Abrir menu principal

Monumento Natural da Gruta do Lago Azul

(Redirecionado de Gruta do Lago Azul)
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Parque Estadual Gruta da Lagoa Azul.
Monumento Natural da Gruta do Lago Azul
Categoria III da IUCN (Monumento Natural)
Gruta do Lago Azul
Localização Mato Grosso do Sul, Brasil Brasil
Dados
Criação 1978
Coordenadas 21° 8' 41" S 56° 35' 29" O
Monumento Natural da Gruta do Lago Azul está localizado em: Brasil
Monumento Natural da Gruta do Lago Azul

Monumento Natural da Gruta do Lago Azul é um monumento natural no município de Bonito, Mato Grosso do Sul, Brasil. Possui duas cavernas com formações calcárias interessantes, mas frágeis, e está listada como área protegida desde 1978.

DescriçãoEditar

A Gruta do Lago Azul tem um salão principal com um piso que se inclina para um lago subterrâneo com mais de 50 metros de comprimento. A entrada é circular, com cerca de 40 metros de diâmetro, que ilumina o lago com luz solar. Entre os meses de setembro e fevereiro as águas assumem uma cor azul intensa, o que levou ao nome do lago. Ossos fósseis foram encontrados em grandes mamíferos que habitaram a região por mais de 12.000 anos no Pleistoceno. Estes incluem preguiças-gigantes, tatus e tigres-dentes-de-sabre.[1]

A Gruta de Nossa Senhora Aparecida não contém água e tem pouca luz natural. Tem um único salão grande com um piso inclinado de 100 metros no seu ponto mais largo. O salão contém espeleotemas, alguns dos quais são chamados de "anjos", já que se assemelham a humanos com asas.[2] A Gruta de Nossa Senhora Aparecida está fechada para visitantes por motivos de segurança.[3]

HistóriaEditar

A Gruta do Lago Azul e as Grutas de Nossa Senhora Aparecida foram tombadas como monumentos naturais em 1978 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O objetivo é preservar as estruturas calcárias muito frágeis da caverna, o lago e seu ecossistema aquático e a paisagem ao redor das cavernas.[4] Os visitantes são permitidos, acompanhados por guias do município de Bonito. As regulamentações são projetadas para evitar qualquer dano à caverna.[3]

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • «Preservar é Bonito» (PDF), IPHAN: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, iphan.gov.br, consultado em 12 de fevereiro de 2016 

Ligações externasEditar