Abrir menu principal

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2017

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro
16º GP do Cinema Brasileiro
Data 5 de setembro de 2017
Organização Academia Brasileira de Cinema
Local Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
País  Brasil
Destaques
Maior número de prêmios Elis (8)
Maior número de indicações Elis (12)
Melhor Longa-Metragem de Ficção Aquarius
Cobertura televisiva
Estação Canal Brasil
Duração TBA
Produtor Bia Lessa
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2016
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2018

É a décima sexta edição do Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, organizada pela Academia Brasileira de Cinema com o Patrocínio Master da TV Globo e Patrocínio do Canal Brasil através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. O evento foi realizado no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no dia 5 de setembro e premiou os profissionais e filmes lançados comercialmente no ano de 2016.

Os atores Antonio Pitanga e Helena Ignez foram os homenageados da festa.[1]

Indicados e vencedoresEditar

Os nomeados para a 16ª edição foram anunciados na página oficial da Academia em 13 de julho de 2017.[2] Aquarius venceu as principais categorias da premiação, enquanto que Elis foi o mais premiado, conquistando as categorias técnicas.[3]

 
Kleber Mendonça Filho, ganhou Melhor Diretor
 
Juliano Cazarré, ganhou Melhor Ator
 
Laura Cardoso, ganhou Melhor Atriz Coadjuvante
 
Flávio Bauraqui, ganhou Melhor Ator Coadjuvante
 
Domingos de Oliveira, ganhou Melhor Roteiro Original
 
Hilton Lacerda, ganhou Melhor Roteiro Adaptado
 
Paulo Gustavo, ganhou Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Longa-Metragem de Ficção Melhor Direção
  • Aquarius, de Kleber Mendonça Filho. Produção: Emilie Lesclaux por Cinemascópio
    • Boi Neon, de Gabriel Mascaro. Produção: Rachel Ellis por Desvia Produções
    • Elis, de Hugo Prata. Produção: Fabio Zavala e Hugo Prata por Bravura Cinematográfica Ltda
    • Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert. Produção: Sara Silveira e Maria Ionescu por Dezenove Som e Imagens e Anna Muylaert por África Filmes
    • Nise: O Coração da Loucura, de Roberto Berliner. Produção: Rodrigo Letier por TV Zero Cinema
Melhor Atriz Melhor Ator
Melhor Atriz Coadjuvante Melhor Ator Coadjuvante
Melhor Direção de Fotografia Melhor Direção de Arte
Melhor Longa-Metragem Comédia Melhor Longa-Metragem Documentário
  • Cinema Novo, de Eryk Rocha. Produção: Diogo Dahl por Coqueirão Pictures (Kino TV) e Eryk Rocha por Aruac Filmes
  • Menino 23 - Infâncias Perdidas no Brasil, de Belisario Franca. Produção: Maria Carneiro da Cunha por Giros
    • Cícero Dias, o Compadre de Picasso, de Vladimir Carvalho. Produção: Vladimir Carvalho por Com Domínio Filmes
    • Curumim, de Marcos Prado. Produção: Marcos Prado e José Padilha por Zazen Produções
    • Eu Sou Carlos Imperial, de Renato Terra e Ricardo Calil. Produção: Alexandre Rocha e Marcelo Pedrazzi por Afinal Filmes
    • Marias, de Joana Mariani. Produção: Matias Mariani por Primo Filmes e Joana Mariani por Mar Filmes
    • Quanto Tempo o Tempo Tem, de Adriana L. Dutra. Produção: Claudia Dutra e Viviane Spinelli por Inffinitto
Melhor Figurino Melhor Maquiagem
Melhor Efeito Visual Melhor Montagem Ficção
Melhor Roteiro Original Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Curta-Metragem Documentário Melhor Curta-Metragem Animação
  • Buscando Helena de Ana Amélia Macedo E Roberto Berliner
    • A Morte do Cinema, de Evandro de Freitas
    • Abissal, de Arthur Leite
    • Aqueles Anos de Dezembro, de Felipe Arrojo Poroger
    • Índios no Poder, de Rodrigo Arajeju
    • Orquestra Invisível Let’s Dance, de Alice Riff
  • Vida De Boneco, de Flávio Gomes
    • Cartas, de David Mussel
    • O Caminho Dos Gigantes, de Alois Di Leo
    • O Projeto Do Meu Pai, de Rosaria Maria
    • Quando Os Dias Eram Eternos, de Marcus Vinicius Vasconcelos
    • Tango, de Francisco Gusso e Pedro Giongo
    • Vento, de Betânia Furtado
Melhor Montagem de Documentário Melhor Som
  • Elis - Jorge Rezende, Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e Eduardo Virmond Lima
    • Aquarius - Nicolas Hallet e Ricardo Cutz
    • Boi Neon - Fabian Oliver, Mauricio D’orey e Vicent Sinceretti
    • O Shaolin do Sertão - Alfredo Guerra e Érico Paiva
    • Reza a Lenda - Paulo Ricardo Nunes, Miriam Biderman, Ricardo Reis e Paulo Gama
    • Sinfonia da Necrópole - Gabriela Cunha, Daniel Turini, Fernando Henna e Paulo Gama
Melhor Trilha Sonora Melhor Trilha Sonora Original
Melhor Curta-Metragem Ficção Melhor Longa-Metragem Estrangeiro
  • O Melhor Som do Mundo, de Pedro Paulo de Andrade
    • A Moça que Dançou com o Diabo, de João Paulo Miranda Maria
    • Constelações, de Maurílio Martins
    • E o Galo Cantou, de Daniel Calil
    • Não Me Prometa Nada, de Eva Randpolph

Ver tambémEditar

Referências