Guerra sino-vietnamita

A Guerra sino-vietnamita de 1979 ou conflito sino-vietnamita (também conhecido como invasão chinesa do Vietnã) foi um breve conflito (de 17 Fevereiro a 16 de Março) que envolveu a recém-unificada República Socialista do Vietnã (apoiada pela União Soviética) contra a República Popular da China e seu aliado o Kampuchea Democrático. Não houve um claro vencedor.

Invasão chinesa do Vietnã
Terceira Guerra da Indochina e Guerra Fria
Vietnam china.jpg
Invasão do Vietnã pela República Popular da China.
Data Janeiro a março de 1979
Local Vietname
Desfecho Vitória tática Vietnamita
Beligerantes
Vietname República Socialista do Vietname, apoiada pela União Soviética China República Popular da China
Comandantes
Vo Nguyen Giap Deng Xiaoping
Forças
60 000 tropas fronteriças e soldados regionais[1] 85 000 soldados iniciais mais de 200 000 reforços[1]
Baixas
Desconhecidas 20 000 mortes (admitidas)[1]

Na origem do conflito estava a velha rivalidade entre a China e a URSS (que apoiava o Vietnã). Ao invadir o país, Pequim desejava enviar um sinal claro a Moscou de que não iria aceitar passivamente um aumento da influência do PCUS numa área que a China considerava dentro da sua esfera de influência.

Esta escaramuça surge na sequência do fim da Guerra do Vietnã e da invasão do Camboja pelo Vietnã, para pôr fim ao regime de Pol Pot.

Referências

  1. a b c Nam. Crónica de la Guerra de Vietnam 1965-1975. Volumen II. Fascículo 18. Edición de José Manuel Lara, editorial Planeta-De Agostini, Barcelona, España (1993). Capítulo 110: "La Guerra no cesa", pp. 575. ISBN 84-395-0766-6.


  Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.