Abrir menu principal
Grimualdo I
Rei dos lombardos
Reinado 662 a 671
Antecessor(a) Godeberto
Sucessor(a) Garibaldo
Nascimento ?
Morte 671

Grimualdo I (610671) foi duque de Benevento (651-662) e rei dos lombardos (662-671).[1]

Índice

GenealogiaEditar

Nascido provavelmente antes de 610, filho de Gisulfo II, duque do Friul e da Baviera e da princesa Ramilda, filha do duque Garibaldo I da Baviera. Ele sucedeu seu irmão Radoaldo (646-651) como duque de Benevento mas, antes disso, ele foi, juntamente com Radoaldo, regente de seu irmão adotivo mentalmente incapaz Ariolfo I de 642 à sucessão de Radoaldo (651). Ele se casou com a princesa Teodota, filha do rei lombardo Ariberto I. Deste casamento nasceram os seguintes filhos [1] :

Reinado e guerrasEditar

Em 662, depois de ser chamado para ajudar o rei Godeberto em uma guerra com seu irmão, o rei Bertário, Grimualdo deu a seu filho mais velho Romualdo I (662-677) o ducado de Benevento e, removeu, com a ajuda de Garibaldo, duque de Turim, os obstáculos à sua realeza fraterna, assassinando Godeberto e forçando Bertário a fugir. Ele enviou Bertário, esposa e o filho Cuniberto para Benevento e assumiu o reino dos lombardos. Seguidamente a isso ele casou-se com Teodata, irmã de ambos (Godeberto e Bertário). Com isto ele provocou a um relacionamento direto com a dinastia Bávara que reinava sobre o Reino Lombardo desde os tempos de Teodolinda.[1]

Suas proezas militares e sua habilidade no campo de batalha garantiram muitas vitórias nas guerras fronteiriças. Ele levou seus exércitos à vitória pessoal contra os bizantinos sob o imperador Constante II no cerco de Benevento, onde haviam sitiado o jovem Romualdo que estava noivo de Gisa, irmã do imperador. Romualdo, após a morte de Constante II, confundiu os bizantinos e durante a rebelião de Mezecius na Sicília, tomou então Taranto e Brindisi, limitando muito a influência bizantina na região. Grimualdo tomou Forlì, no norte da península Itálica e arrasou Oderzo, onde seus irmãos haviam sido assassinados anos antes (mas não a tomou). A captura que ele fez de Forlì foi vergonhosa, massacrando os fiéis durante as festividades da Páscoa. [1]

Enquanto combatia os bizantinos no Mezzogiorno, ele deixou Lupo, duque do Friul (663666) como regente, no norte. Lupo, entretanto, usurpou toda a autoridade e se rebelou, mas foi esmagado por Grimualdo com a ajuda dos ávaros; seu ducado foi despojado e devastado. Grimualdo perseguiu Arnefrito (666), filho de Lupo e os eslavos seus aliados e os derrotou em Nimis. Arnefrito morreu durante a batalha. Grimualdo colocou Vectário (666678), um inimigo dos eslavos, no ducado do Friul.[1]

Grimualdo derrotou os francos que haviam invadido o território lombardo durante a infância de Clotário III, e aliou-se a Bertário, Asti e os ávaros, de quem ele tinha sido um refém na juventude. Salvou o nordeste da Itália ao derrotar as tribos eslavas e manteve a ordem interna do reino, mediante a supressão das revoltas que pretendiam a autonomia dos ducados de Friul e de Espoleto, onde ele instalou Transamundo I (665-703).[1]

ReligiãoEditar

A sua religião permaneceu ariana, apesar de seu casamento com uma católica. Com isto ele afastou-se do Papado. No entanto, ele permitiu o culto a São Miguel - cuja devoção se espalhava fortemente no Monte Gargano - como o guerreiro protetor da nação lombarda. [1]

Morte e sucessãoEditar

Morreu em 671, depois de concluir um tratado com os francos e foi sucedido por Bertário, a quem tinha exilado. Foi um governante popular, conhecido pelas virtudes, pela generosidade e misericórdia e por sua ferocidade e crueldade na guerra. Seu filho, Romualdo foi afastado da autoridade central e enviado para Benevento, e seu outro filho Garibaldo não foi eleito para sucedê-lo em virtude de sua juventude, permaneceu no poder durante três meses apenas e foi deposto pelos partidários de Bertário.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i «German Tribes» (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2012 

BibliografiaEditar

  • Gwatkin, H. M., Whitney, J. P. (ed) The Cambridge Medieval History: Volume II—The Rise of the Saracens and the Foundations of the Western Empire. Cambridge University Press, 1926.
  • Oman, Charles. The Dark Ages 476-918. London, 1914.
  • Diccionario universal de historia y geografía, Tomo Sexto, Madrid, 1848, editor Francisco de Paula Mellado
  • Christie, N..-The lombards: the ancient longobards, Oxford, 1995
Precedido por
Godeberto
Rei dos lombardos
662671
Sucedido por
Garibaldo
Precedido por
Rodoaldo
Duque de Benevento
651662
Sucedido por
Godeberto


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.