Grande Prêmio do Canadá de 1980

Grande Prêmio do Canadá
de Fórmula 1 de 1980
Gilles Villeneuve Circuit Montreal (78-86).svg
Terceiro GP do Canadá em Montreal
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 28 de setembro de 1980
Nome oficial XIX Grand Prix Labatt du Canada
Local Circuito da Ilha de Notre Dame, Montreal, Quebec, Canadá
Percurso 4.410 km
Total 70 voltas / 308.700 km
Condições do tempo Frio, seco
Pole
Piloto
Brasil Nelson Piquet Brabham-Ford
Tempo 1:27.328
Volta mais rápida
Piloto
França Didier Pironi Ligier-Ford
Tempo 1:28.769 (na volta 62)
Pódio
Primeiro
Austrália Alan Jones Williams-Ford
Segundo
Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford
Terceiro
França Didier Pironi Ligier-Ford

Resultados do Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 realizado em Montreal em 28 de setembro de 1980.[1] Décima terceira e penúltima etapa da temporada, nele o australiano Alan Jones repetiu a vitória do ano anterior e assim conquistou o título de campeão mundial subindo ao pódio em dobradinha com Carlos Reutemann, seu companheiro de equipe na Williams-Ford, enquanto Didier Pironi ficou em terceiro lugar com a Ligier-Ford.[2][3][nota 1]

ResumoEditar

Duelo nos treinosEditar

Dono do melhor tempo numa sessão de treinos realizada na sexta-feira sob vento frio e forte chuva, Alan Jones foi favorecido por um choque entre a Brabham de Nelson Piquet e a Renault de Jean-Pierre Jabouille, pois esse incidente danificou a suspensão dianteira esquerda de Piquet e sacramentou o melhor tempo do australiano da Williams enquanto seu rival brasileiro passou do sexto lugar.[4] No dia seguinte, contudo, as condições de pista mudaram e Nelson Piquet assegurou a pole position em pista seca com oito décimos de vantagem sobre Jones com um surpreendente terceiro lugar de Didier Pironi e sua Ligier.[5]

Em posições bem menos vistosas e sem brilho estavam as estrelas de outrora: Emerson Fittipaldi levou sua equipe homônima ao décimo sexto posto, dois lugares adiante de Mario Andretti e sua Lotus 81, mas pior foi o vexame de Jody Scheckter, pois o motor de 12 cilindros flat de sua longeva (e obsoleta, ao que tudo indica) Ferrari 312T não foi capaz de assegurar um lugar no grid para o campeão de 1979.[6] Por outro lado, o crepúsculo dos veteranos na etapa canadense assinalou a chegada de Andrea de Cesaris que substituiu Vittorio Brambilla na Alfa Romeo.[7][8] Na Tyrrell a presença do neozelandês Mike Thackwell num terceiro carro disponibilizado pelo time transformou-o no piloto mais jovem a correr na Fórmula 1 (19 anos e 182 dias) ao quebrar um recode estabelecido por Ricardo Rodríguez na Itália em 1961,[9] embora a ausência de Thackwell na relargada (exigência do regulamento da época) torne discutível essa afirmação. Outro estreante que não se classificou foi o norte-americano Kevin Cogan, da RAM, equipe usuária de um chassi extra da Williams.

Vantagem ilusóriaEditar

Embora apareça na liderança do mundial de pilotos com 54 pontos, a situação de Nelson Piquet é mais complicada que a de Alan Jones em relação à busca pelo título mundial, pois embora o australiano tenha 53 pontos o regulamento o favorece e nele o campeonato de 1980 foi dividido em duas partes de sete corridas onde os pilotos têm direito a cinco resultados válidos em cada metade. Ao final da primeira fase nenhum competidor teve pontos a descartar e nela Jones liderava com 28 pontos contra 25 de Piquet e desde então o brasileiro ascendeu à liderança, todavia como já atingiu as cinco pontuações válidas terá que descartar resultados ao final da porfia canadense, obrigação da qual Jones está isento por ora.[10]

Caso vença no Canadá com Alan Jones em segundo, Nelson Piquet chegará a 61 pontos válidos contra 59 de seu rival tendo apenas que finalizar a prova nos Estados Unidos à frente de seu adversário para chegar ao título. Nas contas de Alan Jones o título virá já em Montreal se ele conseguir vencer e Piquet não marcar pontos. Existe até mesmo a possibilidade de empate ao fim do certame, desde que Jones vença em solo canadense e seja o segundo em Watkins Glen e Piquet termine em segundo em Montreal e vença a próxima etapa, resultando em 64 pontos para ambos e um empate no número de vitórias, hipótese onde Alan Jones conquistaria o título pelo maior número de segundos lugares.[11]

Alheia ao "braço de ferro" entre Alan Jones e Nelson Piquet, a Renault anunciou a contratação de Alain Prost para 1981 em lugar de Jean-Pierre Jabouille.

Começo caóticoEditar

Após a largada Piquet, Jones e Pironi disputavam o primeiro lugar quando o australiano da Williams espremeu a Brabham de Nelson Piquet contra a mureta logo na primeira curva. Mesmo derrapando, Jones seguiu em frente, mas seu rival brasileiro bateu e atravessou a pista quase no mesmo instante em Keke Rosberg, piloto da equipe Fittipaldi, também batia e logo um sem-número de colisões resultou no acúmulo de destroços que bloquearam o traçado e determinaram a suspensão da prova. Além da Brabham de Piquet estavam danificadas: a Lotus de Mario Andretti, a Arrows de Jochen Mass, a Ferrari de Gilles Villeneuve, dois dos carros da Tyrrell e os bólidos da Fittipaldi. Recorrendo aos carros-reserva Piquet, Andretti, Mass e Villeneuve voltaram ao grid, bem como Emerson Fittipaldi, embora este tenha cedido um melhor equipamento a Rosberg, mas para azar da equipe o finlandês teve que largar dos boxes. Pior mesmo foi a situação de Ken Tyrrell, pois com três pilotos inscritos e somente dois carros disponíveis, sacrificou a participação de Mike Thackwell para garantir Jean-Pierre Jarier na pista ao lado de Derek Daly.[12]

Alan Jones campeão mundialEditar

Uma hora depois de interrompida, a prova foi reiniciada, mas não sem um ardil de Pironi que queimou a largada colocando Jones entre ele e Piquet, mas logo o brasileiro fez valer seu equipamento e assumiu a ponta no terceiro giro com vantagem de nove segundos à frente de Jones cujo carro suplantou Pironi. Toda a vantagem do brasileiro, bem como suas chances de conquistar o título mundial, desapareceram em meio a fumaça de seu motor Ford Cosworth que foi pelos ares após 23 voltas. Ciente dos riscos de utilizar um carro originalmente preparado para condições de treino, Nelson Piquet deslizou pela grama e nem mesmo olhou para o motor. Nenhum impropério saiu de seus lábios, nenhum gesto brusco exprimiu sua indignação. Sem ter o que fazer, apenas subiu na garupa de uma moto numa carona rumo aos boxes.[13]

Ato contínuo, Alan Jones herdou a liderança com boa vantagem sobre Didier Pironi até sua concentração ser bruscamente interrompida quando Jean-Pierre Jabouille (Renault) atingiu um guard-rail a 200km/h na vigésima sexta volta fraturando as duas pernas do piloto francês.[14][15] Tão logo recompuseram a volição, os líderes estavam em situação diferente, pois Didier Pironi descontou a diferença pró-Jones ultrapassando o australiano na volta 44, cenário que adiaria a decisão para o Grande Prêmio dos Estados Unidos. Contudo a Federação Internacional de Automobilismo Esportivo (FISA) divulgou a informação segundo a qual Pironi seria punido por queima de largada, a rigor um aviso para Jones poupar seu carro rumo a uma vitória certa,[16] sobretudo porque atrás do australiano vinha Carlos Reutemann, seu companheiro de equipe, posicionado em terceiro após a McLaren de John Watson perder rendimento a quinze voltas para o fim da corrida.

Considerando as posições de pista, Didier Pironi cruzou a linha de chegada em primeiro lugar com quase trinta segundos de vantagem sobre o rival mais próximo, mas a adição de um minuto ao seu tempo de corrida por queimar a largada assegurou uma dobradinha para a Williams com vitória de Alan Jones e o segundo lugar de Carlos Reutemann com Pironi caindo para terceiro com sua Ligier. Deste modo Jones sagrou-se campeão mundial de 1980[17] com oito pontos de vantagem sobre Piquet. O australiano pode até mesmo não participar da etapa de Watkins Glen afinal, graças ao regulamento vigente, Nelson Piquet somaria apenas sete pontos em caso de vitória, pois teria que descartar o quinto lugar obtido na Áustria.[16]

Grid de largadaEditar

Pos. Piloto Equipe Tempo Dif.
1 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 1:27.328 -
2 27   Alan Jones Williams-Ford 1:28.164 + 0.836
3 25   Didier Pironi Ligier-Ford 1:28.322 + 0.994
4 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 1:28.575 + 1.247
5 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 1:28.663 + 1.335
6 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 1:28.702 + 1.374
7 7   John Watson McLaren-Ford 1:28.755 + 1.427
8 22   Andrea de Cesaris Alfa Romeo 1:29.026 + 1.698
9 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 1:29.130 + 1.802
10 6   Hector Rebaque Brabham-Ford 1:29.377 + 2.049
11 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 1:29.400 + 2.072
12 8   Alain Prost McLaren-Ford 1:29.804 + 2.476
13 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 1:29.932 + 2.604
14 31   Eddie Cheever Osella-Ford 1:29.937 + 2.609
15 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 1:30.070 + 2.742
16 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 1:30.294 + 2.966
17 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 1:30.316 + 2.988
18 11   Mario Andretti Lotus-Ford 1:30.559 + 3.231
19 14   Jan Lammers Ensign-Ford 1:30.668 + 3.340
20 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 1:30.791 + 3.463
21 30   Jochen Mass Arrows-Ford 1:30.831 + 3.503
22 2   Gilles Villeneuve Ferrari 1:30.855 + 3.527
23 16   René Arnoux Renault 1:30.912 + 3.584
24 43   Mike Thackwell Tyrrell-Ford 1:31.036 + 3.708
25 9   Marc Surer ATS-Ford 1:31.169 + 3.841
26 1   Jody Scheckter Ferrari 1:31.688 + 4.360
27 50   Rupert Keegan Williams-Ford 1:32.638 + 5.310
28 41   Kevin Cogan Williams-Ford 1:32.745 + 5.417

Classificação da provaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 27   Alan Jones Williams-Ford 70 1:46:45.53 2 9
2 28   Carlos Reutemann Williams-Ford 70 + 15.54 5 6
3 25   Didier Pironi Ligier-Ford 70 + 19.07 3 4
4 7   John Watson McLaren-Ford 70 + 30.98 7 3
5 2   Gilles Villeneuve Ferrari 70 + 55.23 22 2
6 6   Hector Rebaque Brabham-Ford 69 + 1 volta 10 1
7 3   Jean-Pierre Jarier Tyrrell-Ford 69 + 1 volta 15
8 26   Jacques Laffite Ligier-Ford 68 Pane seca 9
9 21   Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 68 + 2 voltas 6
10 12   Elio de Angelis Lotus-Ford 68 + 2 voltas 17
11 30   Jochen Mass Arrows-Ford 67 + 3 voltas 21
12 14   Jan Lammers Ensign-Ford 66 + 4 voltas 19
Ret 8   Alain Prost McLaren-Ford 41 Suspensão 12
Ret 16   René Arnoux Renault 39 Freios 23
Ret 15   Jean-Pierre Jabouille Renault 25 Suspensão 13
Ret 5   Nelson Piquet Brabham-Ford 23 Motor 1
Ret 11   Mario Andretti Lotus-Ford 11 Motor 18
Ret 22   Andrea de Cesaris Alfa Romeo 8 Motor 8
Ret 31   Eddie Cheever Osella-Ford 8 Abastecimento 14
Ret 20   Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 8 Câmbio 16
Ret 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 7 Chassis 4
Ret 29   Riccardo Patrese Arrows-Ford 6 Acidente 11
Ret 4   Derek Daly Tyrrell-Ford 0 Acidente 20
Ret 43   Mike Thackwell Tyrrell-Ford 0 Acidente 24
DNQ 9   Marc Surer ATS-Ford
DNQ 1   Jody Scheckter Ferrari
DNQ 50   Rupert Keegan Williams-Ford
DNQ 51   Kevin Cogan Williams-Ford

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas e os campeões da temporada surgem grafados em negrito. As quatorze etapas de 1980 foram divididas em dois blocos de sete e neles cada piloto podia computar cinco resultados válidos não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Alan Jones: 49 voltas (1-2, 24-70); Nelson Piquet: 21 voltas (3-23).

Referências

  1. «1980 Canadian Grand Prix - race result». Consultado em 1º de outubro de 2018 
  2. Fred Sabino (28 de setembro de 2020). «Alan Jones jogou Nelson Piquet no muro e conquistou único título na F1 no Canadá, há 40 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 28 de setembro de 2020 
  3. Fred Sabino (31 de outubro de 2019). «Alan Jones ainda é o último piloto australiano a conquistar o título mundial de Fórmula 1». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 2 de novembro de 2019 
  4. TOUGUINHÓ, Oldemário. Jones começa em vantagem seu duelo com Piquet (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 27/09/1980. Primeiro caderno, Esporte, p. 22. Página visitada em 25 de fevereiro de 2020.
  5. TOUGUINHÓ, Oldemário. Piquet larga na frente mas com Jones ao seu lado (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 28/09/1980. Primeiro caderno, Esporte, p. 43. Página visitada em 25 de fevereiro de 2020.
  6. Fred Sabino (29 de janeiro de 2020). «Único africano campeão na F1, Jody Scheckter completa 70 anos; relembre principais momentos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 25 de fevereiro de 2020 
  7. Fred Sabino (26 de maio de 2018). «Folclórico, Vittorio Brambilla ganhou o singelo apelido de "Gorila de Monza"». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 25 de fevereiro de 2020 
  8. Fred Sabino (5 de outubro de 2018). «Tão veloz quanto trapalhão, Andrea de Cesaris teve brilhos efêmeros e muitos acidentes». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 25 de fevereiro de 2020 
  9. Fred Sabino (14 de fevereiro de 2020). «Irmãos Rodríguez tiveram bons resultados na F1 mas acabaram encontrando a morte nas pistas». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 25 de fevereiro de 2020 
  10. Piquet é "pole" no Canadá. Mas se Jones vence, leva o título (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 28/09/1980. Matutina, Esportes, p. 51. Página visitada em 5 de outubro de 2020.
  11. Regulamento favorece o piloto da Williams (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 28/09/1980. Matutina, Esportes, p. 51. Página visitada em 5 de outubro de 2020.
  12. «Canadian GP, 1980 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 6 de março de 2020 
  13. TOUGUINHÓ, Oldemário. Piquet liderava, quebrou e Jones é o campeão (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 29/09/1980. Primeiro caderno, Esporte, p. 08. Página visitada em 6 de março de 2020.
  14. Fred Sabino (1 de outubro de 2018). «Jean-Pierre Jabouille, um engenheiro que virou piloto de F1 e foi primeiro a vencer com turbo». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 6 de março de 2019 
  15. Fred Sabino (25 de fevereiro de 2020). «Com Esteban Ocon, Renault volta a ter piloto francês depois de 11 anos; relembre os anteriores». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 6 de março de 2019 
  16. a b Azar derrota Piquet, Alan Jones é o campeão (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 29/09/1980. Esportes, p. 15. Página visitada em 6 de março de 2020.
  17. Motor de Piquet explode, Jones já é campeão (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 29/09/1980. Matutina, Esportes, p. 04. Página visitada em 1º de outubro de 2018.

Precedido por
Grande Prêmio da Itália de 1980
Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1980
Sucedido por
Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1980
Precedido por
Grande Prêmio do Canadá de 1979
Grande Prêmio do Canadá
19ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio do Canadá de 1981