Abrir menu principal
Guilherme Marques
campeão mundial de vôlei de praia
Voleibol
Nome completo Guilherme Luiz Marques
Apelido Guilherme
Modalidade Voleibol de praia
Nascimento 26 de junho de 1969 (50 anos)
Juiz de Fora, MG
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 90 kg Altura: 1,93 m
Clube Aposentado
Medalhas
Competidor do  Brasil
Jogos Olímpicos de Verão
Bronze Barcelona 1992 Dupla
Campeonatos Mundiais
Ouro Los Angeles 1997 Dupla
Bronze Marseille 1999 Dupla
Circuito Mundial
Ouro Temporada 1998 Dupla
Bronze Temporada 1997 Dupla
Goodwill Games
Ouro Hempstead 1998 Dupla

Guilherme Luiz Marques (Juiz de Fora, 26 de junho de 1969) é ex-voleibolista indoor brasileiro que atuou como atleta de voleibol de praia que conquistou a medalha de bronze no torneio de exibição dos Jogos Olímpicos de Barcelona em 1992, também a medalha de ouro na edição do Campeonato Mundial de Vôlei de Praia de 1998 nos Estados Unidos e o bronze na edição de 1999 na França, foi medalhista de ouro na edição do Goodwill Games de 1998 nos Estados Unidos, obteve o terceiro lugar no Circuito Mundial de 1997 e o quarto lugar em 1996, campeão da temporada de 1998 do Circuito Mundial de Vôlei de Praia .Depois anunciar a aposentadoria, disputou no voleibol indoor na categoria máster.Atuou pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de 2016 e também dos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016.

CarreiraEditar

Guilherme ainda jovem migra de Juiz de Fora, e se tornou um dos percursores do vôlei de praia do Brasil[1] e seu primeiro parceiro no Circuito Mundial foi André Lima, isto no período de 1987-91, quando em etapas válidas do referido circuito obtiveram: nono lugar no Aberto de Lignano, sétimo lugar no Aberto do Rio de Janeiro, quarto lugar em outro Aberto do Rio de Janeiro, bronze no Aberto do Rio de Janeiro, vice-campeonato no Aberto de Sydney e o título no Aberto de Sète[2] . Com André Perlin disputou duas etapas do Circuito da AVP (Associação de Vôlei Profissional Americana) ou AVP Pro Beach Tour, obtendo o décimo sétimo lugar na etapa de Phoenix (Arizona) e a décima terceira colocação na etapa de Fort Lauderdale[3].

Ao lado de André competiu nas etapas do período 1991-92 do Circuito Mundial alcançando o quinto lugar no Aberto do Rio de Janeiro, o bronze nos Abertos de Cap d'Agde, Cattolica e Almeria[4],torneio que serviu para torneio de exibição da modalidade na edição dos Jogos Olímpicos de Verão em Barcelona[5]; , e os vice-campeonatos nos Abertos de Yokohama e Sydney[2].Com o mesmo jogador da temporada anterior, competiuem duas nas etapas de 1992-93, obtendo o nono lugar no Aberto de Lignano e o bronze no Aberto de Almeria; e ao lado de Marlos Cogo alcançou no Aberto do Rio de Janeiro a sétima posição[2].

Na temporada seguinte compos parceria com Rogério “Pará”[6], conquistando nas etapas válidas pelo Circuito Mundial de Vôlei de Praia de 1994-95 os seguintes resultados: o quinto lugar no Aberto do Rio de Janeiro e terceiro lugar no Aberto de Fortaleza[2].

Com a mesma formação de dupla anterior participaram das etapas do Circuito Mundial na temporada 1995-96, obtendo: a trigésima terceira posição nos Abertos de Marbella, Clearwater (Flórida), Espinho e La Baule, o décima terceira lugar no Aberto de Enoshima e Rio de Janeiro, o terceiro lugar no Aberto de Fortaleza e os vice-campeonatos nos Abertos de Busan e Ostende[2], encerrando ao final de todo Circuito Mundial na trigésima nona posição[7].

Em 1996 namorava com a voleibolista Sandra Pires[8] e nesta jornada permaneceu atuando ao lado de Pará na temporada de 1996 do Circuito Mundial, e nas etapas conquistaram: a trigésima terceira posição na Série Mundial (World Serie) de Alanya, décimo terceiro lugar na Série Mundial de Hermosa, sétimo colocados na Série Mundial de Lignano, quinto lugar na Séries Mundiais de João Pessoa , Marseille e Tenerife, também no Grand Slam de Espinho; além do quarto lugar na Série Mundial de Jacarta, os vice-campeonatos no Grand Slam de Pornichet e nas Séries Mundiais de Berlim, Carolina (Porto Rico) e Fortaleza, finalizando com o título da Série Mundial de Durban[2], foram eleitos a melhor parceria do mundo em 1996[9] e finalizaram em quarto lugar no ranking final do Circuito Mundial[7].

No ano de 1997 jogando com Pará disputou três etapas do Circuito da AVP (Associação de Vôlei Profissional Americana) ou AVP Pro Beach Tour, obtendo o nono lugar na etapa de Chicago, o quinto lugar na de San Antonio e quarto lugar na etapa de Corpus Christi (Texas)[7].Com a mesma formação de dupla disputou as etapas do Circuito Mundial, encerrando na décima sétima colocação no Grand Slam do Rio de Janeiro, na nona posição no Aberto de Klagenfurt, sétimo lugar no Aberto de Lignano e no Grand Slam de Espinho, destacam-se ainda o quinto lugar nos Abertos de Ostende e Tenerife, os vice-campeonatos nos Abertos de Berlim e Alanya, e encerram na primeira colocação no Aberto de Marseille e sagraram-se medalhista de ouro da primeira edição do Campeonato Mundial de Vôlei de Praia realizado em Los Angeles, Estados Unidos[2][10] e a última etapa, ou seja, Aberto de Fortaleza, disputou com Eduardo Garrido e ficaram com vice-campeonato, novamente finalizaram o Circuito Mundial em terceiro lugar[7].

A temporada de 1998 ao lado do seu parceiro Pará foi de grande êxito pelo Circuito Mundial[1], alcançaram a décima sétima colocação nos Abertos de Toronto e Tenerife, o décimo terceiro lugar nos Abertos de Klagenfurt e Ostende, o sétimo lugar no Aberto do Rio de Janeiro, obtendo pódio quando obtiveram o quarto lugar no Aberto de Mar del Plata, o bronze nos Abertos de Espinho e Alanya, o vice-campeonato no Aberto de Berlim, os títulos nos Abertos de Lignano, Moscou e Vitória, além da medalha de ouro na edição do Goodwill Games em Hempstead[1] , culminaram para que ele e seu parceiro conquistassem o título do Circuito Mundial da temporada[2][9][11][12][13][14][15][16].

Em 1999 foi casado durante onze meses com a estilista Astrid Monteiro de Carvalho[17]; neste mesmo ano ao lado de Pará eram treinados pelo técnico Antônio Leão[16][18].Neste mesmo ano disputaram o Desafio 4x4 (Desafio Internacional de vôlei Four com outras estrelas do cenário brasileiro e com participação de seu parceiro Pará[19][20] e com este conquistou o título da Copa Samsung de Vôlei de Praia de 1999 na Praia de Ipanema[21].

Ainda com Pará disputou a jornada de 1999 do Circuito Mundial, finalizando na décima sétima posição no Aberto de Vitória, décimo terceiro lugar no Aberto de Berlim, sétima posição no Aberto de Toronto, quinto colocados nos Abertos de Moscou e Ostende, medalha de bronze no Campeonato Mundial de 1999 em Marseille[22], mesmo posto obtido no Aberto de Mar del Plata e Klagenfurt , além dos vice-campeonatos nos Abertos de Acapulco, Stavanger[23] , Lignano, Espinho e Tenerife[2], após treze etapas finalizaram no geral em quinto lugar[24].

No Circuito Mundial de 2000, sua última participação neste, permaneceu ao lado de Pará, obtendo o vigésimo quinto lugar nos Abertos do Guarujá e Toronto , décimo sétimo lugar nos Abertos de Mar del Plata, Rosarito e no Grand Slam de Chicago, nono lugar no Aberto de Tenerife e sétimo no Aberto de Macau, finalizando o circuito na trigésima sétima posição geral[24].

Ele competiu em edições do evento Volleyhouse, Circuito de Vôlei de Praia, que reúne atletas amadores de alto nível técnico, sediado no Rio de Janeiro[25], na temporada 2001-02 ao lado de Pedro Marques venceu a etapa 14[26]; na jornada 2005-06 jogou com Fábio Guerra a etapa 19 ficaram em terceiro lugar; no período 2006-07 jogou com Fernando Marquese foram vice-campeões na etapa 27, e com este jogador conquistou o bronze na etapa 38 na edição de 2008-09 e só voltou a competir no torneio na jornada 2015-16 com seu ex-parceiro Pará e conquistaram o título da etapa 63[26].

Em 2000 por pouco não pode participar dos Jogos Olímpicos de Sydney ao lado de Pará, pois, ficaram na terceira colocação no ranking nacional e apenas as duas primeiras se classificavam, mas foi comentaria de TV no referido evento[27].. Em 2005 já trabalhava nos cargos diretivos da Confederação Brasileira de Vôlei de Praia[28].

Após 11 anos que deixou a dupla com Guilherme Marques, voltou jogar ao lado dele nas quadras, representando o Flamengo no Campeonato Brasileiro Vôlei Master, na categoria[29].

Integrou o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de 2016 e dos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016 com nove modalidades sob sua responsabilidade (Futebol, Voleibol, Voleibol de Praia, Rugby, Handebol e Tiro com Arco) e três paraolímpicas (Tiro com Arco, Voleibol sentado, Rugby em cadeira de rodas)[27].

Títulos e resultadosEditar

Premiações individuaisEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. a b c Silvia Vieira e Armando Freitas. «O Que É Vôlei de Praia-História-Regras-Curiosidades-Págs.45-46». Editora Casa da Palavra. 2007. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as FIVB. «PLAYERS' DATABASE-Athlete's biography-Guilherme-Results» (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016 
  3. Beach Volleyball Database. «Guilherme Luiz Marques -Career – 1989-1998-1991 AVP Pro Beach Tour» (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016 
  4. «Men's FIVB US$200,000 Spain Open August 12-15, 1992 Almeria». Beach Volleyball Database (em ingles). Consultado em 14 de julho de 2018. Cópia arquivada em 20 de março de 2018 
  5. José Manuel Román (março de 2011). «Voley-playa: deporte olímpico desde Almería». La Opinión de Almeria (em ingles). Consultado em 14 de julho de 2018. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2018 
  6. a b c Ministério da Defesa - Exército Brasileiro (13 de julho de 2011). «Aos 37 anos, é hora de Pará- JOGOS MUNDIAIS MILITARES». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  7. a b c d e f Beach Volleyball Database. «Guilherme Luiz Marques -Career – 1989-1998» (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016 
  8. PLACAR MAGAZINE. «Revista Placar Nº1117-Pág.53». julho de 1996. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  9. a b c JC Online (7 de dezembro de 1998). «VÔLEI DE PRAIA -Guilherme e Pará são campeão mundiais no vôlei de praia». Consultado em 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 25 de junho de 2003 
  10. Helena Rebello (30 de junho de 2013). «Fotos, troféus e memórias: campeões em 1997 relembram o 1º título mundial». Sportv.globo.com. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  11. A Notícia (8 de dezembro de 1998). «Jurerê recebe líderes do vôlei de praia mundial-Emanuel/Loiola e Zé Marco/Ricardo são os destaques do qualifying». Consultado em 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 18 de setembro de 2016 
  12. UOL Esporte (4 de dezembro de 1998). «Guilherme e Pará são campeão mundiais no vôlei de praia». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  13. Folha de S.Paulo esporte (5 de dezembro de 1998). «VÔLEI DE PRAIA-Brasil leva quarto título seguido-Guilherme e Pará ganham o Mundial». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  14. A Notícia (5 de dezembro de 1998). «Vôlei de praia-Guilherme e Pará ganham título mundial». Consultado em 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 22 de maio de 2006 
  15. «Beach Volleyball History-1998». Beach Volleyball Database (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de abril de 2014 
  16. a b CBV. «História do Vôlei de Praia». Consultado em 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 14 de setembro de 2016 
  17. Valmir Moratelli, Carolina Camargo e Eliane Santos (11 de outubro de 2006). «Confusão na alta roda». Revista Quem. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  18. A Notícia (9 de julho de 1999). «Dupla Guilherme e Pará quer voltar a liderança do ranking». Consultado em 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 18 de setembro de 2016 
  19. Agência JB (3 de fevereiro de 1999). «Desafio de quartetos reúne elite brasileira na praia». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  20. UOL Esporte (3 de fevereiro de 1999). «Chave feminina abre na quinta o desafio Brasil x EUA de quartetos». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  21. a b Diário do Grande ABC (12 de dezembro de 1999). «Guilherme e Pará vencem Copa Sansung de vôlei de praia». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  22. «Beach Volleyball History-1999». Beach Volleyball Database (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de abril de 2014 
  23. UOL Esporte (11 de julho de 1999). «Brasil conquista ouro e prata na etapa norueguesa do vôlei de praia». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  24. a b Beach Volleyball Database. «Guilherme Luiz Marques -Career – 1999-2000» (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2016 
  25. Encontra.com. «Encontra: Esportes / Voleiball/Volleyhouse». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  26. a b c d e f Volleyhouse.com.br. «Atletas – Guilherme Marques - Guilherme Luiz Marques». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  27. a b c Rio 2016 (22 de outubro de 2011). «QUEM FAZ: Guilherme, Coordenador de competição esportiva e ex-jogador de Voleibol de Praia». Consultado em 6 de setembro de 2016 
  28. Paulo de Tarso (17 de março de 2005). «Vôlei de praia-Guilherme e Pará ganham título mundial». A Notícia. Consultado em 6 de setembro de 2016 
  29. GloboEsporte.com. «Dupla precursora do vôlei brasileiro volta a jogar após 11 anos separada». 14 de novembro de 2011. Consultado em 5 de setembro de 2016