Abrir menu principal

Grande Prêmio dos Países Baixos de 1982

Grande Prêmio dos Países Baixos
de Fórmula 1 de 1982
Circuit Park Zandvoort-1980.svg
29º GP dos Países Baixos em Zandvoort
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 3 de julho de 1982
Nome oficial XXIX Grote Prijs van Nederland[1]
Local Circuito de Zandvoort, Zandvoort, Holanda do Norte, Países Baixos
Total 72 voltas / 306.144 km
Pole
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:14.233
Volta mais rápida
Piloto
Reino Unido Derek Warwick Toleman-Hart
Tempo 1:19.780 (na volta 13)
Pódio
Primeiro
França Didier Pironi Ferrari
Segundo
Brasil Nelson Piquet Brabham-BMW
Terceiro
Finlândia Keke Rosberg Williams-Ford

Resultados do Grande Prêmio dos Países Baixos de Fórmula 1 realizado em Zandvoort em 3 de julho de 1982. Nona etapa da temporada, esta corrida foi realizada num sábado para não coincidir com os jogos da Copa do Mundo de 1982.[2] Neste dia o francês Didier Pironi, da Ferrari, conseguiu a última vitória de sua carreira. Em segundo lugar ficou Nelson Piquet representando a Brabham-BMW e Keke Rosberg chegou em terceiro pela Williams-Ford.[3][nota 1]

ResumoEditar

Patrick Tambay na FerrariEditar

Durante as quatro primeiras corridas do ano a Ferrari teve Gilles Villeneuve e Didier Pironi como seus titulares e no Grande Prêmio de San Marino um boicote das equipes ligadas à Associação dos Construtores da Fórmula 1 (FOCA) fez com que apenas quatorze carros alinhassem para a corrida no Autódromo de Ímola.[4][nota 2] Neste cenário, a quebra das Renault de Alain Prost e René Arnoux resultou numa dobradinha entre os carros da Casa de Maranello com Villeneuve à frente de Pironi. O canadense, acreditando que a ordem dos boxes para "reduzir o ritmo" era um sinal de que as posições seriam mantidas, viu uma ultrapassagem do francês como mera encenação para a torcida. Entretanto, Pironi não devolveu a posição e roubou a vitória de seu companheiro de equipe. Furioso, Gilles Villeneuve fechou o cenho e jurou nunca mais falar com seu mais novo rival.[5] Infelizmente tal situação não pôde ser revertida, pois o canadense morreu num acidente durante os treinos para o Grande Prêmio da Bélgica, forçando a Ferrari a abandonar a corrida em sinal de luto.[6] Alquebrada, a equipe vermelha disputou os grandes prêmios de Mônaco, Detroit e Canadá apenas com Didier Pironi, o qual teria Patrick Tambay ao seu lado a partir de Zandvoort, nos Países Baixos.[7]

Renault na primeira filaEditar

Numa sexta-feira marcada pelo forte calor e onde nenhum piloto das grandes equipes melhorou o tempo obtido no dia anterior, a Renault manteve a primeira fila com René Arnoux na frente de Alain Prost. Nelson Piquet foi o terceiro com sua Brabham-BMW embora tenha saído da pista em certo momento do treino, enquanto John Watson, líder do campeonato, não passou do décimo primeiro lugar com sua McLaren-Ford.[8]

Também forçada pelas circunstâncias, a Lotus convocou o brasileiro Roberto Moreno para o lugar de Nigel Mansell, vítima de um acidente na prova de Montreal há três semanas. Submetido aos treinos, Moreno não se classificou.[9]

Didier Pironi domina e venceEditar

Após a largada, Prost foi mais esperto que Arnoux e tomou-lhe o primeiro lugar invertendo a dobradinha da Renault enquanto Pironi e Tambay os perseguiam nos bólidos da Ferrari enquanto o campeão mundial Nelson Piquet caiu para o sexto lugar. Originalmente Pironi era o quarto colocado no grid, mas graças ao aprumo de seu equipamento chegou à vice-liderança e perseguiu Alain Prost durante três voltas até assumir a ponta na quinta passagem. Por dez voltas os carros da Renault comboiaram o novo líder, mas tal cenário mudou graças ao bom rendimento de Piquet: num intervalo de dezoito voltas o brasileiro tomou o terceiro lugar de Arnoux e o segundo lugar de Prost, embora em determinado instante da prova tenha ficado a 44 segundos de Didier Pironi. Neste ínterim René Arnoux sofreu um acidente na vigésima segunda volta ao perder uma das rodas na altura da curva Tarzan e colidir violentamente contra uma barreira de pneus. Mesmo atordoado, o piloto nada sofreu. O azar da equipe francesa foi completado na trigésima terceira volta quando estourou o motor de Prost.[10]

No mesmo instante em que a Renault abandonou a corrida a ordem do pódio ficou definida com Didier Pironi (Ferrari), Nelson Piquet (Brabham) e Keke Rosberg (Williams), embora o finlandês tenha reduzido sua desvantagem para menos de oito décimos. Dentre os que vieram a seguir, somente Niki Lauda (McLaren) terminou na mesma volta dos líderes enquanto Derek Daly pôs a outra Williams entre os melhores e Mauro Baldi (Arrows) fechou a zona de pontuação.[11] Tão feliz quanto eles estava Derek Warwick, autor da volta mais rápida pela modesta Toleman-Hart com 1:19.780 na décima terceira volta, uma façanha inédita para a equipe de Ted Toleman e Alex Hawkridge.

Graças à vitória obtida em Zandvoort, Didier Pironi chegou aos 29 pontos, um a menos em relação a John Watson que não pontuou ao chegar em nono. Dentre os construtores a McLaren soma 45 pontos, dez a mais em relação a Ferrari.

Classificação da provaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 28   Didier Pironi Ferrari 72 1:38"03"254 4 9
2 1   Nelson Piquet Brabham-BMW 72 + 21"649 3 6
3 6   Keke Rosberg Williams-Ford 72 + 22"365 7 4
4 8   Niki Lauda McLaren-Ford 72 + 1'23"720 5 3
5 5   Derek Daly Williams-Ford 71 + 1 volta 12 2
6 30   Mauro Baldi Arrows-Ford 71 + 1 volta 16 1
7 3   Michele Alboreto Tyrrell-Ford 71 + 1 volta 14
8 27   Patrick Tambay Ferrari 71 + 1 volta 6
9 7   John Watson McLaren-Ford 71 + 1 volta 11
10 29   Marc Surer Arrows-Ford 71 + 1 volta 17
11 23   Bruno Giacomelli Alfa Romeo 70 + 2 voltas 8
12 9   Manfred Winkelhock ATS-Ford 70 + 2 voltas 18
13 10   Eliseo Salazar ATS-Ford 70 + 2 voltas 25
14 31   Jean-Pierre Jarier Osella-Ford 69 + 3 voltas 23
15 2   Riccardo Patrese Brabham-BMW 69 + 3 voltas 10
Ret 17   Jochen Mass March-Ford 60 Motor 24
Ret 33   Jan Lammers Theodore-Ford 41 Motor 26
Ret 11   Elio de Angelis Lotus-Ford 40 Handling 15
Ret 22   Andrea de Cesaris Alfa Romeo 35 Pane elétrica 9
Ret 15   Alain Prost Renault 33 Motor 2
Ret 16   René Arnoux Renault 21 Spun off 1
Ret 4   Brian Henton Tyrrell-Ford 21 Regulador 20
Ret 18   Raul Boesel March-Ford 21 Motor 22
Ret 20   Chico Serra Fittipaldi-Ford 18 Sistema de combustível 19
Ret 35   Derek Warwick Toleman-Hart 15 Fuga de óleo 13
Ret 26   Jacques Laffite Ligier-Matra 4 Handling 21
DNQ 14   Roberto Guerrero Ensign-Ford
DNQ 36   Teo Fabi Toleman-Hart
DNQ 25   Eddie Cheever Ligier-Matra
DNQ 12   Roberto Moreno Lotus-Ford
DNPQ 19   Emilio de Villota March-Ford

Tabela do campeonato após a provaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por temporada não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Alain Prost 4 voltas (1-4); Didier Pironi 68 voltas (5-72).
  2. Em apoio à FOCA dez equipes boicotaram o Grande Prêmio de San Marino de 1982: Brabham, Williams, McLaren, Lotus, Ensign, March, Fittipaldi, Ligier, Arrows e Theodore. Por outro lado "equipes de fábrica" como Ferrari, Renault e Alfa Romeo uniram-se à FISA e receberam o apoio de quatro times dissidentes: Tyrrell, Osella, ATS e Toleman, permitindo assim a realização de uma corrida com apenas quatorze carros no grid.

Referências

  1. «STATS F1: Netherlands». Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  2. «1982 Dutch Grand Prix - race result». Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  3. Pironi vence na Holanda e Piquet é segundo (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/07/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 09. Página visitada em 12 de fevereiro de 2019.
  4. «San Marino GP, 1982 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 9 de outubro de 2019 
  5. Fred Sabino (25 de abril de 2018). «Inimizade entre Villeneuve e Pironi foi efêmera, mas marcou história da F1». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  6. Fred Sabino (8 de maio de 2019). «A tragédia de Gilles Villeneuve e a dura missão de Reginaldo Leme ao cobrir a morte de um ídolo». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  7. Fred Sabino (25 de junho de 2019). «Um dos nomes mais simpáticos da Fórmula 1, Patrick Tambay completa 70 anos de idade». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  8. Piquet larga na 2ª fila na Holanda (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 03/07/1982. Amador/Copa do Mundo, Esportes, p. 11. Página visitada em 10 de outubro de 2019.
  9. Fred Sabino (14 de outubro de 2018). «Os 60 anos de Roberto Pupo Moreno: relembre momentos marcantes do piloto brasileiro». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  10. Pironi vence na Holanda e Piquet fica em segundo (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 04/07/1982. Esportes, 3º caderno, p. 21. Página visitada em 10 de outubro de 2019.
  11. «Dutch GP, 1982 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 10 de outubro de 2019 
Precedido por
Grande Prêmio do Canadá de 1982
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1982
Sucedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1982
Precedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1981
Grande Prêmio dos Países Baixos
29ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1983