Guilherme Ernesto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach

militar alemão

Guilherme Ernesto de Saxe-Weimar-Eisenach (10 de Junho de 187624 de Abril de 1923) foi o último grão-duque de Saxe-Weimar-Eisenach.

Guilherme Ernesto
Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Reinado 5 de janeiro de 1901
a 9 de novembro de 1918
Antecessor(a) Carlos Alexandre, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Sucessor(a) Título abolido
 
Esposa Carolina Reuss de Greiz
Feodora de Saxe-Meiningen
Descendência Sofia de Saxe-Weimar-Eisenach
Carlos Augusto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Bernardo de Saxe-Weimar-Eisenach
Jorge de Saxe-Weimar-Eisenach
Casa Wettin
Nome completo Guilherme Ernesto Carlos Alexandre Frederico Henrique Bernardo Alberto Jorge Hermano
Nascimento 10 de junho de 1876
  Weimar, Grão-Ducado de Saxe-Weimar-Eisenach
Morte 24 de abril de 1923 (46 anos)
  Henryków, Baixa Silésia (voivodia)
Pai Carlos Augusto, Grão-Duque Hereditário de Saxe-Weimar-Eisenach
Mãe Paulina de Saxe-Weimar-Eisenach

BiografiaEditar

 
O grão-duque Guilherme Ernesto.

Nascido em Weimar, era o filho mais velho de Carlos Augusto, Grão-Duque Hereditário de Saxe-Weimar-Eisenach, herdeiro do grão-duque, e da princesa Paulina de Saxe-Weimar-Eisenach.

Sucedeu ao seu avô, Carlos Alexandre, como grão-duque a 5 de Janeiro de 1901, uma vez que o seu pai tinha já falecido.

O seu herdeiro foi um primo distante, o príncipe Hermano de Saxe-Weimar-Eisenach, até este ser deserdado em 1909. Depois de isso acontecer, foi o irmão mais novo de Hermano que ocupou a posição de herdeiro do ducado de Saxe-Weimar-Eisenach até ao nascimento do filho mais velho de Guilherme Ernesto.

Guilherme Ernesto redesenhou o centro da cidade de Weimar sob a orientação de Hans Olde, Henry van de Velde, e Adolf Brütt. Também mandou reconstruir a Universidade de Jena sob a orientação de Theodor Fischer, assim como os teatros mais conhecidos de Weimar. Os melhoramentos feitos na cidade incluíram também a construção de uma estátua de mármore dedicada ao seu antecessor, Carlos Alexandre, que foi concluída em 1911. Foi colocada num local desenhado por Brütt. Esse local foi construído para destingir a "zona histórica" da nova zona mais moderna. Foi também publicada uma lei que proibia a construção de edifícios em estilo "art nouveau" na zona histórica, sendo que este seria apenas utilizado na construção de novos edifícios.

Trono dos Países BaixosEditar

Segundo a constituição dos Países Baixos, Guilherme Ernesto estava na linha de sucessão ao trono dos Países Baixos (uma vez que era neto da princesa Sofia dos Países Baixos) logo a seguir à rainha Guilhermina. Em inícios do século XX, os holandeses começaram a temer a possibilidade de  haver demasiada influência alemã no país e até de uma futura anexação. Para prevenir que tal acontecesse, um grupo de advogados tentou alterar a constituição de modo a excluir Guilherme Ernesto da linha de sucessão. No entanto, foi também apresentada outra proposta, na qual, se a rainha Guilhermina morresse sem deixar filhos, então Guilherme Ernesto e os seus descendentes teriam de optar entre ficar com o grão-ducado de Saxe-Weimar-Eisenach ou com o trono dos Países Baixos. No entanto, o nascimento da filha da rainha Guilhermina, a princesa Juliana, em 1909 reduziu as probabilidades de a Casa de Wettin (no ramo de Saxe-Weimar-Eisenach) vir a herdar o trono dos Países Baixos. Em 1922, foi feita uma emenda à constituição que limitava a linha de sucessão aos descendentes da rainha Guilhermina, acabando assim completamente com esta possibilidade.

AbdicaçãoEditar

A 9 de Novembro de 1918, Guilherme Ernesto - juntamente com todos os monarcas da Alemanha, após a derrota do império na Primeira Guerra Mundial - foi forçado a abdicar. Perdeu o seu trono e as suas terras e fugiu com a família para a Silésia, onde acabaria por morrer cinco anos depois.

Apesar de todo o trabalho que fez em Weimar durante o seu governo, Guilherme Ernesto nunca foi popular. Tal devia-se à forma como vivia a sua vida privada, uma vez que se sabia que era sadista; no dia em que abdicou, foi considerado o "príncipe mais impopular da Alemanha".[1]

Morreu em Heinrichau, na Silésia.

Família e descendentesEditar

Guilherme Ernesto casou-se em Bückeburg a 30 de Abril de 1903 com a sua primeira esposa, a princesa Carolina Reuss de Greiz, filha de Henrique XXII, Príncipe Reuss de Greiz. Não nasceram filhos deste casamento que terminou em 1905 com a morte misteriosa de Carolina. A causa oficial avançada foi uma gripe que evoluiu para pneumonia, mas outras fontes sugeriram que se tratou de suicídio.

Em Meiningen a 21 de Janeiro de 1910, Guilherme Ernesto casou-se uma segunda vez com a princesa Feodora de Saxe-Meiningen, filha do príncipe Frederico João de Saxe-Meinigen.

Tiveram quatro filhos:

  1. Sofia de Saxe-Weimar-Eisenach (20 de Março de 1911 - 21 de Novembro de 1988), casada com Friedrich Günther, Príncipe de Schwarzburg, de quem se divorciou um ano depois; sem descendência.
  2. Carlos Augusto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach (28 de Julho de 1912 - 14 de Outubro de 1988), casado com a baronesa Isabel de Wangenheim-Winterstein; com descendência.
  3. Bernardo de Saxe-Weimar-Eisenach (3 de Março de 1917 - 23 de Março de 1986), casado com a princesa Felicitas de Salm Horstmar; com descendência, incluindo a princesa Catarina Feodora de Saxe-Weimar-Eisenach, casada com o príncipe Emanuel José de Hohenzollern-Emden, filho de Francisco José, Príncipe de Hohenzollern-Emden (divorciaram-se em 1985).
  4. Jorge de Saxe-Weimar-Eisenach (24 de Novembro de 1921 - 11 de Março de 2011), mudou de nome para Jörg Brena em 1953 e renunciou aos seus direitos de sucessão.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Guilherme Ernesto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach em três gerações
Guilherme Ernesto, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach Pai:
Carlos Augusto, Grão-Duque Hereditário de Saxe-Weimar-Eisenach
Avô paterno:
Carlos Alexandre, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Bisavô paterno:
Carlos Frederico, Grão-Duque de Saxe-Weimar-Eisenach
Bisavó paterna:
Maria Pavlovna da Rússia (1786–1859)
Avó paterna:
Sofia dos Países Baixos
Bisavô paterno:
Guilherme II dos Países Baixos
Bisavó paterna:
Ana Pavlovna da Rússia
Mãe:
Paulina de Saxe-Weimar-Eisenach
Avô materno:
Hermano de Saxe-Weimar-Eisenach
Bisavô materno:
Bernardo de Saxe-Weimar-Eisenach
Bisavó materna:
Ida de Saxe-Meiningen
Avó materna:
Augusta de Württemberg
Bisavô materno:
Guilherme I de Württemberg
Bisavó materna:
Paulina Teresa de Württemberg

ReferênciasEditar

  1. «The Most Unpopular Prince in Germany': Grand Duke Wilhelm Ernst of Saxe-Weimar-Eisenach», European Royal History Journal (Issue XIV): 24–26, December 1999  Verifique data em: |data= (ajuda)