Abrir menu principal

Vida e carreiraEditar

Rabassa nasceu em uma família chefiada por um imigrante cubano. Após servir na Segunda Guerra Mundial como criptógrafo pelo Office of Strategic Services e se graduar pelo Dartmouth College, Rabassa matriculou-se na pós-graduação em Columbia, onde conquistou o doutorado. Ele lecionou em Columbia por mais de duas décadas antes de aceitar uma cátedra no Queens College.

Trabalhando principalmente em português e espanhol, Rabassa produziu versões em inglês de alguns dos principais escritores latino-americanos, como Jorge Amado, Machado de Assis, Julio Cortázar e Gabriel Garcia Márquez. A pedido de Cortázar, García Márquez esperou três anos para que houvesse tempo na agenda de Rabassa para traduzir Cem anos de solidão. O autor colombiano declarou certa vez que a versão em inglês de Rabassa (One Hundred Years of Solitude) era melhor que a original.

Em 2005 Rabassa escreveu um livro de memórias, detalhando suas experiências como tradutor: If This Be Treason: Translation and Its Discontents, A Memoir.

Morreu em 13 de junho de 2016, aos 94 anos. [1]

Prêmios recebidosEditar

Algumas obras traduzidasEditar

Referências

  1. a b «Gregory Rabassa, Renowned Translator, Dead at 94». ABC News. Consultado em 14 de junho de 2016 
  2. Milan, Betty (15 de março de 1998). «O Tradutor de Márquez e Machado». Folha de S. Paulo  Parâmetro desconhecido |acesso em= ignorado (ajuda)
  3. «Gregory Rabassa é homenegado com Medalha das Artes». Estadão.com.br. 8 de janeiro de 2007. Consultado em 19 de abril de 2014 


Precedido por
Pina Martins
  Sócio correspondente da ABL - cadeira 18
2010 — 2016
Sucedido por
João Malaca Casteleiro