Abrir menu principal

Gruta do Escoural

gruta com arte rupestre em Montemor-o-Novo, Portugal
Na foto vê-se a ante-câmara construida numa das entradas (acesso A) da Gruta do Escoural. É por aqui que começam as visitas à gruta.

A Gruta do Escoural é uma cavidade natural conhecida pela arte rupestre paleolítica e enterros, localizada no município alentejano de Montemor-o-Novo, em Portugal.

Está classificada como Monumento Nacional desde 1963.

CaracterísticasEditar

 
Contra-capa do livro de António Carlos Silva: "Uma gruta pré-histórica no Alentejo - Escoural"

Geologicamente, o sítio está localizado entre as bacias hidrográficas do Tejo, o rio Sado, e da região das planícies alentejanas, na Serra de Monfurado de onde ainda é possível avistar a Serra da Arrábida.

Parcialmente selada por um espesso manto de estalagmites, a gruta é composta de várias salas e galerias. A primeira ocupação da gruta remonta ao Paleolítico Médio, quando grupos de caçadores-coletores neadertais a usaram como abrigo na a prática da caça. Com base em provas ósseas no interior da gruta, estes grupos caçavam nas proximidades auroques, cervos e cavalos. Mais tarde, durante o período Paleolítico Superior (35000-8000 a.C.), os residentes, constituídos por grupos anatomicamente considerados modernos, deixaram importantes vestígios na caverna.

A sua influência é evidenciada por uma rocha-santuário contendo pinturas de animais do período Paleolítico Superior. Mais tarde, quando da emergência do Neolítico (5000-3000 a.C.), as comunidades de agricultores e pastores aproveitaram esta cavidade natural para sepultar os seus mortos.

No final do Neolítico a gruta ficou encerrada mas as populações do Calcolítico (3000 a.C.) continuaram na região. A cerca de 600 metros existem restos de um povoado fortificado, bem como de outros povoados calcolíticos, e ainda um tolo megalítico.

A gruta do Escoural e a Furninha, em Peniche, são considerados monumentos geológicos e arqueológicos afins e de importância universal.

ActualidadeEditar

Em 2009 foi sujeita a obras de requalificação num investimento de 350 mil euros ficando então suspensas as visitas às grutas e ao centro interpretativo.

As obras dotaram as grutas de um conjunto de condições, a nível ambiental, para preservação dos vestígios gráficos de gravura e pintura. Será construído um centro de acolhimento, que desemboca no monumento, protegendo as condições ambientais dentro das grutas.

No interior das grutas, o plano de requalificação previu uma reestruturação dos passadiços e da iluminação, sendo que no espaço envolvente ao monumento foi construido um novo parque de estacionamento.[1]

A reabertura ao público ocorreu no dia 30 de Julho de 2011.[2]

BibliografiaEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Diário Digital / Lusa (22 de Julho de 2009). «Grutas do Escoural vão ser requalificadas» 
  2. Alentejo Popular (5 de Agosto de 2011). «Gruta do Escoural reabre ao público» 

Ligações externasEditar

GaleriaEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.