotkin.

Depois do incidente com o carro de Räikkönen, a corrida ganhou contornos dramáticos para a Ferrari na pista. Isso porque o time precisou mudar a tática, e optou por manter Vettel sem um segundo pit-stop. Assim, com pneus macios mais desgastados, Seb teve de tirar tudo nas voltas finais, porque Bottas chegou com grande ação, uma vez que Hamilton não teve como manter o ritmo forte de outrora.

No fim, o GP do Bahrein testemunhou uma intensa e tensa disputa entre Vettel e Bottas. Mas o tetracampeão levou a melhor e cruzou a linha de chegada para conquistar a segunda vitória da temporada 2018. O finlandês terminou mesmo em segundo, com Hamilton em terceiro.

Pierre Gasly ainda colocou a Toro Rosso Honda em quarto em uma prova consistente, logo à frente de Kevin Magnussen, Nico Hülkenberg, Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne. Usando uma estratégia também diferente, Marcus Ericcson somou os dois primeiros pontos com a Sauber nesta nova fase de Alfa Romeo. Esteban Ocon ainda integrou o top-10.

 
Resultado da corrida

PneusEditar

Os compostos de pneus fornecidos pela Pirelli para este Grande Prêmio[2]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio   Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio   Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Médio   Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio

ResultadosEditar

Treino ClassificatórioEditar

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 5   Sebastian Vettel Ferrari 1:29.060 1:28.341 1:27.958 1
2 7   Kimi Räikkönen Ferrari 1:28.951 1:28.515 1:28.101 2
3 77   Valtteri Bottas Mercedes 1:29.275 1:28.794 1:28.124 3
4 44   Lewis Hamilton Mercedes 1:29.396 1:28.458 1:28.220 91
5 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:29.552 1:28.962 1:28.398 4
6 10   Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 1:30.121 1:29.836 1:29.329 5
7 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 1:29.594 1:29.623 1:29.358 6
8 27   Nico Hülkenberg Renault 1:30.260 1:29.187 1:29.570 7
9 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 1:30.338 1:30.009 1:29.874 8
10 55   Carlos Sainz Jr. Renault 1:29.893 1:29.802 1:29.986 10
11 28   Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 1:30.412 1:30.105 11
12 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:30.218 1:30.156 12
13 14   Fernando Alonso McLaren-Renault 1:30.530 1:30.212 13
14 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 1:30.479 1:30.525 14
15 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:29.374 Sem Tempo 15
16 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:30.530 16
17 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:31.063 17
18 35   Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 1:31.414 18
19 16   Charles Leclerc Sauber-Ferrari 1:31.420 19
20 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 1:31.503 20
Tempo dos 107%:1:35.177
Fonte:[4]
Notas

CorridaEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 5   Sebastian Vettel Ferrari 57 1:32:01.940 1 25
0.699
2 77   Valtteri Bottas Mercedes 57 +0.699 3 18
3 44   Lewis Hamilton Mercedes 57 +6.512 9 15
4 10   Pierre Gasly Toro Rosso-Honda 57 +1:02.234 7 12
5 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 57 +1:15.046 7 10
6 27   Nico Hülkenberg Renault 57 +1:39.024 8 8
7 14   Fernando Alonso McLaren-Renault 56 +1 Volta 13 6
8 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 56 +1 Volta 14 4
9 9   Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 56 +1 Volta 17 2
10 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 56 +1 Volta 9 1
11 55   Carlos Sainz Jr. Renault 56 +1 Volta 10
12 16   Charles Leclerc Sauber-Ferrari 56 +1 Volta 20
13 8   Romain Grosjean Haas-Ferrari 56 +1 Volta 18
14 18   Lance Stroll Williams-Mercedes 56 +1 Volta 12
15 35   Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 56 +1 Volta 11
16 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 56 +1 Volta1 19
17 28   Brendon Hartley Toro Rosso-Honda 56 +1 Volta2 16
Ret 7   Kimi Räikkönen Ferrari 35 Pneu 2
Ret 33   Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 3 Câmbio 15
Ret 3   Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1 Eletrico 4
Fonte: [5]
Notas

↑1 - Sergio Pérez (Force India-Mercedes) recebeu 30 segundos de penalidade no tempo após um incidente durante a volta de formação no circuito de Sakhir, Pérez ultrapassou Hartley e não deixou o neozelandês passar novamente, antes do fim da linha do Safety Car.

↑2 - Brendon Hartley (Toro Rosso-Honda) recebeu 30 segundos de penalidade no tempo por não repassar Pérez durante a formação.

CuriosidadeEditar

Voltas na LiderançaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
Nº de Voltas Piloto Voltas
47   Sebastian Vettel 1-17 e 26-57
3   Valtteri Bottas 18-20
4   Lewis Hamilton 21-25

2018 DHL Fastest Pit Stop AwardEditar

ResultadoEditar

Pos. Nu. Piloto Construtor Tempo Pontos
1 5   Sebastian Vettel Ferrari 2.24 25
2 35   Sergey Sirotkin Williams-Mercedes 2.40 18
3 44   Lewis Hamilton Mercedes 2.53 15
4 27   Nico Hülkenberg Renault 2.68 12
5 31   Esteban Ocon Force India-Mercedes 2.68 10
6 11   Sergio Pérez Force India-Mercedes 2.87 8
7 16   Charles Leclerc Sauber-Ferrari 2.98 6
8 7   Kimi Räikkönen Ferrari 2.99 4
9 2   Stoffel Vandoorne McLaren-Renault 3.01 2
10 20   Kevin Magnussen Haas-Ferrari 3.02 1
Fonte: [6]

ClassificaçãoEditar

Tabela do campeonato após a corridaEditar

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «2018 Formula 1 Gulf Air Bahrain Grand Prix» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Pirelli announces compound choices and mandatory sets for the 2018 Grand Prix in Australia, Bahrain and China» (em inglês). news.pirelli.com 
  3. «Entre médios, macios e supermacios, McLaren adota escolha de pneus mais agressiva para GP do Bahrein». Grande Prêmio. 28 de março de 2018. Consultado em 28 de março de 2018 .
  4. «Results». Formula 1® - The Official F1® Website (em inglês). Consultado em 7 de abril de 2018 
  5. «Formula 1 2018 Gulf Air Bahrain Grand Prix – Race Result». Formula1.com. Formula One World Championship Limited. 8 de abril de 2018. Consultado em 28 de maio de 2018 
  6. «2018 DHL Fastest Pit Stop Award» (em inglês). Formula1.com. 15 de abril de 2018. Consultado em 15 de abril de 2018 

Ligações externasEditar

Prova Anterior:
GP da Austrália de 2018
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2018
Próxima Prova:
GP da China de 2018

Prova Anterior:
GP do Bahrein de 2017
Grande Prêmio do Bahrein Próxima Prova:
GP do Bahrein de 2019